DO TRADICIONALISMO À POSSIBILIDADE DE SUBVERSÃO: DIÁLOGOS (IM)POSSÍVEIS ENTRE GEOGRAFIA E GÊNERO

Tâmara Carla Gonçalves Bezerra

Resumo


Definir o espaço-escola é difícil. Todas as suas espacialidades atribuem-lhe um caráter contraditório, tanto quanto os atributos que caracterizam o espaço geográfico. Neste trabalho, acatando às múltiplas facetas que a escola apresenta, concebemo-la enquanto um reflexo ativo (produto e produtor) da sociedade. Indissociável a esta realidade, o ensino de geografia se (re)configura no espaço-tempo de acordo com os ordenamentos sociais vigentes. Na contemporaneidade, o ensino de geografia se vê marcado pela emergência de debater temáticas arredadas por um passado não tão distante. Tomando como objetivo refletir aceca dos estorvos a que a educação geográfica construíra espacialmente ao longo dos anos, o presente trabalho faz um recorte a fim de compreender as (im)possibilidades de dialogar com as tão polêmicas questões de gênero. A problemática se configura à medida em que desvelamos que o ensino atual está arraigado às amarras de seu tradicionalismo. Espera-se, aqui, contribuir com a (auto)crítica necessária à dimensão concreta da educação geográfica, a fim de (des)construir e analisar a viabilidade de novos itinerários.


Palavras-chave


Ensino; Gênero; Educação Geográfica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÁNTARA COSTA, Ana; TEIXEIRA, Alexnaldo; MACEDO, Vanin. Introdução. In: Ensino e gênero: Perspectivas transversais. 2011.

BOTÊLHO, Lucas Antônio Viana. TEMÁTICAS DE DIVERSIDADE NA FORMAÇÃO E PRÁTICA DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Revista de Ensino de Geografia, Uberlândia, v. 9, n. 17, p.59-73, 2018.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A Reprodução: Elementos para uma Teoria do Sistema de Ensino. 2. ed. Petrópolis: Ed. Vozes 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2016. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio>. Acesso em: dez. 2016.

CALLAI, Helena Copetti. A Geografia e a escola: muda a geografia? Muda o ensino?. Terra Livre, v. 1, n. 16, p. 133-152, 2015.

COLASANTI, Marina et al. A moça tecelã. Doze reis e a moça no labirinto do vento, v. 11, 2000.

COPATTI, Carina. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA CONTEMPORANEIDADE E A PRÁTICA DOCENTE PARA O DESPERTAR DA CRIATIVIDADE. Revista Espaço e Geografia, v. 20, n. 1, 2017.

FIRMINO, Flávio Henrique; PORCHAT, Patricia. Feminismo, identidade e gênero em Judith Butler: apontamentos a partir de “problemas de gênero”. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, v. 19, n. 1, p. 51-61, 2017.

Foucault, M. (1996). A ordem do discurso. São Paulo: Loyola.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, história e educação: construção e desconstrução. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, 1995.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pósestruturalista. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

MISKOLCI, Richard. Um corpo estranho na sala de aula. Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola, v. 2, p. 13-26, 2005.

MOREIRA, Ruy. A Geografia serve para desvendar máscaras sociais. Geografia, teoria e crítica: o saber posto em questão. Petrópolis: Vozes, p. 33-63, 1982.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Revista crítica de ciências sociais, n. 78, p. 3-46, 2007.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, v. 4, p. 136, 1988.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: HUCITEC, 1994, 190 p.

SILVA, Joseli Maria. Fazendo geografias: pluriversalidades sobre gênero e sexualidade. Geografias Subversivas: discursos sobre espaço, gênero e sexualidades. Ponta Grossa: Todapalavra, p. 25-54, 2009.

SILVA, Joseli Maria. Geografias feministas, sexualidades e corporalidades: desafios às práticas investigativas da ciência geográfica. Espaço e Curtura, n. 27, p. 39-56, 2010.

SWAIN, Tânia Navarro. Entre a vida e a morte, o sexo. Revista Labrys Estudos Feministas, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Ensino de Geografia (Recife)



INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

 
 http://diadorim.ibict.br/bitstream/1/1678/1/azul.jpg