Webjornalismo Participativo, a Cauda Longa e o Movimento Pro-Am: sinais da des-re-territorialização no jornalismo digital?

Vivian Belochio

Resumo


O atual estágio de desenvolvimento do jornalismo digital é marcado por uma série de mudanças e readaptações das práticas produtivas das mídias jornalísticas, que podem resultar na des-re-territorialização. As modalidades do jornalismo colaborativo são consideradas propulsoras do processo de transformação. A inclusão de tecnologias móveis de comunicação e de mídias locativas na troca de informações evidencia a possibilidade de ruptura. A colaboração do público em meios jornalísticos tradicionais demonstra o desenvolvimento do movimento Pro-Am, característico da cauda longa.

Palavras-chave


webjornalismo participativo; cauda longa; des-re-territorialização

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Cris. A Cauda Longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Tradução Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro, Elsevier, 2006.

BELOCHIO, V. Jornalismo Colaborativo em Redes Digitais: Estratégia Comunicacional no Ciberespaço. O caso de Zero Hora.com. Dissertação de mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Midiática da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria/RS, 2009.

BARBOSA, Suzana. Jornalismo Digital em Base de Dados (JDBD) - Um paradigma para produtos jornalísticos digitais dinâmicos. Tese de Doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Culturas Contemporâneas da UFBA. Salvador, 2006.

BRAMBILLA, Ana. Jornalismo Open Source: discussão e experimentação do OhmyNews International. Porto Alegre: UFRGS, 2006. Dissertação (Mestrado) em Comunicação e Informação), Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, UFRGS, 2006.

BELOCHIO, Vivian. Jornalismo participativo na rede: des-re territorialização de contextos produtivos? Artigo apresentado no IX Seminário Internacional de Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Porto Alegre, 2007.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede (A era da informação: economia, sociedade e cultura). Volume 1, São Paulo: Editora Paz e Terra, 2a. ed., 1999.

GILLMOR. Dan. Nós, os media. Lisboa: Presença, 2005.

HEWITT, Hugh. Blog: entenda a revolução que vai mudar seu mundo. Tradução Alexandre Martins Morais. – Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2007.

LEMOS, André. Ciberespaço e tecnologias móveis: processos de territorialização e desterritorialização na Cibercultura. Artigo apresentado no 15o Encontro Annual da Compós. Bauru, 2006.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre, RS: Sulina, 2004.

LEMOS, André. Mídia Locativa e Territótios Informacionais. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - XVI COMPÓS: Curitiba/PR, 2007.

LEMOS, André.; CUNHA, P. (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre, 2003; pp. 11-23.

MIELNICZUK, Luciana. Jornalismo na web: Uma Contribuição para o Estudo do Formato da Notícia na Escrita Hipertextual. Tese de Doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Culturas Contemporâneas da UFBA. Salvador, 2006.

PRIMO, Alex. Interação Mediada por Computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.

PRIMO, Alex.; TRÄSEL, Marcelo. Webjornalismo participativo e a produção aberta de notícias. Contracampo (UFF), v.14, p.37-56, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Diretórios e Indexadores: Sumários, LivRe/CNEN, Periódicos UFPE, .periódicos. CAPES (em atualização).

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil