A pedagogização do discurso do consumo no processo de escolarização

Patrícia IGNÁCIO

Resumo


RESUMO

O presente artigo investiga o processo de pedagogização do discurso do consumo nas práticas discursivas escolares, dando ênfase às condições de possibilidade para a materialidade do referido discurso no processo de escolarização e à forma como ele opera na produção dos sujeitos escolares para o consumo. Para dar visibilidade à pedagogização do discurso do consumo, a pesquisa compõe uma estratégia analítica inspirada nas proposições de Michel Foucault acerca da análise do discurso e da governamentalidade; nos Estudos Culturais; e nas descrições feitas por autores tais como Bauman, Schor, Lipovetsky, Sarlo, entre outros, sobre a condição humana em tempos marcados pela cultura de consumo. O corpus de análise é composto por textos enunciadores do discurso do consumo no processo de escolarização, retirados das Diretrizes Curriculares Nacionais, dos Parâmetros Curriculares Nacionais, de livros paradidáticos, dos manuais de formação de professores e de Planos do Portal do Professor/MEC. Os resultados apontam para: (1) um quadro de conceitos, objetos e modalidades que reverberam e materializam o discurso do consumo no campo da educação e (2) um conjunto de tecnologias de si – inscritas na rede de sistemas de significações da sociedade de consumo – por meio das quais os sujeitos se observam, se interpretam, se julgam, se narram, se gerenciam e se moldam. Tais dados mostram a forma como as práticas discursivas escolares pedagogizam o discurso do consumo – de acordo com o regime de verdade de campo discursivo da educação -, ensinando os sujeitos escolares a desempenhar o papel de consumidores.

Educação e Consumo. Educação para o Consumo. Escola e Consumo. Processo de Escolarização e Consumo.


The pedagogical transformation of consumption discourse in the schooling process

ABSTRACT

This paper investigates the process of pedagogization of consumption discourse in school discursive practices, emphasizing the conditions of possibility for the materiality of this discourse in the schooling process and the way it operates in the production of school subjects for consumption. To give visibility to the pedagogization of consumer discourse, the research composes an analytical strategy inspired by Michel Foucault's propositions about discourse analysis and governmentality; in Cultural Studies; and in the descriptions made by authors such as Bauman, Schor, Lipovetsky, Sarlo, among others, about the human condition in times marked by consumer culture. The corpus of analysis consists of texts that enunciate the discourse of consumption in the schooling process, taken from the National Curriculum Guidelines, National Curriculum Parameters, paradidmatic books, teacher training manuals and Teacher Portal / MEC Plans. The results point to: (1) a framework of concepts, objects and modalities that reverberate and materialize the discourse of consumption in the field of education and (2) a set of self technologies - inscribed in the network of meaning systems of the consumer society. - through which subjects observe, interpret, judge, narrate, manage and shape themselves. These data show how school discursive practices pedagogize consumer discourse - according to the discursive field truth regime of education - by teaching school subjects to play the role of consumers. 

Education and Consumption. Consumer Education. School and Consumption. Schooling Process and Consumption.

 

Il discorso sul consumo ne la formazione Scientífica

RIASSUNTO

Questo documento cerca di indagare il discorso sul consumo nelle pratiche nelle scuole, sottolineando le condizioni de la materialità del discorso nel processo scolastico e il modo in cui opera nella produzione di materie scolastiche per il consumo. Per dare visibilità alla al discorso del consumatore, la ricerca compone una strategia analitica ispirata alle proposizioni di Michel Foucault sull'analisi del discorso e sulla governabilità; in studi culturali; e nelle descrizioni fatte da autori come Bauman, Schor, Lipovetsky, Sarlo, tra gli altri, sulla condizione umana in tempi segnati dalla cultura del consumo. Il corpus di analisi è costituito da testi che enunciano il discorso del consumo nel processo scolastico, tratti da Linee guida per i curricula nazionali, parametri dei curricula nazionali, libri paradidmatici, manuali di formazione degli insegnanti e piani del portale / MEC per gli insegnanti. I risultati indicano: (1) un quadro di concetti, oggetti e modalità che riverberano e materializzano il discorso del consumo nel campo dell'educazione e (2) un insieme di auto-tecnologie - inscritte nella rete di sistemi di significato della società dei consumi. - attraverso cui i soggetti osservano, interpretano, giudicano, narrano, gestiscono e modellano se stessi. Questi dati mostrano come le pratiche discorsive scolastiche pedagogano il discorso dei consumatori - secondo il regime discorsivo della verità sul campo dell'educazione - insegnando alle materie scolastiche a svolgere il ruolo dei consumatori. 

Istruzione e Consumo. Educazione Al Consumo. Scuola e Consumo. Processo Scolastico e di Consumo.

 

La transformación pedagógica del discurso del consumo en el proceso escolar

RESUMEN

Este artículo investiga el proceso de pedagogización del discurso del consumo en las prácticas discursivas escolares, enfatizando las condiciones de posibilidad para la materialidad de este discurso en el proceso escolar y la forma en que opera en la producción de asignaturas escolares para el consumo. Para dar visibilidad a la pedagogización del discurso del consumidor, la investigación compone una estrategia analítica inspirada en las proposiciones de Michel Foucault sobre el análisis del discurso y la gubernamentalidad; en estudios culturales; y en las descripciones hechas por autores como Bauman, Schor, Lipovetsky, Sarlo, entre otros, sobre la condición humana en tiempos marcados por la cultura del consumidor. El corpus de análisis consiste en textos que enuncian el discurso del consumo en el proceso escolar, tomados de las Pautas del Currículo Nacional, Parámetros del Currículo Nacional, libros paradidmáticos, manuales de capacitación docente y Planes del Portal del Maestro / MEC. Los resultados apuntan a: (1) un marco de conceptos, objetos y modalidades que reverberan y materializan el discurso del consumo en el campo de la educación y (2) un conjunto de auto tecnologías inscritas en la red de sistemas de significado de la sociedad de consumo a través del cual los sujetos se observan, interpretan, juzgan, narran, gestionan y modelan. Estos datos muestran cómo las prácticas discursivas escolares pedagogizan el discurso del consumidor, de acuerdo con el régimen de educación discursiva de campo de la verdad, al enseñar a los sujetos escolares a desempeñar el papel de consumidores.

Educación y consumo. Educación del consumidor. Escuela y consumo. Proceso de escolarización y consumo.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Regina Magna Bonifácio de. A escola e o desenvolvimento do pensamento econômico em crianças: uma proposta de avaliação e intervenção. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 31, 2008, Caxambu. Anais... Rio de Janeiro: ANPEd, 2008.

AROEIRA, Maria Luísa C.; SOARES, Maria Inês B.; MENDES, Rosa Emília A. Didática de pré-escola: vida criança: brincar e aprender. São Paulo: FTD, 1996. AVELINO, Nildo. Governamentalidade e anarqueologia em Michel Foucault. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 25, n.74, p. 139-195, out. 2010.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BERNSTEIN, Basil. A pedagogização do conhecimento: estudos sobre recontextualização. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 120, p. 75-110, nov. 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Consumo sustentável: manual de educação. Brasília: MEC, 2005a.

BRASIL. Ministério da Educação. De onde vêm os produtos que consumimos?: aula. Brasília, DF: MEC, 2009a. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=10031. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Publicidade: uma fábrica de desejos: aula. Brasília, DF: MEC, 2009b. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=7737. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Sustentabilidade no nosso cotidiano: aula. Brasília, DF: MEC, 2009c. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=1864. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Comer, comer para poder crescer: aula. Brasília, DF: MEC, 2010b. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=20840. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Dialogando com o lixo, preservação do ambiente: aula. Brasília, DF: MEC, 2010c. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=10031. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação básica: portal do professor. Brasília, DF: MEC, c2010d. Disponível em: http://gestao2010.mec.gov.br/o_que_foi_feito/program_84.php. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Saúde é o que interessa: de olho na alimentação e na atividade física: aula. Brasília, DF: MEC, 2010e. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=22653. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Consumismo infantil: característica dos tempos modernos?: aula. Brasília, DF: MEC, 2011a. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=29465. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Moda e consumo infantil – UCA: aula. Brasília, DF: MEC, 2011b. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=32196. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Aprendendo com a propaganda: aula. Brasília, DF: MEC, 2012. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=41366. Acesso em: 21 mar. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais gerais da educação básica. Brasília, DF: MEC, 2013.

CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 6. ed. Rio Janeiro: UFRJ, 2006.

COELHO, Maria de Lourdes. Consumo e espaços pedagógicos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

COSTA, Marisa Vorraber. (Org.). A educação na cultura da mídia e consumo. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.

COSTA, Marisa Vorraber; MOMO, Mariangela. Sobre a "conveniência" da escola. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 42, p. 521-533, dez. 2009.

CUNHA, Beatriz Monteiro da. Os heróis e o consumo consciente. São Paulo: Evoluir, 2011.

DELEUZE, Gilles. Foucault. Lisboa: Edições 70, 1986.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 114, p. 197-223, 2001.

FLOR, Douglas Moacir. A convocação para o consumo nas pedagogias culturais – circuitos e teias do complexo Rebelde. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação). Canoas: Centro de Educação da ULBRA. 2007.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: as bases sociais epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do poder. 25. ed. São Paulo: Graal, 2008a.

FOUCAULT, Michael. Ordem do discurso. 16. ed. São Paulo: Loyola, 2008b.

FOUCAULT, Michael.Arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

GARCIA, Edson Gabriel. No mundo do consumo: a administração das necessidades e dos desejos. São Paulo: FTD, 2001.

IGNÁCIO, Patrícia. Aprendendo a consumir com “Três Espiãs Demais”. (Dissertação de Mestrado). Canoas: Centro de Educação da ULBRA. 2007.

JAF, Ivan; PALMA, Daniela. O preço do consumo. São Paulo: Ática, 2008.

KLEIN, Naomi. Sem logo: a tirania das marcas em um planeta vendido. 7. ed. Rio de Janeiro: Record, 2009.

LARROSA, Jorge. A novela pedagógica e a pedagogização da novela. In:____. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. 5. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. p. 117-138.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176, 2001.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo crítico. São Paulo: Cortez, 1997.

MERLI. O camelo, o burro e a água. São Paulo: Melhoramentos, 2010.

MOMO, Mariangela. Mídia e consumo na produção de uma infância pós-moderna que vai à escola (Tese de Doutorado). Porto Alegre: Faculdade de Educação a UFRGS. 2007.

MOMO, Mariangela; COSTA, Marisa Vorraber. Crianças escolares do século XXI: para se pensar uma infância pós-moderna. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 141, p. 965- 991, set./dez. 2010.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisa pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Orgs.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza, 2012.

PERNAMBUCO. Ministério Público. Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor. Direito do consumidor e publicidade enganosa: a escolha certa, brincando e aprendendo a ser um consumidor legal. Recife: Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, 2010.

POPKEWITZ, Thomas S. História do currículo, regulação social e poder. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 173-210.

ROSE, Nikolas. Governando a alma: a formação do eu privado. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Liberdades reguladas. Rio de Janeiro: Vozes, 1998. p. 30-45.

SARFATI, Georges-Élia. Princípios da análise do discurso. São Paulo: Ática, 2010.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e videocultura na Argentina. 4. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2006.

SCHOR, Juliet B. Nascidos para comprar: uma leitura essencial para orientarmos nossas crianças na era do consumismo. São Paulo: Gente, 2009.

TAVARES, Victor. Carlitos contra o consumo. São Paulo: Noovha América, 2011.

VALENÇA, Marcos Moraes. Escola: indústria cultural ou espaço do prazer cultural? (Dissertação de Mestrado). Canoas: Centro de Educação e UFPE. 2002.

VARELA, Julia. O estatuto do saber pedagógico. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 87-96.

VEYNE, Paul Marie. Como se escreve a história. Foucault revoluciona a história. 4. ed. Brasília: UnB, 2008.

WORTMANN, Maria Lúcia Castagena. Análises culturais: um modo de lidar com histórias que interessam à educação. In: COSTA, Maria Vorraber (Org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2007. p. 73-92.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v5i9.243598

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Patrícia IGNÁCIO

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.