Rádios Livres e a Luta pela Democratização da Comunicação: o caso da Diversidade FM tendo o cotidiano como fio condutor

Fabiano P. Silva

Resumo


Propomos-nos desenvolver, de forma retrospectiva, um percurso dos movimentos pela democratização da comunicação protagonizados pelas rádios livres ocorridos no Brasil a partir da década de 1970 até a aprovação da Lei 9.612 de 1998. Todo esse trajeto não se daria sem a organização e pressão exercida, ao longo dos últimos anos, pelos vários atores sociais envolvidos com a causa da livre comunicação no Brasil. A nível local, examinaremos a experiência da Rádio Diversidade FM e sua luta pela legitimação enquanto veículo comunitário tendo o cotidiano como fio condutor. Assim, o cotidiano compreende um espaço privilegiado de compreensão da vida social com suas mais diversas faces e contradições. Nosso trabalho transita de forma interdisciplinar através de áreas afins e que se entrecruzam no limite proposto neste trabalho a partir de dados etnográficos.

Palavras-chave


rádios livres; rádios comunitárias; democratização; cotidiano

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRIOTTI, Cristiane Dias. O movimento das Rádios Livres e Comunitárias e a democratização dos meios de comunicação no Brasil. Dissertação de mestrado, USP, mimeo, 2004. Disponível em:

COELHO NETO, Armando. Rádio comunitária não é crime. O direito de antena: o espectro eletromagnético como um bem difuso. São Paulo: Ícone, 2002.

COGO, Denise Maria. No ar... uma rádio comunitária. São Paulo: Paulinas, 1998.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. artes do fazer – 2ª ed. – Petrópolis, RJ: Vozes,1994.

FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: o veículo, a história e a técnica. Rio de Janeiro: Editora Sagra Luzzatto, 2001.

LIRA, Bertrand. No ar: as pequenas notáveis! A experiência das rádios livres no Brasil. João Pessoa: Marca da Fantasia/Editora Universitária/UFPB, 1998.

LOPES, Cristiano Aguiar. Política Pública de Radiodifusão Comunitária no Brasil - Exclusão como estratégia de contra-reforma. Dissertação de mestrado, UNB, mimeo, 2005. Disponível em: .

Acesso em: 26 ago. 2009.

LEFEBVRE, Henri. A vida cotidiana no mundo moderno. São Paulo: Ática, 1991.

MATOS, Teresa Cristina Furtado. Rádios comunitárias: sintonia dissonante e “auto-imagem”. Tese de Doutorado, UFC, mimeo, 2006.

NUNES, Marisa Aparecida Meliane. Rádios Livres: O outro Lado da Voz do Brasil. Dissertação de mestrado, USP, mimeo,1995. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2009.

NETO, Armando Coelho. Rádio comunitária não é crime, direito de antena: o espectro eletromagnético como bem difuso. – São Paulo: Ícone, 2002.

PERUZZO, Cecília Krohling. Comunicação nos movimentos populares: a participação na construção da cidadania. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

PAIS, José Machado. Vida cotidiana: enigmas e revelações. São Paulo: Editora Cortez, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil