Relações entre atividades de Educação Financeira em livros didáticos de Matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental e o manual do professor

Laís Thalita Bezerra dos Santos, Cristiane Azevêdo do Santos Pessoa

Resumo


O presente artigo é o recorte de um estudo de dissertação que investigou atividades de Educação Financeira (EF) presentes em livros didáticos de Matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático – PNLD (2016). Como questão de pesquisa, coloca-se: as atividades presentes nos livros, por si só, discutem a EF ou precisam das orientações presentes nos manuais dos professores? Como método, foram identificados os livros que possuíam atividades de EF, observando tanto as atividades como as orientações presentes nos manuais. Como resultados, aponta-se: no universo de 48 atividades de EF encontradas, apenas 22 são as que desenvolvem, por si só, uma discussão sobre a EF, sem a necessidade das orientações presentes nos manuais. Assim, há 26 atividades que, sem a leitura do manual, possivelmente pode ocorrer de serem trabalhadas sem que haja a discussão sobre a EF. Há a necessidade de que as discussões sobre EF nos livros ocorram de modo sistemático e que o manual seja um subsídio, mas não um fator decisivo para que o trabalho com a EF ocorra em salas de aula.


Palavras-chave


Educação financeira. Livros didáticos. Manual do professor. Programa nacional do livro didático. Educação matemática

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v9i3.239328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br