A prática pedagógica docente humanizadora vivenciada na educação de jovens e adultos: exercício intencional e formativo que requer ação-reflexão transformadora

Edineide Souza Sá Leitao, Marília Gabriela de Menezes Guedes

Resumo


O artigo analisa a prática docente, na perspectiva humanizadora, como exercício dialógico e intencional que se articula à prática pedagógica institucional, contribuindo com a formação dos sujeitos nos processos de escolarização. As reflexões aqui apresentadas resultam de uma pesquisa realizada em um município da região metropolitana do Recife. A abordagem qualitativa presidiu a investigação tendo a coleta de dados utilizado a observação e a entrevista semiestruturada. A organização
e tratamento dos dados fizeram-se através da Análise de Conteúdo de Bardin (2008). Os resultados mostraram aproximações da prática pedagógica docente analisada com os pressupostos da educação humanizadora freireana, na qual o diálogo, numa perspectiva crítica e amorosa, se apresentou como eixo articulador da relação docente-discente e do processo de produção do conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. 5. ed. Lisboa/Portugal: Edições 70, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009..

_____. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 28. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

_____ Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao

pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Centauro, 2006.

GUEDES, M. G. de M.. Contribuição de Paulo Freire para as políticas e práticas curriculares nos sistemas de ensino. 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012.

SOUZA, J. F. E a educação popular: ¿¿ Quê ?? Uma Pedagogia para fundamentar a educação, inclusive escolar, necessária ao povo brasileiro. Recife: Bagaço, 2007.

TURA, M. L. R. A observação do cotidiano escolar. In: ZAGO, N.; CARVALHO, M. P.; VILELA, R. A. T. (Orgs.). Itinerários de Pesquisa. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011, p. 183-206.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista INTERRITÓRIOS