Negros(as) intelectuais: descolonizando o saber e o poder

Evaldo Ribeiro OLIVEIRA

Resumo


O presente trabalho busca discutir a importância dos intelectuais negros e negra para a construção de novas epistemologias, com o intuito de repensar o poder e a produção de conhecimento. Para tanto, se localiza dentro do contexto de lutas da população negra, não estamos falando de objetos de pesquisa, mas sim, de sujeitos produtores: de suas histórias; de suas pesquisas; suas epistemologias; seus lugares de fala. Desta forma, apresenta o contexto, demarcado pelas relações de poder, de colonialidade e descolonização. E apresentado uma breve compreensão do termo intelectual e por fim, aponta como “caminho”: o “outro da razão”, uma epistemologia desde o Sul, uma outra epistemologia, não hegemônica.

 

Negros Intelectuais. Descolonização. Epistemologias

 

Intellectual Black People: decolonizing knowledge and power

 ABSTRACT

This work aims to discuss the importance of the intellectual black men and women to the construction of new epistemologies, in order to rethink the power and the knowledge production. Therefore, it’’s placed inside the context of the black people movements, not by means of research objects, but subjects that build their own histories, their own researches, epistemologies and place of speech. In this way, it’s presented the context, surrounded by power relations, of coloniality and decoloniality. Also, a brief comprehension of the intellectual concept and lastly, it’s pointed as a “way”: the “other side of the line”, a south epistemology, and another, one that is not hegemonic.

 

Intellectual Black People. Decolonization. Epistemologies


Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, Telmo. Sulear. In.: STRECK R., Danilo; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José. Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BAUMAN, Zygmunt, Legisladores e intérpretes: sobre modernidade, pós-modernidade e intelectuais. Tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2010. Disponível em: http://search.4shared.com/postDownload/lbTgGVWR/BAUMAN_ZygmuntLegisladores_.html. Acessado em 19/12/2011

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Trad. Carmen C., Varriale et al. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, 2004.

CUTI, A empáfia do poeta Gullar. 2011. Disponível em:https://ceert.org.br/noticias/historia-cultura-arte/1788/o-poeta-cuti-responde-ao-poeta-ferreira-gullar-sobre-a-inexistencia-de-uma-literatura-negra. Acessado em 20 abr 2019.

DUSSEL, Enrique. Para una ética de la liberación latinoamericana. Tombo I, Siglo XXI (ed) Buenos Aires: Editora: Siglio Veintiuno 1973.

_______________. Praxis latinoamericana y filosofía de la liberación. Bogotá: Nueva América, 1983.

_______________. Introducción a La Filosofía de La Liberación. Bogotá: Nueva América, 1995a.

______________. Ética de la Liberación en la edad de la Globalización y de la Exclusión. Madrid: Editorial Trotta, 1998.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬

______________. A pedagógica latino-americana (a Antropológica II). In: DUSSEL, Enrique D. Para uma ética da Libertação Latino Americana III: Erótica e Pedagógica. São Paulo: Loyola; Piracicaba: UNIMEP, p. 153-281, 1982.

_______________. Aprender a dizer a sua palavra. In: FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

FISCHER, Lorenzo. Meritocracia. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Trad. Carmen C, Varriale et ai. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998.

GRAMSCI, Antônio. Os intelectuais e a organização da cultura. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

GULLAR, Ferreira. Preconceito cultural. In: Folha de São Paulo. Ilustrada. 04.12.2011.

LANDER, Edgardo. La Colonialidad Del Saber: eurocentrismo y ciencias sociales - perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: CLACSO, p. 41-52, 2000.

LIMA, Dora Lúcia. O enfrentamento do racismo em um projeto democrático: a possibilidade jurídica. In: SOUZA, J. (Org.). Multiculturalismo e racismo: o papel da ação afirmativa nos Estados democráticos contemporâneos. Brasília: Ministério da Justiça, p.179-205, 1996.

MAZRUI, Ali A.; ADE AJAYI, J. F.; ADU BOAHEN, A.; TSHIBANGU, Tshishiku. Tendências da filosofia e da ciência na África. In: MAZRUI, Ali A; WONDJI, Christophe (ed). História geral da África, VIII: África desde 1935. Brasília: UNESCO, 2010.

NASCIMENTO, Abdias. O Quilombismo. Brasília/Rio de Janeiro: Fundação Palmares, 2002.

OUTHWAITE, William; BARROMORE, Tom. Dicionário do pensamento social do Século XX. Trad. Eduardo F. Alves e Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del Poder y Clasificacion Social. In: Special Issue: Festchrift for Immanuel Wallerstein – Part I. Journal of world-systems research. vol.2, summer/fall 2000a, p.342-386. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/se/20140506032333/eje1-7.pdf. Acessado em 20/04/2019

_______________. Colonialidad del Poder, Eurocentrismo y América Latina. In: E. Lander (org.) La Colonialidad del Saber: Eurocentrismo y ciencias sociales. Buenos Aires: Perspectivas latinoamericanas. CLACSO, p. 201-246, 2000b.

_______________. Des/Colonialidad del Poder: El Horizonte Alternativo. In: Observatorio Latinoamericano de Geopolítica. Lima, 2007. Disponível em: http://www.geopolitica.ws/media_files/download/DESCOLONIALIDADDELPODERELHORIZONTEALTERNATIVO.pdf Acessado em 17/01/2012.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: Das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Editora Cortez, 2010.

SANTOS, Joel Rufino. Como podem os intelectuais trabalhar para os pobres. São Paulo Global, 2004.

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. Trad. Sergio Góes de Paula. São Paulo: Atica, 1994.

SILVA, Helenice Rodrigues da. O intelectual no “campo” cultural francês - do "Caso Dreyfus" aos tempos atuais. In: Varia História, UFMG - Belo Horizonte, v. 21, p. 395-413, 2005.

___________________________. Intelectual: Entre mitos e realidades. In: Revista Eletrônica Espaço Acadêmico, Maringá, v. 29, 2003.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e; ARAÚJO-OLIVERA, Sonia Stella. Cidadania, ética e diversidade: desafios para a formação em pesquisa. Apresentado no VI Encuentro – Corredor de las ideas del Cono Sur “Sociedad civil, democracia e integración”, Montevideo, 2004.

SOUZA, Daniela Moura Rocha de. Memória de professores intelectuais como interlocutores do republicanismo em Vitória da Conquista entre os anos de 1910 até 1945. Vitória da Conquista: UESB, 2009.

VIEIRA, Carlos Eduardo. Intelligentsia e intelectuais: sentidos, conceitos e possibilidades para a história intelectual, In: Revista brasileira de educação, nº 16, jan./abr, 2008. Disponível em: http://www.rbhe.sbhe.org.br/index.php/rbhe/article/view/109/120.

Acessado em 21/10/2011

ZUIN, João Carlos Soares. Sobre o neologismo intelectual. In: Estudos de sociologia. Araraquara, v. 8, n. 15, p. 85-101, 2003.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v5i8.241592

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.