Interseccionalidade lésbica? O apelo pelo desmonte de opressões

Vanessa Lima BLAUDT, Marcio CAETANO, Mary RANGEL

Resumo


RESUMO

Com o objetivo de aprofundar as reflexões concernentes às opressões vivenciadas por lésbicas em território latino-americano, este artigo destrincha algumas particularidades do movimento lésbico-feminista considerando-o uma ação política, cujo desígnio é o de aniquilar distintos eixos opressores – entre tantos, o racismo, o classismo, o heterossexismo – que agem juntos. Apelos em favor de incorporar a pluralidade de diferenciações humanas e as desigualdades que se originam dessas diferenças tocam em uma ação fundamental para movimentos visionários, a de promover visibilidades.

Lésbicas. Opressões. Interseccionalidade. 

 

Lesbian intersectionality? The call for the dismantling of oppression 

ABSTRACT

In order to deepen the reflections concerning the oppression to which lesbians are undergone in Latin America, this article examines some particularities of the lesbian feminist movement, which is considered a political action, whose objective is to annihilate different oppressive strands – racism, classism, heterosexism, among others – that act jointly. Appeals for incorporating the plurality of human differentiations and the inequality that is due to theses differences lead to a fundamental action for visionary movements, which is promoting visibilities. 

Lesbians. Oppressions. Intersectionality. 

 

Interseccionalidad lésbica? El llamado al desmantelamiento de la opresión 

RESUMEN

Para profundizar las reflexiones sobre la opresión experimentada por las lesbianas en el territorio latinoamericano, este artículo revela algunas particularidades del movimiento feminista lésbico considerándolo una acción política, cuyo objetivo es aniquilar diferentes ejes opresivos, entre muchos, el racismo, clasismo, heterosexismo, que actúan juntos. Los llamamientos a favor de incorporar la pluralidad de las diferenciaciones humanas y las desigualdades que surgen de estas diferencias se refieren a una acción fundamental para los movimientos visionarios, la de promover la visibilidad.

Lesbianas. Opresiones. Interseccionalidad. 

 

Intersezionalità lesbica? L'appello allo smantellamento dell'oppressione 

SINTESE

Al fine di approfondire le riflessioni sull'oppressione subita dalle lesbiche nel territorio latinoamericano, questo articolo svela alcune particolarità del movimento lesbico-femminista considerandolo un'azione politica, il cui scopo è quello di annientare diversi assi oppressivi - tra i tanti, il razzismo, classismo, eterosessismo - che agiscono insieme. Gli appelli a favore dell'incorporazione della pluralità di differenziazioni umane e delle disuguaglianze che derivano da queste differenze toccano un'azione fondamentale per i movimenti visionari, quella di promuovere la visibilità.

Lesbiche. Oppressioni. Intersezionalità. 


Texto completo:

PDF

Referências


AUAD, Daniela; LAHNI, Cláudia Regina. Cidadania democrática e homossexualidades: comunicação no combate à violência contra as mulheres lésbicas. Emblemas, v. 10, n. 2, p. 147-166, jul./dez. 2013.

CRENSHAW, Kimberlé Williams. Mapping the margins: intersectionality, identity politics, and violence against women of color. Stanford Law Review, v. 43, n. 6, p. 1241-1299, 1991.

CURIEL, Ochy. La nación heterosexual: análisis del discurso jurídico y el régimen heterosexual desde la antropología de la dominación. Bogotá: Edición Brecha Lésbica y En La Frontera, 2013.

DAVIS, Angela. Women, race and class. New York: Random House, 1981.

FALQUET, Jules. De la cama a la calle: perspectivas teóricas lésbico-feministas. Bogotá: Brecha Lésbica, 2006.

FALQUET, Jules. Romper o tabu da heterossexualidade: contribuições da lesbianidade como movimento social e teoria política. Cadernos de Crítica Feminista, ano VI, n. 5, p. 8-31, dez. 2012.

HOOKS, Bell. Ain’t I a woman?: black women and feminism. Cambridge: South End, 1981.

HOOKS, Bell. O feminismo é para todo mundo. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019. LAHNI, Cláudia Regina; AUAD, Daniela. Feminismos e direito à comunicação: lésbicas, bissexuais e transexuais em série. Laplage em Revista, Sorocaba, v. 4, n. 1, p. 92-108, jan./abr. 2018.

LIMA, Fátima. Corpos e processos de subjetivação em mulheres negras e lésbicas. Cadernos de Gênero e Diversidade, v. 4, n. 2, abr./jun. 2018.

LORDE, Audre. Irmã outsider. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

MIÑOSO, Yuderkys Espinosa. Historizar las disputas, indagar las fuentes: hipótesis para pensar el movimiento de lesbianas en América Latina. Atlánticas – Revista Internacional de Estudios Feministas, v. 1, n. 1, p. 240-259, 2016.

MOGROVEJO, Norma. Un amor que se atrevió a decir su nombre: la lucha de las lesbianas y su relación con los movimientos homosexual y feminista em América Latina. México: Plaza y Valdes, 2000.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas, v. 4, n. 5, p. 17-44, 2010.

TEIXEIRA, Analba Brazão; SILVA, Ariana Mara; FIGUEIREDO; Ângela. Um diálogo decolonial na colonial cidade de Cachoeira/BA: entrevista com Ochy Curiel. Cadernos de Gênero e Diversidade, v. 3, n. 4, out./dez. 2017.

WITTIG, Monique. El pensamiento heterosexual y otros ensayos. Madrid: Egales, 2006.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i10.244900

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Vanessa Lima BLAUDT, Marcio CAETANO, Mary RANGEL

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.