O saber-realidade e a constituição docente: tramas da educação matemática contemporânea

Gilberto Silva dos Santos

Resumo


Este trabalho é fruto da discussão elaborada no curso de mestrado (Autor, 2016) em que, com o referencial teórico de cunho pós-estrutural com Michel Foucault e Friedrich Nietzsche, elaboramos uma análise da constituição docente em Educação Matemática. A partir da produção discursiva acerca da realidade, cunhamos o uso pedagógico da realidade. No exercício de constituir uma história do presente – ou seja, uma história de como narramos nossa docência, emergimos nas discussões que elaboram o conceito de etnomatemática e percebemos pistas à constituição de saberes, de modos de ser e agir que compuseram o que denominamos de saber-realidade. Ao olhar como nos constituímos docentes que usam pedagogicamente a realidade, selecionamos documentos contemporâneos que incitam tal uso nos currículos de matemática. Analisamos as prescrições que gritam, mas silenciam; que ensinam como o docente deve avaliar suas condutas, mas – igualmente - como ele não deve avaliá-las. Enfim, os modos pelos quais nos subjetivamos; as redes discursivas que nos interpelam e pelas quais nos tornamos efeitos de suas discursividades. Produto que compõe certa tipologia docente que usa pedagogicamente a realidade; uma docência que toma como sonho a inserção do saber-realidade em suas tramas. 

Palavras-chave


Saber-realidade, Uso pedagógico da realidade, Constituição docente, Educação Matemática.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v9i2.237639

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br