Máscara, profanação e trabalho indignificante: a fotografia como subjetivação dos engraxates de La Paz

Caio Santos, Angela Cristina Salgueiro Marques

Resumo


O objetivo deste texto é elaborar uma análise das imagens de capa do jornal Hormigón Armado, parcialmente produzido e escrito por jovens engraxates de La Paz, Bolívia. Os lustrabotas, como são conhecidos pelos locais, são trabalhadores de rua caracterizados por usarem máscaras durante suas jornadas de trabalho, escondendo suas faces e construindo um anonimato coletivo. Considerando as vulnerabilidades que marcam as experiências desses jovens, podemos identificar o trabalho de engraxate não só como considerado indignificante, como também definidor de modos de vida que não importam. Como resposta a essa estratificação social, a máscara denuncia a discriminação sofrida e oferece proteção à identidade pessoal de cada lustrabota. No entanto, esse gesto também proporciona um isolamento desses sujeitos em relação à própria cidade. Em suas fotografias, podemos identificar uma profanação desse dispositivo (AGAMBEN, 2007), o que pode levar a um processo de subjetivação política (RANCIÈRE, 1996). 


Palavras-chave


Engraxates de La Paz; Máscara; Fotografia; Profanação; Subjetivação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Elogio a Profanação In: AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007. p. 65-80.

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo? In: AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009. p. 25-54. Tradução Vinícius Nicastro Honesko.

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. 2. Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

BRILLO. Produção de Ignásio Costa i Callifa. Barcelona: Natx.tv. 2011. Disponível em: < https://vimeo.com/16431175 > Acesso em 15 abril 2015.

COCCO, Giuseppe. Nova classe média ou nova composição de classe? Lugar Comum: Estudos de Mídia, Cultura e Democracia, Rio de Janeiro, v. 1, n. 40, p.35-52, maio 2013. Disponível em: < http://uninomade.net/wp-content/files_mf/111012130327Nova%20classe%20m%C3%A9dia%20ou%20nova%20composi%C3%A7%C3%A3o%20de%20classe%20-%20Giuseppe%20Cocco.PDF >. Acesso em: 05 ago. 2018.

DUBOIS, Philippe. O Ato Fotográfico e outros ensaios. Campinas: Papirus, 1993

FOUCAULT, Michel. O Corpo Utópico, As Heterotopias: Posfácio de Daniel Defert. São Paulo: n-1 Edições, 2013.

INE, Bolivia: Características de Población y Vivienda.: Censo Nacional de Población y Vivienda 2012. La Paz: Instituto Nacional de Estadística, 2015.

MACIEL, Fabrício; GRILLO, André. O Trabalho que (In)dignifica o Homem. In: SOUZA, Jessé. Ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Ufmg, 2009. Cap. 11. p. 241-280. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2018.

MARQUES, Ângela Cristina Salgueiro; MARTINO, Luís Mauro Sá. Mídia, ética e esfera pública. Belo Horizonte: Ppgcom Ufmg, 2016. 312 p. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2018.

RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. 2. ed. São Paulo: Edira 34, 2009. 72 p. Tradução de Mônica Costa Netto.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012a. Organização Tadeu Capistrano.

RANCIÈRE, Jacques. O Espectador Emancipado. São Paulo: Editora Wmf Martins Fontes, 2012b. Tradução Ivone C. Benedetti.

SCARNECCHIA, Antonella; CAVAGNOUD, Robin. Los chicos lustra calzados de La Paz: el uso del pasamontañas como forma de máscara y símbolo de identidad. Bulletin de L'institut Français D'études Andines, Lima, v. 3, n. 42, p.491-503, 1 dez. 2013. Disponível em: < http://bifea.revues.org/4254 >. Acesso em: 04 ago. 2018.

SCARNECCHIA, Antonella. Identidad y cultura: la máscara en América Latina - El caso de Bolivia. 2008. 126 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Posgrado en Estudios Latinoamericanos, Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de México, México D. F., 2008.

SOUZA, Jessé. Ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v16i2.237985

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil