De "vilão" a "mocinho": a resolução de problemas como caminho alternativo para o incremento das crenças de autoeficácia de estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental

Cristian Quintão Assis, Edmilson Minoru Torisu, Marger da Conceição Ventura Viana

Resumo


O envolvimento, dedicação e persistência de uma pessoa após assumir uma tarefa e ao longo dela, depende de vários fatores. Dentre eles estão a crenças de autoeficácia, julgamentos que temos em relação às nossas capacidades para realizar algo. Quanto mais robustas as crenças de autoeficácia, maiores as chances de dedicação e persistência no enfrentamento de obstáculos. Na sala de aula de Matemática a resolução de problemas pode servir como estratégia para incrementar as crenças de autoeficácia matemática de estudantes. Neste artigo, apresentamos resultados de uma pesquisa de mestrado, cujo principal objetivo foi desvelar contribuições que a resolução de problemas pode trazer para incrementar as crenças de autoeficácia matemática de estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental, ao participarem de um projeto. Os instrumentos de coleta de dados foram entrevistas, questionários e registros de atividades dos estudantes. Os resultados mostraram que o projeto com resolução de problemas contribuiu para a melhoria das crenças de autoeficácia dos estudantes por meio da autorregulação da aprendizagem, além de ter criado um ambiente propício para que os estudantes pudessem se expressar com liberdade e adquirir, com isso, maior confiança em suas capacidades para resolver problemas.


Palavras-chave


Resolução de problemas, Crenças de autoeficácia, Teoria Social Cognitiva, Psicologia da Educação Matemática, Autorregulação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v11i3.244042

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br