Videogramas de uma Revolução: da transmissão ao vivo a imagem de arquivo

Julia Fagioli

Resumo


Este trabalho tem como objetivo a análise do filme Videogramas de uma revolução (Alemanha, 1991/1992), de Harun Farocki e Andrei Ujica. Busca-se olhar as imagens com os olhos de Walter Benjamin. Para tanto serão trabalhadas as imagens de arquivo, sua fenomenologia, sua importância histórica e sua utilização no cinema. As imagens ao vivo são as imagens de arquivo no momento da sua gênese e, recontextualizadas, adquirem relevância histórica e permitem reconstruir acontecimentos. Outro fator importante é a natureza lacunar das imagens de arquivo, que remete ao não-visível, a algo que está fora de campo.

Palavras-chave


videogramas; imagens de arquivo; ao vivo; montagem; fora de campo

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. Magia e écnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BLÜMLINGER, Christa. Editing Image. Disponível em: http://www.lussasdoc.com/etatsgeneraux/2001/sem_farocki.php4. Acesso em 16 set. 2008.

BRASIL, André. Ensaio de uma revolução. Disponível em: http://www.revistacinetica.com.br/videogramas.htm. Acesso em: 16 set. 2008.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder. A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

DANEY, Serge. A reencenação. In: DANEY, Serge. A Rampa. São Paulo: CosacNaify, 2007.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão Freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Images in spite of all. Four photographs from Auschwitz. Chicago: University of Chicago Press, 2008.

FARGIER, Jean-Paul. Vídeo Gratias. In: Cadernos do Vídeo Brasil. São Paulo: Edições SESC SP, 2007. v.3, n.3.

LISSOVSKY, Maurício. A memória e as condições poéticas do acontecimento. In: GONDAR, Jo; DODEBEI, Vera (orgs). O que é memória social? Rio de Janeiro: Contracapa, 2005.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: Aviso de incêndio. Uma leitura das teses “Sobre o conceito de história”. São Paulo: Boitempo, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: Estética e política. São Paulo: EXO experimental org.; Ed 34, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil