Profissionalidade e profissionalismo docente, pensado e tecido na interdependência entre a gestão da escola e o professorado

Carla Patrícia Acioli Lins, Patrícia Renata de Azevedo Leocádio, Marcia Cristina Xavier dos Santos

Resumo


O debate educacional tem se intensificado no que se refere a problematização da formação e profissionalização docente, haja vista sua importância e contribuições na qualificação da educação escolar. Neste artigo, propomos refletir sobre a profissionalidade e profissionalismo docente a partir da escola, espaço no qual gestores e professores desenvolvem e vivenciam experiências relativas a suas atividades, trocam com seus pares, se relacionam e estabelecem compromisso com os alunos, com a comunidade e com a escola, e dispendem esforços para a escola cumprir sua função contribuindo dessa maneira com o desenvolvimento da profissionalidade e profissionalismo docente. Assim, objetivamos analisar as interdependências entre a gestão da escola e o professorado e suas relações com o desenvolvimento da profissionalidade e do profissionalismo docente. Para discutirmos as relações entre as interdependências estabelecidas entre gestão da escola, professorado e a profissionalização docente recorremos aos conceitos de figuração e interdependência de Norbert Elias e profissionalização de Bourdoncle. Entrevistamos professores e gestores do ensino fundamental de uma escola da rede pública municipal de Gravatá - PE. De maneira geral os dados afirmam o movimento da gestão escolar em articular as dimensões administrativa e pedagógica ao contrário da tendência comumente observada de reduzir as “questões de gestão” à natureza, apenas, administrativa indicando movimento dos docentes que atuam na gestão na direção de maior desenvolvimento da profissionalidade e profissionalismo. Por outro lado os projetos/ programas concebidos externamente à escola emergem tensionando as interdependências entre gestão escolar e professorado tendendo o grupo na direção de práticas que podem desprofissionalizar o trabalho docente. Chamamos a atenção para as interdependências entre professorado e a Secretaria Municipal de Educação que se constituem em interdependências importantes para compreendermos o processo de profissionalização do professorado.


Texto completo:

PDF

Referências


BOURDONCLE, Raymond. Artisan moral ou professionnel? La place des valleurs dans la conception de la fonction et de la formation des enseignants. Spirale. Revue de Recherche en Éducation. n. 21, 1998, p. 25-34.

______. La professionnalisation des enseignants: analyses sociologiques anglaises ey américaines. Revue Française de Pedagogie. n. 94, janvier-février-mars 1991, p. 73- 92.

BALL, Stephen J. Performatividade, privatização e o pós-Estado do Bem-Estar. Educação e Sociedade. Campinas, v. 25, n. 89, set.-dez. 2004.

______. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 35, n. 126, set.-dez. 2005.

______. Reformar escolas/reformar professores e os terrores da performatividade. Revista Portuguesa de Educação. Portugal: Universidade do Minho Braga, a. I, v. 15, n. 2. p. 3-23.

CHAPOULIE, Jean-Michel. Sur l’analyse sociologique des groupes professsionnels. Révue Française de Sociologie. a. XIV, 1973, p. 86-114.

DUBAR, Claude. TRIPIER, Pierre. Sociologie des professions. La 2. edition. Paris: Armand Colin, 2005.

ELIAS, Norbert. Escritos e ensaios: estado, processo e opinião pública. vol .1, Rio de Janeiro : Jorge Zahar Editora, 2006.

_____________. O processo civilizador: uma história dos costumes. vol. 1. Rio de Janeiro : Jorge Zahar Editora, 1994.

_____________. Introdução à sociologia. Lisboa: Edições 70, 2005.

ENGUITA, Mariano. A ambiguidade da docência: entre o Alegre, n. 4: p. 41-61, 1991.

______. La condición del docente. Cap. 11. La escuela a examen: un análisis sociológico para educadores y otras personas interesadas. Madrid: Ediciones Pirámide, 1998. p. 183-198.

EVANGELISTA, Olinda; SHIROMA, Eneida Oto. Professor: protagonista e obstáculo da reforma. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 531-541, set.-dez. 2007.

FREIDSON, Eliot. Profissão Médica: um estudo de sociologia do conhecimento aplicado. Trad. André de Faria Pereira Neto e Kvieta Brezinova de Morais. São Paulo:Editora UNESP; Porto Alegre: Sindicato dos Médicos, 2009.

GARCIA, Maria Manuela A.; ANADON, Simone Barreto. Reforma educacional, intensificação e autointensificação do trabalho docente. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 63-85, jan.-abr. 2009.

LESSARD, Claude. Évolution du métier d’enseignant et nouvelle regulation de l’éducation. Recherche et Formation, n. 35, 2000. p. 91-116. Paris: Institute Nacional de Recherche Pedagogiques.

LINS, Carla Patrícia Acioli. "Professor não dá aula, professor desenvolve aula": mudança nas atividades docentes e o processo de profissionalização - o caso de professores do ensino médio. Recife: O autor, 2011. 296 p.. Tese (Doutorado) –Orientador: Profa. Dra. Silke Weber. Universidade Federal de Pernambuco, CFCH.Programa de Pós Graduação em Sociologia. Doutorado em Sociologia, 2011.

LÜDKE, Menga; BOING, Luiz Alberto. Caminhos da profissão e profissionalidade docentes. Educação e Sociedade. V.25, n.89, Campinas, set./dez. 2004.

NÓVOA, Antônio. Para o estudo sócio-histórico da gênese e desenvolvimento da profissão docente. Teoria e Educação, 4, 109 -139p., 1991.

NÓVOA, Antônio. Os professores e a sua formação. 2. ed. Afragide, Portugal:Publicação Dom Quixote, 1992.

______. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 1, jan.-jun. 1999.

PERRUSI, Artur. Tiranias da identidade. 2008. Tese (Doutorado em Sociologia), João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba, 2008.

QUINTANEIRO, Tania. Processo civilizador, sociedade e individuo na teoria Profissionalidade e profissionalismo docente, pensado e tecido na interdependência entre a gestão da escola e o professorado sociológica de Norbert Elias. Belo Horizonte: Argumentum, 2010.

RUSSO, Miguel Henrique. Escola e paradigmas de gestão. Eccos Revista Científica, UNINOV, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 25-42, 2006.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. A colonização da utopia nos discursos sobre profissionalização docente. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 2, p.525-545, jul.-dez. 2009.

SANTOS, Lucíola Licínio de C. P.. Formação de professores na cultura do desempenho. Educação e Sociedade. V.25, n.89 Campinas, set./dez. 2004.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O ofício de professor. Petrópolis: Vozes, 2008.

VILLA, Fernando Gil. A crise do professorado. Campinas, SP: Papirus,1998.

WEBER, Silke. O professorado e o papel da educação na sociedade. Campinas, SP: Papirus, 1996.

______. Profissionalização docente e políticas públicas no Brasil. Educação e Sociedade. V.24, n.85, Campinas, dez.2003.

WITTORSKI, Richard. La professionnalisation en questions. In: Questions de recherches en éducac.ion: action et identité. Paris: L’Harmattan, INRP, 2001. p. 33-48




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v3i4.22529

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.