Os professores de geografia na perspectiva da educação especial e inclusiva

Lucian Armindo da Silva Brinco

Resumo


O objetivo deste estudo é analisar as experiências, percepções e/ou perspectivas dos professores de geografia em relação aos aspectos da educação especial e inclusiva. Como o desenvolvimento do mesmo se dá durante a pandemia do coronavírus (COVID-19), utiliza-se dos recursos online para obter as respostas de seis (6) docentes, que lecionam em escolas da região central do Estado do RS. Desse modo, os resultados mostram que eles, em geral, não se sentem aptos para trabalharem na perspectiva da escolarização dos alunos com Necessidades Educacionais Especiais (NEEs), dada a época de suas formações acadêmicas. Apenas uma (1) docente também está inserida em cursos de formação continuada na área de educação especial. Colocam, ainda, que as facilidades da inclusão escolar recaem no apoio da família e no Atendimento Educacional Especializado (AEE) e as dificuldades se dão na falta dos mesmos. Por fim, eles enfatizam que existem muitas questões, seja no âmbito das políticas educacionais ou no sistema de ensino e aprendizagem em sua totalidade, que precisam ser reavaliadas, para que os educandos com NEEs se sintam, de fato, incluídos.


Palavras-chave


Educação especial; Educação inclusiva; Professores de geografia

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.51359/2594-9616.2021.246539

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.