Dança Africana

Nilson Ferreira de ALMEIDA

Resumo


RESUMO 

O presente trabalho possui como finalidade, a partir de uma perspectiva transversal, dissertar sobre a concepção epistemológicas do território da dança africana, compreendendo desta forma a sua importância dentro da cultura da África, adentrando os caminhos que interpelam a realidade, analisando desta forma os significados da esfera dos movimentos e as suas relações, dando importância  para o corpo, os movimentos e os sentidos, entendendo a sua função cultural e a percepção de como habitam o mundo num verdadeiro diálogo crítico entre dança, antropologia e a vida. Com base na Diáspora, compreende-se as técnicas, as estéticas e as poéticas oriundas das formas africanizadas de escrita do corpo. O artigo tem por objetivo evidenciar a dança africana levando ao conhecimento do que elas são na realidade, a razão pela qual se fazem tão presentes no cotidiano dos africanos e os tipos mais comuns reafirmando assim, as diversidades dentro da África e fora dela. A metodologia da pesquisa foi realizada a partir de investigações em páginas eletrônicas, com o intuito de compreender as suas definições, seus contextos e sua importância, reforçando o entendimento sobre elas através de alguns teóricos como Tiérou (2001), Robert Farris-Thompson (1974) e Kariamu Welsh (1985), e dentre outros que reforçam a compreensão dos movimentos da dança africana e do uso do corpo em sua execução. 

Dança africana. Cultura.

 

ABSTRACT

The present work aims, from a transversal perspective, to talk about the epistemological conception of the territory of African dance, thus understanding its importance within the culture of Africa, entering the paths that challenge reality, thus analyzing the meanings of the sphere of movements and their relations, giving importance to the body, movements and senses, understanding their cultural function and the perception of how they inhabit the world in a true critical dialogue between dance, anthropology and life. Based on the Diaspora, the techniques, aesthetics and poetics that come from Africanized forms of body writing are understood. The article aims to highlight the African dance leading to the knowledge of what they are in reality, the reason why they are so present in the daily lives of Africans and the most common types thus reaffirming, the diversities within Africa and outside it. The research methodology was carried out from investigations on electronic pages, in order to understand their definitions, their contexts and their importance, reinforcing the understanding of them through some theorists such as Tiérou (2001), Robert Farris-Thompson (1974 ) and Kariamu Welsh (1985), and among others who reinforce the understanding of African dance movements and the use of the body in their performance.

African dance. Culture.

 

RESUMEN

El propósito del presente trabajo es, desde una perspectiva transversal, discutir sobre la concepción epistemológica del territorio de la danza africana, entendiendo así su importancia dentro de la cultura africana, adentrándonos en los caminos que desafían la realidad, analizando así los significados de la esfera de los movimientos y sus relaciones, dando importancia al cuerpo, los movimientos y los sentidos, comprendiendo su función cultural y la percepción de cómo habitan el mundo en un verdadero diálogo crítico entre danza, antropología y vida. A partir de la Diáspora se entienden las técnicas, la estética y la poética derivadas de las formas africanizadas de escritura del cuerpo. El artículo tiene como objetivo resaltar la danza africana conduciendo al conocimiento de lo que realmente son, la razón por la que están tan presentes en la vida cotidiana de los africanos y los tipos más comunes reafirmando así, las diversidades dentro y fuera de África. La metodología de investigación se llevó a cabo a partir de investigaciones en páginas electrónicas, con el fin de entender sus definiciones, sus contextos y su importancia, reforzando la comprensión de las danzas a través de algunos teóricos como Tiérou (2001), Robert Farris-Thompson (1974) y Kariamu Welsh (1985), y entre otros que refuerzan la comprensión de los movimientos de la danza africana y el uso del cuerpo en su ejecución.

Danza africana. Cultura.

