A CIDADE COMO OBJETO DE CONHECIMENTO PARA A EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA

Afonso Vieira Ferreira, Carolina Machado Rocha Busch Pereira

Resumo


Ensinar sobre a cidade tem se constituído em um importante articulador de aprendizagens na educação geográfica. Considerando a importância e a relevância do ensino de cidade, o presente trabalho dedica-se a analisar o ensino de cidade a partir da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Busca-se apresentar as distintas concepções de cidade que fundamentam o debate em diferentes matrizes teóricas. O percurso foi realizado na pesquisa a partir das habilidades da BNCC procurando destacar aquelas que estão relacionadas ao ensino de cidade para o ensino fundamental (anos iniciais e anos finais), localizando-as, por ano escolar e por unidade temática. O resultado da investigação está detalhado neste artigo que apresenta as singularidades do ensino de cidade na educação básica. De modo que o tema cidade está indicado para ensino de Geografia na BNCC em todos os anos escolares e a partir de diferentes relações e conexões. Assume no início da escolarização uma grande aproximação com o lugar de vivência do estudante e portanto uma associação maior com a categoria lugar e paisagem e ao longo do ensino fundamental vai assumindo complexidade em diferentes escalas geográficas e associação com diferentes temas. A BNCC contempla o ensino de cidade em todos os anos do ensino fundamental e relaciona a questão com todas as unidades temáticas.


Palavras-chave


BNCC, ensino fundamental, educação básica, Geografia.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. MEC. Secretaria de Educação Básica. Brasília: 2018.

CALLAI, H. C. Estudar o lugar para compreender o mundo. In: CASTROGIOVANNI, A. et al. Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Medição. 2008. (p. 85-136).

CARLOS, A. F. A. O Espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Contexto, 2007.

_______. A cidade. 9 ed. São Paulo: Contexto, 2011.

CASTELLAR. S. M. V. A cartografia e a construção do conhecimento em contexto escolar. In: ALMEIDA, Rosângela Doin. Novos rumos da cartografia escolar – currículo, linguagem e tecnologia. São Paulo: Contexto, 2011a, p.121-135.

CASTELLAR. S. M. V. A Superação dos limites para uma educação geográfica significativa: um estudo sobre a e na cidade. Revista Geográfica de América Central, Costa Rica, Número Especial EGAL, p. 1-25, 2011b. Disponível em https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2897/2769 Acessado em 20/05/2020.

CASTELLAR. S. M. V. Raciocínio geográfico e a teoria do reconhecimento na formação do professor de geografia. Rev. Signos Geográficos, Goiânia-GO, v.1, 2019. (p. 1-20). Disponível em https://www.revistas.ufg.br/signos Acessado em 20/05/2020.

CASTROGIOVANNI, A. C. Apreensão e compreensão do espaço geográfico. In: _______. et al. Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Medição. 2008. (p. 13-84).

CAVALCANTI, L. S. A Geografia escolar e a cidade: ensaios sobre o ensino de Geografia para a vida urbana cotidiana. 3 ed. Campinas: Papirus, 2012.

_______. Jovens escolares e a cidade: concepções e práticas espaciais urbanas cotidianas. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, n.35, 2013, p. 74-86. Disponível em https://revista.fct.unesp.br/index.php/cpg Acessado em 20/05/2020.

_______. Pensar pela Geografia: ensino e relevância social. Goiânia: C&A Alfa Comunicação, 2019.

CORRÊA, R. L. O espaço Urbano. São Paulo: Ática, 1989.

GOMES, P. C. C. Espaço público: um modo de ser do espaço, um modo de ser no espaço. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORRÊA, R. L. (org.). Olhares geográficos: modos de ver e viver o espaço. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2012. (p. 19-41)

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. Tradução (Rubens Eduardo Frias) 5 ed. São Paulo: Centauro, 2001.

MOREIRA, R. Repensando a geografia. In: SANTOS, M. (Org.). Novos rumos da geografia brasileira. São Paulo: Hucitec, 1982. p. 35-49.

MUMFORD, L. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. Tradução (Neil R. da Silva) 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4 ed. 2 reimp. São Paulo: HUCITEC, 2006.

_______. As cidadanias mutiladas. In LERNER, Julio (ed.) O preconceito. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 1996/1997. (p. 133-144)

_______. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio Técnico-Científico Informacional. 5 ed. São Paulo: Edusp, 2013.

_______. Espaço e Método. 5 ed. São Paulo: Edusp, 2014.

SOUZA, M. L. Conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. 4 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2018.

SPOSITO. M. E. B. Espacialidade, cotidiano e poder. Rev. GEOSUL, n. 9/14, ano VII, 1992, Florianópolis/SC, p.60-65. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/index Acessado em 20/05/2020.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2020.v3n2id245976

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS