ESPAÇOS NÃO-FORMAIS NO ENSINO DE GEOGRAFIA: A IMPORTÂNCIA DO OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO ANTARES EM FEIRA DE SANTANA/BA

Jonathas Jesus dos Santos

Resumo


O ensino de Geografia, nos espaços não-formais, permite uma saída alternativa das quatro paredes da sala de aula, favorecendo ao estudante contato direto com outras possibilidades de construção do conhecimento. Nesse sentido, o objetivo geral deste trabalho visa compreender como os espaços não-formais de ensino são utilizados pelos professores no/para o ensino da Geografia escolar. Logo, utilizou-se uma abordagem qualitativa para a investigação, com o estudo de caso do Observatório Astronômico Antares em Feira de Santana-Ba. Os instrumentos para a coleta de dados, foram observações, questionários e entrevistas com os professores de Geografia da educação básica. Elaborou-se duas categorias temáticas: A primeira delas, relata a importância dos espaços não-formais de ensino: do discurso à prática, relatando as contradições entre as falas e as práticas dos professores de Geografia, a outra, sobre a utilização dos espaços não-formais no ensino de Geografia.  Constatou-se que grande parte dos professores ainda estão presos ao ambiente escolar, desconhecendo na maioria das vezes as potencialidades de um espaço não-formal de ensino. Entretanto, muitos professores de Geografia utilizam os espaços não-formais, tanto institucionalizados quanto não-institucionalizados, para aulas expositivas e dialogadas, colaborando com a aprendizagem significativa e trazendo ainda mais sentido para o mundo em volta dos alunos.


Palavras-chave


Ensino-Aprendizagem; Espaços não-formais; Recursos didáticos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Ensino de Geografia (Recife) - ISSN: 2594-9616



INDEXADORES E BASE DE DADOS