 

SOMMARIO

Lo scopo di questo lavoro è, da una prospettiva trasversale, discutere la concezione epistemologica del territorio della danza africana, comprendendone così l'importanza all'interno della cultura africana, addentrandosi nei percorsi che sfidano la realtà, analizzando così i significati della sfera dei movimenti e delle loro relazioni, dando importanza al corpo, ai movimenti e ai sensi, comprendendone la funzione culturale e la percezione di come abitano il mondo in un vero dialogo critico tra danza, antropologia e vita. Dalla diaspora si comprendono le tecniche, l'estetica e la poetica derivate dalle forme africanizzate della scrittura del corpo. L'articolo si propone di mettere in luce le danze africane portando alla conoscenza di cosa sono realmente, il motivo per cui sono così presenti nella vita quotidiana degli africani e delle tipologie più comuni, riaffermando così le diversità dentro e fuori l'Africa. La metodologia di ricerca è stata realizzata dalla ricerca su pagine elettroniche, al fine di comprenderne le definizioni, i loro contesti e la loro importanza, rafforzando la comprensione delle danze attraverso alcuni teorici come Tiérou (2001), Robert Farris- Thompson (1974) e Kariamu Welsh (1985), e tra gli altri che rafforzano la comprensione dei movimenti della danza africana e l'uso del corpo nella sua esecuzione.

Danza africana. Cultura.


Texto completo:

PDF

Referências


A história do Kora, instrumento musical com as 21 cordas. Disponível em: http://www.koraawards.com/pt/cultura/a-historia-do-kora/. Acesso em: 06 jun. 2020.

ALMEIDA, Rogerio. Aproximações ao imaginário - bússola de investigação poética. Képos, São Paulo 2012.

ASANTE, Kariamu Welsh. African unity: the rhythm unity. Trenton: Africa World Press, 1990.

ASANTE, Kariamu Welsh. Commonalities in african dance: an aesthetic foundation.

ASANTE, Kariamu Welsh. Zimbabwe dance, rhythmic force, ancestral voices: an aesthetic analysis. Trenton: Africa World Press. 2000.

BBC NEWS. Os carregadores de caixão dançarinos que alegram funerais em Gana. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-40734577. Acesso em: 01 jun. 2020.

CAMARA, Laye. O menino negro. Instituto Nacional do Livro e do Disco, 1979.

DEFRANTZ, Thomas F. African American Dance: A Complex History. In: DEFRANTZ, Thomas F. (org.). Dancing Many Drums: Excavations in African American Dance. Madison: University of Wisconsin Press, 2000.

DEFRANTZ, Thomas F. The Black Beat Made Visible: Hip Hop Dance and Body Power. In: LEPECKI, Andre (Org). Of the Presence of the Body: Essays on Dance and Performance Theory. Middletown, CT: Wesleyan University Press, 2004.

FREIRE, Paulo. Cartas à guiné-bissau.: Paz e Terra, Rio de Janeiro 1984.

FUNGILO, Mario de. Dicionário de Percussão. Fundação da Editora da UNESP, São Paulo. 2002.

GIL, José. Metamorfose do corpo, Relógio D’água, São Paulo 1997.

Grupo Abayomi. Disponível em: https://grupoabayomi.wordpress.com/quem-somos/. Acesso em: 06 jun. 2020.

LAYE, Câmara. O Menino Negro. Tradução de Rosa Freire d‟Aguiar. 1 ed. Seguinte, São Paulo: 2013.

OLIVEIRA, David Eduardo de. Cosmovisão Africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Editora Gráfica. Curitiba 2003.

OLIVEIRA, David Eduardo de. Cosmovisão africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2006.

OLIVEIRA, David Eduardo de. Filosofia da ancestralidade como filosofia africana: Educação e cultura afro-brasileira. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação. Número 18: maio-out/2012, p.28-47. Disponível em: http://seer.bce.unb.br/index.php/resafe/article/view/7029. Acesso em 1 de junho de 2020.

OLIVEIRA, David Eduardo de. Filosofia da ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2007.

REIS, João José. A morte e uma festa. Campinas Letras. Campinas 1991.

THOMPSON, R. F. African art in motion. Los Angeles: University of California Press, 1974.

TIÉROU, Alphonse. Dooplé: loi éternelle de la danse africaine. Paris: Maisonneuve & Larose, 1998.

TIÉROU, Alphonse. Si sa danse bouge l’Áfrique bougera. Paris: Maisonneuve et Larose, 2001.

WELSH, Kariamu Asante. African dance. An artistic historical and philosophical inquiry. Eritreia: African World Press, 1998.

WELSH, Kariamu Asante. Commonalities in african dance: an aesthetic foundation. In: DILS, A.; ALBRIGHT, A.C., Moving history/dancing cultures: a dance history reader. Middletown: Wesleyn University Press, 2001.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i12.248997

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Nilson Ferreira de ALMEIDA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.