INFLUÊNCIA DA MARÉ NA VARIABILIDADE SEDIMENTAR DA BARRA DE CATUAMA, ILHA DE ITAMARACÁ, PERNAMBUCO-BRASIL

Liza Oliveira, Luciana Santos, Manuel Montes, Roberto Barcellos

Resumo


Um estudo sobre a dinâmica e composição sedimentar foi realizado na barra norte do canal de santa Cruz (07°41’S/34°50’W), que separa a Ilha de Itamaracá do continente. O objetivo deste trabalho foi analisar a influência da maré na estrutura sedimentar, sendo realizadas coletas em um transecto transversal, durante um ciclo semidiurno de marés sizígia. As amostras foram coletadas em três pontos equidistantes (ST1, ST2 e ST3), durante uma baixa-mar e uma preamar. Foram realizadas análises de Carbonato de cálcio (CaCO3), matéria orgânica total (MOT) e granulometria. Os resultados da análise granulométrica sofreram tratamento estatístico para obtenção do grau de seleção, diâmetro médio, classificação e composição sedimentar. Foram executadas também análises estatísticas de correlação (Spearman) com os parâmetros de CaCO3, MOT, diâmetro médio e percentual de areia. Os resultados mostraram que na estação próxima ao continente, ST1, o material sedimentar não apresentou nenhuma alteração em sua composição, aumentando apenas os teores de CaCO3 e de MOT (21% a 24%; 1,37% a 1,87% respectivamente) durante a baixa-mar. Na ST2 os teores de CaCO3 e MOT também aumentaram durante a baixa-mar (13,9% a 40,5%; 1,80% a 2,03% respectivamente), enquanto o sedimento varia apenas no grau de seleção (de moderado a pobremente selecionado). A ST3, próxima da ilha, teve um decréscimo de todos os parâmetros analisados em relação à preamar, visto que o CaCO3 caiu de 17,2% para 8,6%, a MOT caiu de 1,30% para 1,23%, assim como o grau de seleção que foi de moderado a pobremente selecionado e a granulação que foi de areia grossa para média. As análises de correlação (Spearman) indicaram relação significativa entre o teor de CaCO3 e MOT (rs= 0,72) e uma relação não significativa desses teores com o diâmetro médio e a fração areia. Conclui-se que embora a granulometria não apresente uma variação intermareal considerável, a maré e a hidrodinâmica dos estuários adjacentes atuam como agentes controladores na deposição da matéria orgânica e do carbonato. Uma vez que as correntes marinhas com direção sul-norte deslocam o material para norte durante a subida da maré e a hidrodinâmica dos rios carreiam esse material para o sul, fazendo com que a ST2 seja uma área de by-pass de sedimentos, que precisamente é o eixo do canal e o ponto médio do transecto de estudo.

Palavras-chave


sedimentação estuarina, estuário de Barra de Catuama maré de sizígia, matéria orgânica total, carbonato de cálcio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v27n2p110-122

Apontamentos

  • Não há apontamentos.