Pesquisas em diálogo: um olhar para os sentidos de políticas curriculares para a formação de professores

Maria Angélica da Silva, Lucinalva Andrade de Ataíde

Resumo


Compreendendo a pesquisa como um campo de produção discursiva que se configura no diálogo entre o já-dito e o que se está por dizer, este artigo buscou identificar os sentidos de Políticas Curriculares para a Formação de Professores que emergiram das publicações científicas referentes aos anos de 2003 a 2013 na ANPED e de 2002 a 2010 no EPENN, analisando-os frente ao aporte teórico-metodológico da Análise do Discurso (ORLANDI, 2010; 2012). Assim, estabelecemos diálogos entre as produções discursivas e os estudos de Oliveira e Pacheco (2013), Mainardes (2006), Lopes e Macedo (2011), entre outros, que nos auxiliaram a compreender o currículo e as políticas curriculares para a formação de professores enquanto discursos que tencionam intencionalidades. Diante disto, foi possível identificar um movimento de reconfiguração dos sentidos em torno do currículo e das políticas de formação de professores, uma vez que os sujeitos tecem a possibilidade da ressignificação e da recontextualização das políticas curriculares, pautadas na tensão e no conflito dos múltiplos interesses nos múltiplos contextos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Interritórios - ISSN: 2525-7668