MIDIATIZAÇÃO DO RACISMO BRASILEIRO: Todecachinho, consumo, cidadania no caso da Youtuber Ana Clara Barbosa

Pablo Moreno Fernandes Viana, Dalila Maria Musa Belmiro

Resumo


Partindo do caso de racismo envolvendo a Youtuber Ana Clara Barbosa, de 11 anos, este trabalho discute o racismo brasileiro em três dimensões (CAMPOS, 2017): cultural, de agência e estrutural. Diante do processo de midiatização do caso de racismo contra a jovem, o trabalho verifica seu desdobramento que culmina na contratação da Youtuber como garota propaganda da linha de produtos Todecachinho, da marca Salon Line, observando a atuação do consumo como instrumento de construção de cidadania na sociedade contemporânea, a partir de sua repercussão no Facebook. O artigo reflete sobre as características do racismo brasileiro, historicamente negado, e o quanto o seu reconhecimento facilita em seu combate, permitindo que grupos silenciados lutem por representação e inclusão que fortaleçam suas identidades.


Palavras-chave


Racismo; Consumo; Cidadania; Midiatização; YouTube

Texto completo:

PDF

Referências


BERTH, J. O que é empoderamento?. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

BRASIL, Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis nos 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003. Diário Oficial da União, Brasília, 20 jul. 2010.

CAMPOS, L. A. Racismo em três dimensões: Uma abordagem realista-crítica. Revista Brasileira de Sociologia. 2017, vol.32, n.95, 329507. Epub Aug 07, 2017. ISSN 1806-9053. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v32n95/0102-6909-rbcsoc-3295072017.pdf

CANCLINI, N. Consumidores e Cidadãos: Conflitos multiculturais da globalização. 4ª ed. Rio de Janeiro, Editora UFRJ. 1999.

CRENSHAW, K. A interseccionalidade na discriminação de raça e gênero. Revista Estudos Feministas, nº1, 2002. Disponível em: http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/09/Kimberle-Crenshaw.pdf

CRENSHAW, K. Mapping the Margins: Intersectionality, Identity Politics, and Violence against Women of Color. Stanford Law Review, Vol. 43, No. 6 (Jul., 1991), pp. 1241-1299. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/1229039

DOUGLAS, M.; ISHERWOOD, B. O Mundo dos Bens: Para uma Antropologia do Consumo. Rio de Janeiro: UFRJ. 2004.

GOMES, P. G. A midiatização: um processo social. In: Filosofia e Ética da Comunicação na Midiatização da Sociedade. São Leopoldo: Unisinos, 2006

LEÃO, N; CANDIDO, M; CAMPOS, L; JÚNIOR, J. Relatório das desigualdades de raça, gênero e classe (gemaa). Rio de Janeiro: UERJ / IESP. n. 1, p. 1, 2017.

SODRÉ, M. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. 2ª Edição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

SODRÉ, M. Claros e escuros: identidade, povo e mídia e cotas no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v17i2.240854

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil