Os Fazeres Musicais do Reggae e do Rap: histórias entrelaçadas

Jaison Hinkel, Kátia Maheirie, Patrícia Wazlawick

Resumo


Este artigo realiza uma análise dos movimentos históricos dos fazeres musicais do reggae e do rap com o intuito de compreender a dimensão psicossocial presente no processo de criação artístico destes gêneros musicais, identificando sua(s) trajetória(s) e problematizando suas interfaces. A partir deste estudo, considerou-se que o reggae e o rap possuem a mesma matriz histórica – a cultura africana, apresentando como característica central a expressão da arte como manifestação política, conservando a rua como referência não apenas de expressão, mas de produção artística.

Palavras-chave


reggae; rap; psicossocial

Texto completo:

PDF

Referências


ABROMOVAY, Miriam, Waiselfisz. et al. Gangues, galeras, chegados e rappers: juventude, violência e cidadania nas cidades da periferia de Brasília. Rio de Janeiro. Garamond, 1999.

ALBUQUERQUE, Carlos. O eterno verão do reggae. São Paulo: Editora 34, 1997.

AMORIM, Lara Santos de. Cenas de uma revolta urbana: movimento hip hop na periferia de Brasília. Brasília, mimeo, 1997

ANDRADE, Elaine Nunes de. Hip Hop: Movimento negro juvenil. In: ANDRADE, Elaine Nunes de. (Org.). Rap e educação: rap é educação. São Paulo: Summus, 1999, 83-91.

ARAÚJO, Elaine Peixoto. O reggae ludovicense: uma leitura do seu sistema léxicosemântico. Revista Philologu, v. 10, n. 28. Rio de Janeiro: CiFEFil, jan/abr., 2004.

AZEVEDO, Amilton Magno Grillu., Silva, Salloma Salomão Jovino da. Os sons que vêm das ruas. In: ANDRADE, Elaine Nunes de. (Org.). Rap e educação: rap é educação. São Paulo: Summus, 1999, 65-82.

CARDOSO, Marco Antônio. A magia do reggae. São Paulo: Martin Clarett, 1997.

CUNHA, Olívia Maria Gomes da. Fazendo a “coisa certa”: reggae, rastas e pentecostais em Salvador. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 23, p. 120-137, out., 1993.

GUARESCHI, Pedrinho. Psicologia social crítica: como prática de libertação. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

MAGRO, Viviane Melo de Mendonça. Adolescentes como autores de si próprios: cotidiano, educação e o hip hop. Cadernos Cedes, v. 22, n. 57, p. 63-75, 2002.

MAHEIRIE, Kátia. Música popular, estilo estático e identidade coletiva. Psicologia Política, v. 2, n. 3, p. 39-54, 2002.

MAHEIRIE, Kátia. Processo de criação no fazer musical: uma objetivação da subjetividade, a partir dos trabalhos de Sartre e Vygotsky. Psicologia em Estudo, v.8, n. 2, p. 147-153, 2003.

MENEZES BASTOS, Rafael José de. A origem do samba como invenção do Brasil: sobre o Feitiço de Oração de Vadico e Noel Rosa (Por que as canções têm música?). Antropologia em Primeira Mão. Florianópolis: Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da UFSC, 1995.

MENEZES BASTOS, Rafael José de. Músicas latino-americanas, hoje: musicalidade e novas fronteiras. Antropologia em primeira mão. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina/Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSC, 1998.

OLIVEIRA, Catarina Farias de. Reggae e hip hop: segmentação X diversidade cultural juvenil. In: INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Anais XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Belo Horizonte, set., 2003.

PIMENTEL, Spensy. O livro vermelho do hip hop, 2000. Disponível em . Acesso em 01 dez 2005.

RICHARDS, Big. Hip hop: consciência e atitude. São Paulo: Livro Pronto, 2005.

ROCHA, Janaina. Domenich, Mirella. Casseano, Patrícia. Hip-Hop: a periferia grita. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

ROSE, Tricia. Um estilo que ninguém segura: política, estilo e a cidade pósindustrial no hip-hop. In: HERSCHMANN, Micael. Abalando os anos 90: funk e hiphop: globalização, violência e estilo cultural. Rio de Janeiro: Rocco, 1997, 192-213.

SILVA, José Carlos Gomes da. Rap na cidade de São Paulo: música, etnicidade e experiência urbana. Campinas: Departamento de Ciências Sociais do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, 1998. Tese de doutorado.

SILVA, José Carlos Gomes da. A experiência do movimento hip hop paulistano. In: ADRADE, Elaine Nunes de. (Org.). Rap e educação: rap é educação. São Paulo: Summus, 1999, 23-38.

SPÓSITO, Marilia Pontes. A sociabilidade juvenil e a rua: novos conflito e ação coletiva na cidade. In: Congresso Internacional de Americanistas. Estocolmo/UPPSALA, 1994.

TELLA, Marco Aurélio Paz. Memória e identidade. In: ANDRADE, Elaine Nunes de. (Org.). Rap e educação: rap é educação. São Paulo: Summus, p. 55-63, 1999.

VIANNA, Hermano. O mundo funk carioca. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

VIDIGAL, Leo. Roots reggae. 2001. Disponível em . Acesso em 01 dez 2005.

VIGOTSKI, Lev Semenovitch. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

WHITE, Timothy. Queimando tudo: a biografia definitiva Bob Marley. 4. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil