Identidade de gênero em ação: as percepções dos usuários do Filmow sobre a representação da super-heroína no filme Mulher-Maravilha

Rafael Jose Bona, Rodrigo Paschoal Dalri

Resumo


Os filmes de super-heróis, protagonizados por mulheres, ainda, são minoria frente aos grandes sucessos de bilheterias com protagonistas homens. O sucesso do filme Mulher-Maravilha(2017, Patty Jenkins), por sua vez, quebra paradigmas e evidencia importante contradição em relação a este precedente. Essa pesquisa tem como objetivo analisar a percepção dos internautas do site de rede social Filmowsobre a representação da super-heroína Mulher-Maravilha no longa-metragem. Para isso, foi aplicado um questionário semiaberto com os internautas da plataforma. De tal modo, constatou-se que os respondentes identificam e desaprovam o espaço desproporcional que homens e mulheres têm nos filmes de super-heróis de grandes bilheterias do cinema norte-americano, mesmo que os homens se importem bem menos com tal desigualdade. Identificou-se, ainda, que longas-metragens de ação e de super-heróis, protagonizados por mulheres, podem ter tanta aprovação quanto os filmes de mesmo gênero protagonizados por homens.


Palavras-chave


representação feminina; consumo de mídia; Filmow; Mulher-Maravilha.

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Angela. Métodos qualitativos de pesquisa: uma introdução. In: ABDAL, Alexandre; OLIVEIRA, Maria Carolina Vasconcelos; GHEZZI, Daniela Ribas (Org.). Métodos de pesquisa em ciências sociais: bloco qualitativo. São Paulo: Sesc São Paulo/CEBRAP, 2016.

AVELINO, Rúvila Magalhães; SOARES, Rosana de Lima. Cinema e estigmas sociais: as representações da mulher em "À prova de morte" e "Kill Bill". 2014. 4 f. Projeto de Iniciação Científica (Graduação em Jornalismo) - Departamento de Jornalismo e Editoração, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

BOX OFFICE MOJO. All time worldwide box office grosses. Los Angeles, 2017. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2017.

DENZIN, Norman Kent; LINCOLN, Yvonna Sessions. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DIEESE. Salário mínimo nominal e necessário. São Paulo. 2017. Disponível em: Acesso em: 5 set. 2017.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GUBERNIKOFF, Giselle. A imagem: representação da mulher no cinema. Conexão: Comunicação e Cultura, UCS, Caxias do Sul, v. 8, n. 15, jan./jun. 2009.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LIPPMANN, Walter. Opinião pública. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

MIRA, Maria Celeste. O masculino e o feminino nas narrativas da cultura de massas ou o deslocamento do olhar. Cadernos Pagu, Campinas, n. 21, p. 13-38. 2003.

MONTARDO, S. P. ; SILVA, T. D. T. . Contém spoiler: performance e consumo no site de rede social temático Filmow. Revista Alceu, Rio de Janeiro, v. 15, n. 30, p. 117-132, 2015.

ODININO, Juliane D. P. Q. Heroínas em imagem e ação: agência e representação feminina no desenho animado das meninas super poderosas. Revista Ártemis, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 116-125, jul/dez. 2014.

SEBRAE. Mapeamento e impacto econômico do setor audiovisual no Brasil. [s. l.]. 2016.

SELIGMAN, Laura. Videoclipe, Consumo e Juventude: Representações de si em ambientes de convergência midiática. 2016. 184 f. Tese (Doutorado) - Curso de Comunicação e Linguagens, Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2016.

SIMÕES, Denis Gerson; BITTENCOURT, Maíra. A televisão brasileira no processo de digitalização. In: BRITTOS, Valério Cruz. TV digital, economia, política e democracia. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v16i1.236318

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil