Florística do Entorno de Cavernas em Remanescentes de Mata Atlântica e Caatinga de Sergipe (Floristic of Surrounding Caves in Remnants of Atlantic Rainforest and Caatinga of Sergipe State, Brazil)

José Augusto de Santana Júnior, Elias José da Silva, Eduardo Vinícios da Silva Oliveira, Ana Paula do Nascimento Prata

Resumo


A conservação da vegetação presente no entorno de cavernas contribuiu para a manutenção da biodiversidade, especialmente porque os ecossistemas cavernícolas possuem relações ecológicas únicas. O objetivo deste estudo foi fornecer uma listagem florística dos remanescentes de Mata Atlântica e Caatinga no entorno de sete cavernas em Sergipe. Foram realizadas consultas ao banco de dados do Herbário da Universidade Federal de Sergipe (ASE), e seis expedições de campo (período de setembro/2014 a fevereiro/2015), efetuando-se amostragens num raio de 60 metros da entrada de cada caverna. Após a identificação taxonômica, as espécies foram classificadas em endêmicas e/ou potencialmente invasoras da Mata Atlântica e da Caatinga. Foram registradas 79 espécies em 69 gêneros pertencentes a 38 famílias na Mata Atlântica e 35 espécies em 34 gêneros pertencentes a 20 famílias na Caatinga. Destas, três foram espécies potencialmente invasoras (duas espécies para Mata Atlântica e uma espécie para Caatinga) e seis espécies endêmicas (cinco espécies para Mata Atlântica e uma para a Caatinga). Considerando os dois levantamentos são estimadas 156 espécies para o entorno das cavernas no estado. Apesar dos fragmentos do entorno das cavernas apresentarem-se antropizados, os mesmos possuem riqueza florística significativa e são importantes para a manutenção dos processos ecológicos no ecossistema cavernícola.

 

 

A B S T R A C T

The conservation of the vegetation present in the surroundings of caves contributed to the maintenance of the biodiversity, especially because the cave ecosystems have unique ecological relations. The aim of this paper was provide a floristic list of the Atlantic rainforest and Caatinga (dry forest) remnants in the vicinity of seven caves in Sergipe state, Northeast Brazil. Were realized consultations in database of Herbarium of Federal University of Sergipe (ASE) and six field expeditions (from September/2014 to February/2015), being  the sampling performed within a radius of 60 meters from the entrance of each cave. After the taxonomic identification, the species were classified as endemic and/or invasive alien of the Atlantic rainforest and Caatinga. Were recorded 79 species in 69 genera belonging to 38 families in the Atlantic rainforest and 35 species in 34 genera belonging to 20 families in the Caatinga. Were found three invasive alien species (two species to the Atlantic rainforest and one species for the Caatinga) and six endemic species (five species to the Atlantic rainforest and one for the Caatinga). Considering the two surveys are estimated 156 species for the surroundings of the caves in the state. Despite the surrounding fragments of caves showed to be anthropized, they have significant floristic richness and are important for the maintenance of ecological processes in the cave ecosystem.

Keywords: conservation, natural cavities, biomes.


Palavras-chave


Conservação, Cavidades naturais, Biomas

Texto completo:

PDF

Referências


APG IV, 2016. The Angiosperm Phylogeny Group. An update of the Angiosperm Phylogeny Group Classification for the Orders and Families of Flowering Plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society 181, 1–20.

Aragão, R., Almeida, J.A.P., 2009. Avaliação espaço-temporal do uso do solo na área da bacia do rio Japaratuba - Sergipe através de imagens LANDSAT. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Natal.

Aragão, R., Almeida, J.A.P., Figueiredo, E.E., Srinivasan, V.S., 2011. Mapeamento do potencial de erosão laminar na bacia do rio Japaratuba - SE, via SIG. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 15, 731-740.

Baylão-Junior, H.F., Valcarcel, R., Roppa, C., Nettesheim, F.C., 2011. Levantamento de espécies rústicas em área de pastagem e em remanescente florestal na Mata Atlântica, Piraí-RJ. Floresta e Ambiente 18, 50-59.

Brasil, 2000. Lei nº 9.985, de 18 julho.

Brasil, 2008. Decreto nº 6.640, de 7 novembro.

CPTEC/INPE. Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 2016. Disponível: http://infoclima1.cptec.inpe.br/. Acesso: 08 dez. 2016.

Connel, J.H., 1978. Diversity in tropical rain forest and coral reefs. Science 199, 1302-1310.

CPRM. Serviço Geológico do Brasil, 2016. Espeleologia: o estudo das cavernas. Disponível: http://www.cprm.gov.br/publique/RedesInstitucionais/Rede-de-Bibliotecas---RedeAmetista/Canal/Escola/Espeleologia%3A-o-estudo-das-cavernas-1278.html. Acesso: 12 set. 2016.

Dantas, T.V.P., Nascimento-Júnior, J.E., Ribeiro A.S., Prata, A.P.N., 2010. Florística e estrutura da vegetação arbustiva-arbórea das areias brancas do Parque Nacional Serra de Itabaiana/Sergipe, Brasil. Revista Brasileira de Botânica 33, 575–588.

Deda, R.M., Lucena, M.F.A., Torres, D.S.C., Prata, A.P.N., 2013. Euphorbiaceae S.S.I., in: Prata, A.P.N., Amaral, M.C.E., Farias M.C.V., Alves, M.V. (Orgs.), Flora de Sergipe, v. 1. Gráfica e Editora Triunfo, Aracaju.

Donato, C.R., Ribeiro, A.S., 2011. Caracterização dos impactos ambientais de cavernas do Município de Laranjeiras, Sergipe. Revista Caminhos de Geografia 12, 243 -255.

Donato, C.R., 2011. Análise de impacto sobre as cavernas e seu entorno no município de Laranjeiras, Sergipe. Dissertação (Mestrado). Sergipe, UFS.

Donato, C.R., Ribeiro, A.S., Souto, L.S., 2014. A conservation status index, as an auxiliary tool for the management of cave environments. International Journal of Speleology 43, 315-322.

Ferreira, E.V.R., Prata, A.P.N., Mello, A.A., 2013. Floristic list from a Caatinga remnant in Poço Verde, Sergipe, Brazil. CheckList 9, 1354-1360.

Fernandes, B.S., Pinheiro, C.U.B., Costa-Neto, J.P., Santos, C.L.C., 2014. Importância de uma caverna arenítica para a conservação do Cerrado sudeste maranhense. Revista Geonorte 10, 1-5.

Flora do Brasil 2020 em Construção, 2017. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível: http://floradobrasil.jbrj.gov.br. Acesso: 10 ago. 2017.

Forzza, R.C., Leitman, B.M.T., Walter, A., Costa, J.R., Pirani, M.P., Morim, L.P., Queiroz, G., Martinelli, A.L., Peixoto, M.A.N., Coelho, J.R., Stehmann, J.F.A., Baumgratz, L.G., Hopkins, L.M., 2014. Angiospermas, in: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2014/. Acesso: 12 out. 2014.

Freire, G., Santana, J.P., Rocha, P.A., Ribeiro, A.S., Prata, A.P.N., 2016. Padrões das síndrome de dispersão da vegetação arbustiva-arbórea da Floresta Atlântica e da Caatinga do Estado de Sergipe. Agroforestalis News 1, 36-40.

Gomes, L.A., Deda, R.M., Santos, E., Prata, A.P.N., 2015. Diagnóstico da vegetação do entorno de Cavernas em remanescentes de Mata Atlântica no município de Laranjeiras, Sergipe, Brasil, in: Gomes, L.A., Deda, R.M., Santos, E., Prata, A.P.N. (Org.), Centro da Terra. Grupo Espeleológico de Sergipe, Cavernas de Laranjeiras. 1 ed. Serviços Editoriais, Aracaju.

Giulietti, A.M., Neta, A.L.B., Castro, A.A.J.F., Gamara-Rojas, C.F.L., Sampaio, E.V.S.B., Virgínio, J.F., Queiroz, L.P., Figueiredo, M.A., Rodal, M.J.N., Barbosa, M.R.V., Harley, R.M., 2002. Diagnóstico da Vegetação Nativa do Bioma Caatinga. Disponível: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18267/1/Biodiversidade_Caatinga_parte2.pdf. Acesso: 12 out. 2014.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade, 2014. Disponível: http://www.icmbio.gov.br/cecav/cavidades-naturais-subterraneas. 8 dez. 2014.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade, 2013. Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (CECAV/ICMBIO) e Instituto Terra Brasilis. IV curso de espeleologia e licenciamento ambiental. Brasília.

Instituto Hórus, 2017. Espécies exóticas invasoras: fichas técnicas. Disponível: http://www.institutohorus.org.br/iabin/i3n/index.html. Acesso: 17 jan. 2017.

IUCN, 2017. Red List of Threatened Species. Version 2017-1. Disponível: http://www.iucnredlist.org/. Acesso: 10 ago. 2017.

Landim, M.F., Proença, E.C.B., Sales, A.B., Matos, I.S., 2015. Floristic characterization of Atlantic Rainforest remnant in Southern Sergipe: Crasto Forest. Biota Neotropica 15, 1-16.

Lucena, D.S., Lucena, M.F.A., Alves, M., 2017. Climbers from two rock outcrops in the semi-arid region of Brazil. Check List 13, 417-427.

Machado, W.J., Prata, A.P.N., Mello, A.A., 2012. Floristic composition in areas of Caatinga and Brejo de Altitude in Sergipe state, Brazil. Checklist 8, 1089–1101.

Mota, T.J., Carvalho, F.A., Ivanauskas, N.M., Eisenlohr, P.V., 2017. On the relevance of floristic and quantitative studies to the restoration of degraded areas: the case of the Atlantic Forest hotspot. Aims Environmental Science 4, 42-53.

Mori, S.A., Silva, L.A.M., Lisboa, G., Coradin, L., 1985. Manual de Manejo de Herbário Fanerogâmico. Ilhéus.

Moro, M.F., Souza, V.C., Oliveira-Filho, A.T., Queiroz, L.P., Fraga, C.N., Rodal, M.J.N., Araújo, F.S., Martins, F.R., 2012. Alienígenas na Sala: o que fazer com espécies exóticas em trabalhos de taxonomia, florística e fitossociologia? Revista Acta Botanica Brasilica 26, 991-999.

Mendes, K., Gomes, P., Alves, M., 2010. Floristic inventory of a zone of ecological tension in the Atlantic forest of Northeastern Brazil. Rodriguésia 61, 669–676.

PAN, 2012. Plano de Ação Nacional para a Conservação do Patrimônio Espeleológico nas Áreas Cársticas da Bacia do Rio São Francisco. Cavalcanti, L.F. et al. (Orgs.). Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Brasília.

PLGBB. Programa de Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil, 1988. Piranhas-folhas SC. 24-x-c- VI Sergipe/Alagoas/Bahia, Brasília.

Oliveira, B.R., Godoy, P.S.A., 2007. Composição

florística dos afloramentos rochosos do Morro do Forno, Altinópolis, São Paulo. Biota Neotropica 7, 37-47.

Oliveira, E.V.S., Gomes, L.A., Déda, R.M., Melo, L.M.S., Silva, A.C.C., Farias, M.C.V., Prata, A.P.N., 2016. Floristic survey of the Mata do Junco Wildlife Refuge, Capela, Sergipe State, Brazil. Hoehnea 43, 645-667.

Prata, A.P.N., Amaral, M.C.E., Farias M.C.V., Alves, M.V. (Orgs.), 2013. Flora de Sergipe, v. 1. Gráfica e Editora Triunfo, Aracaju.

Prata, A.P.N., Farias, M.C.V., Landim, M.F. (Orgs.). 2015. Flora de Sergipe (volume 2). Editora Criação, Aracaju.

Santana, M.E.V., Souto, L.S., Dantas, M.A.T., 2010. Diversidade de invertebrados cavernícolas na Toca da Raposa (Simão Dias-Sergipe): o papel do recurso alimentar e métodos de amostragem. Scientia Plena 6, 1-8.

Silva, A.C.C., Prata, A.P.N., Mello, A.A., 2013. Flowering plants of the Grota do Angico Natural Monument, Caatinga of Sergipe, Brazil. CheckList 9, 733-739.

SEMARH – SE. Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, 2015. Disponível: http://www.semarh.se.gov.br/modules/news/article.php?storyid=1848. Acesso: 30 ago. 2016.

Sergipe, 2015. Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Atlas Digital Sobre Recursos Hídricos Sergipe. Sirhse/Srh, Aracaju.

Souza, V.C., Lorenzi, H., 2012. Botânica Sistemática: guia Ilustrado para identificação das famílias de fanerógamas nativas e exóticas no Brasil, Baseado em APG III. Instituto Plantarum, 3 ed. Odessa, São Paulo.

Souza-Alves, J.P., Barbosa, M.R.V., Ferrari, S.F., Thomas, W.M.W., 2014. Diversity of trees and lianas in two sites in the Coastal Atlantic Forest of Sergipe, Northeastern Brazil. Checklist 10, 709–717.

Stehmann, J.R., Forzza, R.C., Salino, A., Sobral, M. Costa, D.P., Kamino, L.H.Y., 2009. Plantas da Floresta Atlântica. Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Stropp, J., Ladle, R.J., Malhado, A.C.M., Hortal, J., Gaffuri, J., Temperley, W.H., Skøien, J.O., Mayaux P., 2016. Mapping ignorance: 300 years of collecting flowering plants in Africa. Global Ecology and Biogeography 25, 1085–1096.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v10.6.p192-205

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License