Bebês em creches nas zonas rurais do Brasil

Patricia Maria Uchôa SIMÕES, Mariana Uchôa Simões BARBOSA

Resumo


RESUMO

No Brasil, a história da educação institucionalizada dos bebês inicia-se com instituições voltadas para o atendimento das populações mais pobres das cidades e está relacionada à industrialização e urbanização. Essa origem explica, em parte, a escassa oferta de Educação Infantil para as populações rurais, até hoje. O estudo debate a trajetória das creches das zonas rurais, analisa alguns dos indicadores educacionais e dados da implantação do Proinfância nessas áreas. As conclusões apontam para os avanços na legislação e a melhoria dos indicadores educacionais nas primeiras décadas desse século, também apresenta o Proinfância como uma alternativa para as zonas rurais, com a oferta de apoio aos municípios na construção de políticas de inclusão dos bebês em creche com maior qualidade de atendimento. Faz-se necessário a afirmação desses bebês como sujeitos de direitos, da sua educação como condição de cidadania e da especificidade da creche nas zonas rurais como direito à diferença.

Bebês. Creche. Educação Infantil do Campo.

 

Babies in daycare centers in rural Brazil

ABSTRACT

In Brazil, the history of institutionalized baby education begins with institutions aimed at serving the poorest populations in cities and is related to industrialization and urbanization. This origin explains, in part, the scarce offer of Early Childhood Education for rural populations, even today. The study debates the trajectory of daycare centers in rural areas, analyzes some of the educational indicators and data on the implementation of Proinfância in these areas. The conclusions point to advances in legislation and the improvement of educational indicators in the first decades of this century, it also presents Proinfância as an alternative for rural areas, with the offer of support to municipalities in the construction of policies for the inclusion of babies in daycare centers with higher quality of care. It is necessary to affirm these babies as subjects of rights, their education as a condition of citizenship and the specificity of daycare in rural areas as the right to difference.

Babies. Nursery. Rural Early Childhood Education.

 

Bebés en guarderías en zonas rurales de Brasil

RESUMEN

En Brasil, la historia de la educación institucionalizada de bebes comienza con instituciones destinadas a servir a las poblaciones más pobres de las ciudades y está relacionada con la industrialización y la urbanización. Este origen explica, en parte, la escasa oferta de educación de la primera infancia para las poblaciones rurales, incluso hoy en día. El estudio debate la trayectoria de las guarderías en áreas rurales, analiza algunos de los indicadores educacionales y los datos sobre la implementación de “Proinfância” en estas áreas. Las conclusiones apuntan a avances en la legislación y la mejora de los indicadores educacionales en las primeras décadas de este siglo, también presenta a “Proinfância” como una alternativa para las zonas rurales, ofreciendo apoyo a los municipios en la construcción de políticas para la inclusión de bebés en guarderías con mejor calidad de cuidado. Es necesario afirmar que estos bebés son sujetos de derechos, su educación debe ser entendida como condición de ciudadanía y la especificidad de la guardería en las zonas rurales como un derecho a la diferencia.

Bebés. Guardería. Educación de la primera infancia rural.

 

Bambini in asili nele aree rurali del Brasile

SINTESE

In Brasile, la storia dell'educazione al bambino istituzionalizzata inizia con istituzioni progettate per servire le popolazioni più povere delle città ed è legata all'industrializzazione e all'urbanizzazione. Questa origine spiega, in parte, l'offerta limitata di educazione della prima infanzia per le popolazioni rurali, anche oggi. Lo studio discute la traiettoria degli asili nelle aree rurali, analizza alcuni degli indicatori e dati educativi sull'attuazione di "Proinfância" in queste aree. Le conclusioni indicano i progressi della legislazione e il miglioramento degli indicatori educativi nei primi decenni di questo secolo, inoltre presenta "Proinfância" come alternativa alle aree rurali, offrendo supporto ai comuni nella costruzione di politiche per l'inclusione dei bambini negli asili nido con una migliore qualità delle cure. È necessario affermare che questi bambini sono soggetti di diritti, la loro educazione deve essere intesa come una condizione di cittadinanza e la specificità dell'assistenza all'infanzia nelle aree rurali come un diritto alla differenza.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. MEC/CNE. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, v. 67, Sessão 1, p. 32, 9 abril de 2002.

BRASIL. Parâmetros básicos de infraestrutura para instituições de Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006a.

BRASIL. Parâmetros básicos de infra-estrutura para instituições de educação infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006b.

BRASIL. Política nacional de educação infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC/SEB, 2006c.

BRASIL. MEC/CNE. Diretrizes complementares, normas e princípios para o desenvolvimento de políticas públicas de atendimento da Educação Básica do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, v. 81, Sessão 1, p. 25, 29 abril de 2008.

BRASIL. Indicadores de qualidade na educação infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil. Brasília, DF, 2010a.

BRASIL. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária –PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília, Sessão1, 5 de novembro de 2010, 2010b.

BRASIL. MEC. Portaria nº 86, de 1º de fevereiro de 2013. Diário Oficial da União. Institui o Programa Nacional de Educação do Campo - PRONACAMPO, e define suas diretrizes gerais. Brasília, nº 24, Seção 1, p. 28, 04 de fevereiro de 2013, 2013a.

BRASIL. Ministério da Educação/Ministério do Desenvolvimento Agrário/Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 2014. Documento produzido pelo Grupo de Trabalho Interinstitucional - GTI, instituído pela Portaria Interministerial no. 6 de 16 de maio de 2013, 2013b.

BRASIL. Lei Federal 13.005. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF, 25 de junho de 2014.

LEAL, Fernanda Lourdes. Educação Infantil do Campo e Pedagogia: um diálogo a se fazer. Revista Trama Interdisciplinar, São Paulo, v. 7 n.2, p. 164-181, 2016.

MOREIRA, Edna Souza; ROSA, Geângelo de Matos. OLIVEIRA, Isaura Francisco de Educação infantil no campo e os avanços no aspecto legal: reconhecimento da educação como direito social para as crianças camponesas. Revista Brasileira de Educação do Campo, Tocantinópolis, v.2, n.1, p.163-183, 2017.

NASCIMENTO, Maria Letícia Barros Pedroso. A creche da Educação Infantil: entre o ofício e o direito. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 15, n. 29, p.555-566, 2010.

NUNES, Maria Fernanda Rezende; CORSINO, Patrícia; DIDONET, Vital. Educação Infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília: UNESCO. Ministério da Educação / Secretaria de Educação Básica, Fundação Orsa, 2011.

ROSEMBERG, Fúlvia; ARTES, Amélia. O rural e o urbano na oferta de educação para crianças de até 6 anos. In: BARBOSA, Maria Carmen Silveira et al. (Org.). Oferta e demanda de educação infantil no campo. Porto Alegre: Evangraf, 2012, p. 13-69.

ROSEMBERG, Fúlvia. Políticas de educação infantil e avaliação. Cadernos de Pesquisa. v.43, n.148, p.44-75, 2013.

SANTOS, Franciele Soares. Educação do Campo e Educação Urbana: Aproximações e rupturas. Educere et Educare - Revista de Educação, Cascavel/Paraná, v.1, n.1 p.69-72, 2006.

SANTOS, Marilene. Educação do Campo no Plano Nacional de Educação: tensões entre a garantia e a negação do direito à educação. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v.26, n.98, p.185-212, 2018.

SILVA, Ana Paula Soares; PASUCH, Jaqueline; SILVA, Juliana Bezzon. Educação Infantil do Campo. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

VOSS, Dulce Maria da Silva. Os movimentos de recontextualização da política Compromisso Todos pela Educação na gestão do Plano de Ações Articuladas (PAR) e seus efeitos: Um estudo de caso no município de Pinheiro Machado (RS). Tese (Doutorado) apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 2012.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i10.244906

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Patricia Maria Uchôa SIMÕES, Mariana Uchôa Simões BARBOSA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.