A Folksonomia do YouTube

Lúcio Siqueira Amaral Filho

Resumo


Uma das características marcantes da internet é a enorme quantidade de informações presentes na rede. Isso porque a web 2.0 exponencializa a possibilidade dos usuários construírem seus próprios conteúdos, publicando e compartilhando-os com os outros usuários da rede. Com o aumento do número de informações cresce a dificudade de encontrá-las, sendo necessário uma organização dessas informações. Surgem, assim, as tags (etiquetas), palavras associadas a conteúdos na rede para facilitar sua futura recuperação. A partir disso, este trabalho pretende delinear algumas concepções teóricas a respeito da folksonomia (etiquetação) de vídeos no YouTube, onde usuários utilizam palavras-chave para que seus vídeos sejam facilmente encontrados em futuras buscas. Para tanto, foi feita uma pesquisa no site pelas expressões “ipod ad” e “ipod commercial”, com o intuito de saber quais os critérios de etiquetação dos vídeos mais visulizados dos resultados.

Palavras-chave


folksonomia; youtube; web 2.0; iPod; vídeo

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, A, AQUINO, M.C. Práticas de folksonomia e social tagging no Last.fm. In: Anais do IHC 08 - VIII Simpósio Brasileiro de Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, Porto Alegre, 2008. Disponível em: http://www.inf.pucrs.br/ihc2008/pt-br/assets/files/ Praticas_Folksonomia_Social_Tagging_ Lastfm.pdf

AQUINO, Maria Clara. Hipertexto 2.0, folksonomia e memória coletiva: um estudo das tags na web. E-Compós, Brasília n. 9, nov. 2007.

AQUINO, Maria Clara. Os blogs na web 2.0: representação e recuperação coletivas de informação. In: AMARAL, Adriana; MONTARDO, Sandra; RECUERO, Raquel (orgs.). Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação. São Paulo: Momento Editorial, 2009. p. 237-256. August 2009 Web Server Survey. Disponível em http://news.netcraft.com/archives/2009/

/31/august_2009_web_server_survey.html. Acessado em 22 de setembro de 2009.

BERNERS-LEE, Tim e MILLER, Eric. The semantic web lifts off. ERCIM News, n.51, 2002. Disponível em http://www.ercim.org/publication/Ercim_ News/enw51/bernerslee.html. Acessado em 25 de setembro de 2009.

CATARINO, Maria Elisabete. Integração da folksonomia nos metadados: identificação de novos elementos como contributo para a descrição de recursos em repositórios. 2009. 257 f. Tese (Doutorado em Tecnologias e Sistemas de Informação) - Departamento de Sistemas de Informação - Universidade do Minho, Braga, Portugal. 2009.

FRAGOSO, Suely. Quem procura acha? O impacto dos buscadores sobre o modelo distributivo da World Wide Web. Disponível em http://www.eptic.com.br/arquivos/Revistas/v.%20IX,n.3,2007/ASuelyFragoso.pdf. Acessado em 21 de setembro de 2009.

GOULART, Rodrigo e MONTARDO, Sandra. Histórico dos mecanismos de busca e suas implicações em comunicação e marketing. Trabalho apresentado no GT História da Mídia Digital, no V Congresso Nacional de História da Mídia. São Paulo, 2007.

GOUVÊA, Cleber e LOH, Stanley. Folksonomias: identificação de padrões na seleção de tags para descrever conteúdos. RESI – Revista Eletrônica de Sistemas de Informação. Ed. 11, n. 2, 2007. Disponível em http://revistas.facecla.com.br/index.php/reinfo/article/ view/214/118. Acessado em 25 de setembro de 2009.

GULI, A e A. SIGNORINI. The Indexable Web is more than 11.5 billion pages. International Conference on the WWW 2005, 10 a 14 de Maio, 2005, Chiba, Japão. Disponível em http://www.cs.uiowa.edu/~asignori/web-size/size indexable-web.pdf. Acessado em 21 de setembro de 2009.

PAIVA, C. C. . YOUTUBE como vetor de Modernização Tecnológica e Desenvolvimento Social. ABCIBER. In: II Simpósio ABCiber. São Paulo: PUCSP, 2008. v. 1. p. 1-15.

RÉGIS, Fátima. Tecnologia de comunicação, entretenimento e competências cognitivas na cibercultura. Revista Famecos. Porto Alegre, 2008. p. 32-37.

VAZ, Paulo. Mediação e tecnologia. In: MENEZES, Francisco; MACHADO, Juremir (orgs.). A genealogia do virtual: comunicação, cultura e tecnologias do imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2008. p. 216-238.

WAL, Wander. Explaining and showing broad and narrow folksonomies. Disponível em http://www.personalinfocloud.com/2005/02/explaining_and_.html. Acessado em 4 de outubro de 2009.

WAL, Wander. Folksonomy coinage and definition. Disponível em http://www.vanderwal.net/folksonomy.html. Acessado em 25 de setembro de 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Diretórios e Indexadores: Sumários, LivRe/CNEN, Periódicos UFPE, .periódicos. CAPES (em atualização).

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil