NEABs e a Proposição de Educação para as Relações Étnico-raciais

Isis Silva ROZA, Luciano Magela ROZA

Resumo


RESUMO

O artigo objetiva apresentar e discutir como os Núcleos de Estudos AfroBrasileiros estão se configurando como espaços formativos estratégicos para o desenvolvimento de propostas orientadas para reeducação das relações étnicoraciais. O artigo estrutura-se em 3 partes. A primeira apresenta o contexto de ampliação dos NEABs. Para tanto, é elencado um conjunto de iniciativas de combate ao racismo, que foram implementadas a partir das primeiras décadas do século XXI. A segunda parte é dedicada à compreensão da articulação entre os NEABs, a Associação Brasileira de Pesquisadores Negros – ABPN e o Consórcio de NEABs – CONNEABs, assim como a caracterização dos núcleos. A terceira parte dedica-se a discussão sobre as contribuições dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros para as ações orientadas para a reeducação das relações étnico-raciais. Um conjunto de fragmentos de entrevistas de intelectuais negras e negros envolvidas(os) nas atividades dos NEABs é evidenciado.

Ações Afirmativas. Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros. Educação. Relações étnico-raciais.

 

ABSTRACT

This article aims to present and discuss how the Afro-Brazilian Studies Centers are configuring themselves as strategic training spaces for the development of proposals aimed at re-education of ethnic-racial relations. The article is structured in 3 parts. The first presents the context for the expansion of NEABs. To this end, a set of initiatives to combat racism is listed, which were implemented from the first decades of the 21st century. The second part is dedicated to understanding the articulation between the NEABs, the Brazilian Association of Black Researchers - ABPN and the NEABs Consortium - CONNEABs, as well as the characterization of the nuclei. The third part is dedicated to the discussion about the contributions of the Afro-Brazilian Studies Centers to actions oriented towards the re-education of ethnic-racial relations. A set of fragments of interviews by black and black intellectuals involved in the activities of the NEABs is evidenced.

Affirmative Actions. Afro-Brazilian Studies Center. Education. Ethnic-racial relations.

 

RESUMEN

El artículo tiene como objetivo presentar y discutir cómo los “Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros” se configuran como espacios de formación estratégicos para el desarrollo de propuestas orientadas a reeducación de las relaciones étnicoraciales. El artículo está estructurado en 3 partes. La primera presenta el contexto de expansión de los NEAB. De esa manera, se enumera un conjunto de iniciativas para combatir el racismo, que se implementaron desde las primeras décadas del siglo XXI. La segunda parte está dedicada a comprender la articulación entre los NEAB, la “Associação Brasileira de Investigadores Negros” - ABPN y el “Consórcio NEABs – CONNEABs”, así como la caracterización de los núcleos. La tercera parte está dedicada a la discusión sobre las contribuciones de los “Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros” a las acciones orientadas a la reeducación de las relaciones étnico-raciales. Se destaca un conjunto de fragmentos de entrevistas de intelectuales negras y negros involucrados en las actividades de los NEAB.

Acciones afirmativas. Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros. Educación. Relaciones étnico-raciales.

 

SOMMARIO

L'articolo si propone di presentare e discutere come i "Nuclei di studi afrobrasiliani" si configurano come spazi strategici di formazione per lo sviluppo di proposte volte alla rieducazione delle relazioni etnico-razziali. L'articolo è strutturato in 3 parti. La prima presenta il contesto di espansione dei NEAB. In questo modo vengono elencate una serie di iniziative per combattere il razzismo, che sono state attuate sin dai primi decenni del 21 ° secolo. La seconda parte è dedicata alla comprensione dell'articolazione tra i NEAB, l '“Associação Brasileira de Investigadores Negros” - ABPN e il “Consortium NEABs - CONNEABs”, nonché la caratterizzazione dei nuclei. La terza parte è dedicata alla discussione sui contributi dei “Nuclei de Estudos Afro-Brasileiros” alle azioni finalizzate alla rieducazione delle relazioni etnico-razziali. Viene evidenziata una serie di frammenti di interviste ad intellettuali neri e neri coinvolti nelle attività del NEAB.

Azioni affermative. Nucleo di studi afro-brasiliani. Formazione scolastica. Relazioni etnico-razziali.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena; PEREIRA, Amilcar. (Org.). Histórias do movimento negro no Brasil: depoimentos ao Cpdoc. Rio de Janeiro: Pallas/Cpdoc-FGV, 2007.

ALVES, J. A. Lindgren. A Conferência de Durban contra o Racismo e a responsabilidade de todos. Rev. bras. polít. int. [online], vol.45, nº 02, p.198-223, 2002. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73292002000200009. Acesso em: 23 mar. 2017.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 12.990, de 09 de junho de 2014. Dispõe sobre a reserva aos negros 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União. Brasília-DF, 09 jun. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L12990.htm. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Decreto nº 7.824, de 11 de outubro de 2012. Regulamenta a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, que dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Brasília-DF,11 out. 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7824.htm. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Lei 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília-DF, 29 ago. 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial. Brasília-DF, 20 jul. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12288.htm. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação / Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, 2004. Disponível em: http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao. Acesso em: 04 dez. 2018.

BRASIL. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Etnicorraciais e para o Ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana. 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?. Acesso em: 04 de ago. 2016.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Brasília-DF, 09 jan. 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.639.htm. Acesso em: 04 dez. 2018.

CARNEIRO, Sueli. A batalha de Durban. Escritos de uma vida. Sueli Carneiro. São Paulo: Pólen Livros, p. 185-194, 2019.

CARNEIRO, Sueli A construção do outro como não ser como fundamento do ser. [Tese de doutorado]. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2005, p.96.

CASSIANO, Clélia Cristina de F. O mercado do livro didático no Brasil do século XXI: a entrada do capital espanhol na educação nacional. São Paulo: Edusp, 2013.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento Negro Brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo (UFF), Niteroi (RJ), vol.23, 2007.

FERREIRA, Anne de Matos Souza. COELHO, Wilma de Nazaré Baía. Ações dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (NEABS) institucionalizados dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFETS) no período de 2006 a 2017. Revista Exitus, Santarém/PA, Vol.9, Nº5, p.215-242, Edição Especial, 2019.

FILHO, João Bernardo da Silva. Os discursos verbais e iconográficos sobre Negros em Livros Didáticos de História. [Dissertação de Mestrado]. Belo Horizonte: Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, 2005.

GOMES, Nilma Lino. Intelectuais negros e produção do conhecimento: algumas reflexões sobre a realidade brasileira. Epistemologias do sul / Boaventura de Sousa Santos, Maria Paula Meneses [orgs.]. – São Paulo: Cortez, 2010.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial e educação no contexto brasileiro: algumas reflexões. Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Nilma Lino Gomes (Org.). – Belo Horizonte: Autêntica, p.97-110, 2007.

GOMES, Nilma Lino. Levantamento bibliográfico sobre relações raciais e educação: uma contribuição aos pesquisadores e pesquisadoras da área. In: Bibliografia básica sobre relações raciais e educação. Cláudia Miranda, Francisco Lopes de Aguiar e Maria Clara di Pierro [Orgs.] – Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

HALL, Stuart. Que “negro” é esse na cultura negra? In: Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte/Brasília: Editora UFMG/Unesco, p.317-330, 2006.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. 2.ed. – São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

MATTOS, Wilson. MARQUES, Eugênia Portela de Siqueira. Apresentação. In: Educação, relações étnico-raciais e resistência: as experiências dos Núcleos de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas no Brasil. Eugenia Portela Siqueira Marques, Wilker Solidade da Silva [Orgs.] – Assis: Triunfal Gráfica e Editora, 2016.

MIRANDA, Shirley. Et al. Justiça cognitiva: a produção bibliográfica dos NEABs e grupos correlatos. In: Educação das relações étnico-raciais: o estado da arte. Paulo Vinícius Baptista da Silva, Kátia Regis, Shirley Aparecida de Miranda [Orgs.] – Curitiba: NEAB-UFPR e ABPN, 2018.

MUNANGA, Kabengele. Carta do Ilustríssimo Professor Kabengele Munanga às/aos Colegas, companheiras e companheiros do CNPIR. Geledes. 06 dez. 2010. Disponível em: https://www.geledes.org.br/carta-ilustrissimo-prof-kabengele-munanga-asaos-colegas-companheiras-e-companheiros-cnpir/. Acesso em: 10 nov. 2018.

NASCIMENTO, Álvaro Pereira. Qual a condição social dos negros no Brasil no fim da escravidão? O pós-abolição no ensino de História. In: SALGUEIRO, Maria Aparecida Andrade (org.). A República e a questão do negro no Brasil. Rio de Janeiro: Museu da República, p. 11-26, 2005.

OLIVEIRA, Marco A. de. O negro no ensino de história: temas e representações. [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2000.

ROSEMBERG, Fúlvia. Racismo em livros didáticos brasileiros e seu combate: uma revisão da literatura. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.29, n.1, p.125- 146, 2003.

SANTANA, Moisés. COELHO, Wilma. Apresentação: Consórcio dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (CONNEABs). In: O enfrentamento do racismo e preconceito no Brasil: a experiência dos NEABs. Moisés Santana, Wilma de Nazaré Baía Coelho, Paulino Cardoso [Orgs.] – Itajaí, SC: Casa Aberta, 2014.

SANTOS, Sales Augusto dos. Ações Afirmativas nos Governos FHC e Lula: um Balanço. Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Sergipe, n. 24, p. 37-84, jan/jun. 2014.

SILVA, Ana Célia da. A Discriminação do negro no livro didático. 2.ed. Salvador: EDUFBA, 2004.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i12.248991

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Isis Silva ROZA, Luciano Magela ROZA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.