Trabalhando com sentidos e representações da escola e dos estudos na Educação de Jovens e Adultos

Katiuci Pavei, Nathália Lausch

Resumo


A experiência docente aqui relatada foi desenvolvida em aulas de Sociologia na Educação de Jovens e Adultos (EJA), junto a turmas de Ensino Fundamental e Médio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, durante o ano de 2019. O objetivo foi o de realizar encontros de discussão sobre os diversos sentidos da instituição escolar e da educação no nosso país, refletindo sobre as especificidades desta modalidade de ensino face à realidade social brasileira, destacando questões e processos macrossociais, bem como mantendo um olhar atento sobre os sujeitos sociais que compõem a EJA. Para tanto, fizemos leituras, debates, assistimos um documentário, analisamos dados e convidamos os(as) estudantes a expressassem, por meio de textos imagéticos e escritos, suas ideias e concepções em relação as seguintes perguntas: O que a escola e os estudos representam para você hoje e amanhã? Observamos com essa proposta pedagógica um forte engajamento por parte dos(as) estudantes, com momentos de partilha de suas múltiplas representações imbricadas em suas trajetórias escolares.


Texto completo:

p. 47

Referências


ARROYO, Miguel G. Passageiros da Noite: do trabalho para a EJA: itinerários pelo direito a uma vida mais justa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

BASTOS, Deise et al. Uma luta histórica. In: BENVENUTI, Juçara. A chave para o futuro. Porto Alegre: [s. n.], 2016, p. 10-19.

BENVENUTI, Juçara. Letramento, Leitura e Literatura no Ensino Médio da Modalidade de Educação de Jovens e Adultos: uma proposta curricular. Tese de Doutorado. Instituto de Letras /UFRGS. Porto Alegre, 2011. 392 f.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Lisboa, 1973.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº 1, de 5 de julho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e Jovens e Adultos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB012000.pdf. Acesso em: 01 ago. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. MEC/INEP. Censo escolar 2018: notas estatísticas. Brasília, 2018. Disponível em: www.educacenso.inep.gov.br/censobasico/. Acesso em: 14 maio 2019.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE PNAD contínua. Educação 2018. Brasília, 19 jun 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/00e02a8bb67cdedc4fb22601ed264c00.pdf Acesso em: 25 jun 2019.

CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues, MARINHO, Andreia Cidade, OLIVEIRA, Viviane Netto Medeiros de. Trajetórias truncadas, trabalho e futuro: jovens fora de série na escola pública de ensino médio. Educ. Pesqui.,[online] São Paulo, v.41, n.especial, pp.1439-1454, dez 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201508143413. Acesso em: 01 jun. 2018.

CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues. Fora de Série. Documentário. Observatório Jovem do Rio de Janeiro. UFF, 2018.

DURKHEIM, Émile. Educação e Sociologia. São Paulo: Ed Melhoramentos, 1973.

_______________. As regras do método sociológico. São Paulo: Nacional, 1963.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

_____________. Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

_____________.Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 2ª. Ed. RJ: Civ. Brasileira 1978.

JARVIS, Peter. Adult Education & Lifelong Learning. 4. ed. O: Taylor & Francis Ltd, 2010. 338 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica

Indexadores: