Políticas da Formação Inicial de Professores, em Portugal, Decorrentes de Bolonha: posições da comunidade científica

Ana Rita Leal, Carlinda Leite

Resumo


O artigo analisa posições da comunidade científica acerca das políticas de formação inicial de professores do ensino básico, em Portugal, decorrentes do Processo de Bolonha. O corpus da análise foi constituído por artigos que focam a formação inicial de professores, publicados entre 2005 e 2015, em revistas de educação indexadas nas bases de dados Web of Science, Scopus e na Qualis A1, A2, B1, B2, B3, identificados a partir de palavras-chave. Essa análise, realizada pela técnica de análise de conteúdo, com apoio do Software Nvivo 11, permitiu constatar que as políticas de educação têm sido influenciadas por políticas internacionais que funcionam como uma agenda regulatória global. No que à formação de professores diz respeito, a comunidade científica, nos artigos publicados em revistas indexadas naquelas bases de dados, questiona as condições que estão a ser oferecidas para a socialização com a profissão e com as possibilidades de trazer a profissão para dentro da formação, ou seja, questiona as possibilidades que o Processo de Bolonha instituiu para a existência de uma formação adequada aos desafios que se colocam aos professores neste século XXI.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Interritórios - ISSN: 2525-7668