A Exigência de Novos Padrões no Ensino Jurídico Frente as Novas Tecnologias

Maria Angélica CHICHERA

Resumo


RESUMO

O presente artigo tem por objetivo abordar questões no que dizem respeito aos recursos de aprendizagem utilizados nas salas de aula e a inclusão das novas tecnologias no ensino jurídico, como mais uma opção de ferramenta a ser implementada no processo de ensino e aprendizagem. Importante se faz, verificar se há a compreensão pelos docentes do Direito das reais tendências para o futuro e se os efetivos impactos que as novas tecnologias têm revolucionado o mundo escolar e de como elas estão modificando o modo de pensar e agir dos agentes envolvidos no processo ensino-aprendizagem, numa sociedade globalizada e informatizada. Por se tratar de um estudo descritivo e hipotético, será realizado com base na pesquisa bibliográfica e histórica, utilizando-se do método indutivo.

Educação Jurídica. Tecnologia. Docente. Ensino Jurídico. Novas Formas de Aprendizagem.


ABSTRACT

The aim of this article is to address questions regarding learning resources used in classrooms and the inclusion of new technologies in legal education, as a further option of a tool to be implemented in the teaching and learning process. It is important to verify if there is an understanding by law teachers of the real tendencies for the future and if the effective impacts that the new technologies have revolutionized the school world and how they are modifying the way of thinking and acting of the agents involved in the process teaching-learning, in a globalized and computerized society. Because it is a descriptive and hypothetical study, it will be carried out based on bibliographical and historical research, using the inductive method.

Legal Education. Technology. Teacher. Legal Teaching. New Forms of Learning.


RESUMEN

Este artículo tiene como objetivo abordar cuestiones relativas a los recursos de aprendizaje utilizados en las aulas y la inclusión de las nuevas tecnologías en la enseñanza jurídica, como una opción más de herramienta que puede ser implementada en el proceso de enseñanza y aprendizaje. Es importante comprobar si existe un entendimiento por parte de los profesores de Derecho de las tendencias reales para el futuro, si tienen idea de los impactos efectivos que las nuevas tecnologías han revolucionado el mundo escolar y cómo ellas están cambiando la forma de pensar y actuar de los agentes implicados en el proceso de enseñanza-aprendizaje, en una sociedad globalizada e informatizada. Se trata de un estudio descriptivo e hipotético, se realizará con base en una investigación bibliográfica e histórica, utilizando el método inductivo.

Educación Jurídica. Tecnología. Profesor. Enseñanza Jurídica. Nuevas Formas de Aprendizaje.


SOMMARIO

Questo articolo si propone di affrontare le questioni relative alle risorse di apprendimento utilizzate nelle classi e all'inclusione di nuove tecnologie nell'educazione giuridica, come un'ulteriore opzione di strumento che può essere implementata nel processo di insegnamento e apprendimento. È importante verificare se c'è una comprensione da parte degli insegnanti di diritto delle reali tendenze per il futuro, se hanno un'idea degli impatti effettivi che le nuove tecnologie hanno rivoluzionato il mondo scolastico e di come stanno cambiando il modo di pensare e di agire gli agenti coinvolti nel processo di insegnamento-apprendimento, in una società globalizzata e informatizzata. Si tratta di uno studio descrittivo e ipotetico, sarà condotto sulla base di una ricerca bibliografica e storica, utilizzando il metodo induttivo.

Educazione giuridica. Tecnologia. Insegnante. Educazione legale. Nuovi modi di apprendimento.



Texto completo:

PDF

Referências


BERNARDES, Marciele Berger; ROVER, Aires José. Uso das novas tecnologias de informação e comunicação como ferramentas de modernização do ensino jurídico. Disponível em: http://www.buscalegis.ccj.ufsc.br/revistas/index.php/observatoriodoegov/article/viewFile/33640/32738. Acesso em: 22 fev 2019.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em 3 de março de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/nova/acs_portaria4059.pdf. Acesso em: 03 mar 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5622.htm. Acesso em: 03 mar 2019.

BRITO, Gláucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e novas tecnologias: um (re)pensar. 3. ed. Rev. atual. e ampl. Curitiba: IBPEX, 2011.

CASSELA, Eduardo Marcelo. Governo Eletrônico (Governo on-line) - Aspectos de Viabilização e Otimização dos Serviços Públicos. BuscaLegis.ccj.ufsc.br. Disponível em: http://www.buscalegis.ufsc.br/revistas/files/anexos/3679-3673-1-PB.htm. Acesso em: 10 fev 2019.

CATAPAN, Araci Hack. O conhecimento escolar e o computador. Perspectiva. Florianópolis. v. 24, p. 173-181. Julho-dezembro, 1995.

FANTIN, Monica. Produção cultural para crianças e o cinema na escola. Anais da 26ª Reunião Anual da ANPED, Poços de Caldas, 2008.

FERRAZ JÚNIOR, T. S. Introdução ao Estudo do Direito: Técnica, Decisão e Dominação. São Paulo: Atlas, 1994.

GABRICH, Frederico de Andrade; MENDONÇA, Rômulo Augusto Lasmar. Análise estratégica do ensino jurídico no Século XXI. Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/conpedi/manaus/arquivos/Anais/sao_paulo/2046.pdf. Acesso em: 16 fev 2019.

GRECO, Leonardo. O Ensino Jurídico no Brasil. Disponível em: http://www.mundojuridico.adv.br/sis_artigos/artigos. Acesso em 16 fev 2019.

HOESCHL, Hugo Cesar (Org). Tecnologia da informação jurídica. Disponível em: http://www.i3g.org.br/editora/livros/tecnologiadainformacaojuridica.pdf. Acesso em: 01 mar 2019.

LEVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

LEVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

LITTO, Fredric Michael .Um modelo para prioridades educacionais numa sociedade de informação. In: Pátio – Revista Pedagógica, Ano I, n.3, p.15-21, nov.97/jan98.

LOPES, José Reinaldo de Lima. O direito na história: lições introdutórias. São Paulo: Max Limonad. Morin, Edgar. Os sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 3a. ed. - São Paulo - Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2001.

MEDEIROS, Lucília A. O que é tecnologia. São Paulo, 1993.

MORAN, José Manuel. Internet no ensino. Comunicação & Educação. V (14): janeiro/abril, 1999.

MORAN, José Manuel. A integração das tecnologias na educação. Artigo publicado na revista Informática na Educação: Teoria & Prática. Porto Alegre, vol. 3, n.1 UFRGS. Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação, p. 137-144.

MORAN, José Manuel. Ciência da Informação: como utilizar a Internet na educação. Disponível em: http//www.scielo.br/prof. Moran. Acesso em: 07 mar 2019.

MORAN, José Manuel; MASSETO, Marcos T; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas Tecnologias e mediação pedagógicas. 17.ed. São Paulo: Papirus. 2010.

NEGROPONTE, Nicholas. A Vida Digital. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NISKIER, Arnaldo. A Educação na Virada do Século. Ed. Expressão e Cultura, Rio de Janeiro, 1ª ed., 2001.

OLIVEIRA, Carloney Alves de; FIREMAN, Elton Casado. Ambiente Moodle como apoio ao Curso de Especialização em Gestão Escolar da Escola de Gestores/UFAL In: 2º Simpósio Hipertexto e Tecnologias da Educação, multumodalidade e ensino, 2008. Recife.

PRAKKEN, H. and SARTOR, G. A Dialectical Model of Assessing Conflicting Arguments in Legal Reasoning. Artificial Intelligence and Law. v. 4, n. 3-4, 1996.

RUSCHEL, Aírton José; ROVER, Aires José. O uso das tecnologias web no ensino do direito: a experiência da disciplina Informática Jurídica. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/22518959/Artigo-O-uso-das-tecnologias-web-no-ensino-nodireito-a-experiencia-da-disciplina-Informatica-Juridica. Acesso em: 22 fev 2019.

SABBATINI, Renato. Ambiente de Ensino e Aprendizagem via internet: a plataforma moodle. Disponível em: http://www.ead.edumed.org.br/file.php/1/PlataformaMoodle.pdf. Acesso em: 10 mar 2019.

SANTOS, Laymert Garcia dos. Limites e rupturas na esfera da informação. In: Politizar as novas tecnologias: o impacto sociotécnico da informação digital e genética. Rio de Janeiro: Editora 34, 2003.

SILVEIRA. Vladmir Oliveira da; SANCHES. Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini. A Reprodução do Paradigma Dogmático da Ciência do Direito no Ensino Jurídico e a Necessidade de Mudanças na Pesquisa Jurídica, que Permitam uma Efetiva Educação Jurídica. In: Educação Jurídica. Ed. Saraiva. 2013.

TARGINO, Graça. Novas tecnologias e produção científica: uma relação de causa efeito ou relação de muitos efeitos? Disponível em: www.ufpe.br/snbu/mariatargino.doc. Acesso em: 11 fev 2019.

VALENTE, Joe Armando. Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas, SP: UNICAMP, 1993.

WILLIAMSON, Andy. Getting ready for e democracy: A five-stage maturity model for Community ICT. Disponível em: http://www.public-olicy.unimelb.edu.au/ egovernance/papers/42_Williamson.pdf. Acesso em: 28 fev 2019.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i12.249004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Maria Angélica CHICHERA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.