Análise de risco climático para semeadura do arroz no Sul do Estado do Maranhão (Climate risk analysis for rice sowing in the South of the State of Maranhão)

Italo Ramon Januario, Ronaldo Haroldo Nascimento de Menezes, Osmar Evandro Toledo Bonfim

Resumo


O arroz é considerado o produto de maior importância econômica em muitos países em desenvolvimento. Devido a isso, os estudos científicos para a cultura do arroz são fundamentais, não só para o Estado do Maranhão, mas em um âmbito regional, pois em toda a região nordeste existe plantio de arroz de sequeiro e com forte dependência das condições climáticas, principalmente no que diz respeito à dependência do regime pluviométrico. O objetivo deste trabalho foi identificar o risco climático para a definição das melhores épocas de plantio da cultura do arroz no Sul do Estado do Maranhão. Os dados utilizados foram do acervo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE; Série histórica de precipitação e temperatura no Estado do Maranhão obtidas da Agência Nacional de Águas – ANA e Instituto Nacional de Meteorologia – INMET. O zoneamento agroclimático de risco foi efetuado utilizando o programa computacional Sarrazon. O risco climático para cada cultura do arroz foi definido da seguinte forma: ISNA > 0,65 – Baixo risco climático, região favorável ao plantio; 0,55 < ISNA < 0,65 – região intermediária; ISNA < 0,55 – Alto risco climático, região desfavorável ao plantio.  Para a Região Sul do Estado do Maranhão, o arroz pode ser semeado desde o segundo decêndio de novembro ao primeiro decêndio de dezembro para solos com CAD de 20 mm e 30 mm. Para solos com CAD de 40 mm, este período vai desde o segundo decêndio de novembro ao segundo decêndio de dezembro. 




 

A B S T R A C T

 

Rice is considered the most economically important product in many developing countries. Due to this, the scientific studies for the rice culture are fundamental, not only for the State of Maranhao, but in a regional scope, since in the northeastern region there exists plantation of rainfed rice and with strong dependence of the climatic conditions, mainly in relation to the dependence of the pluviometric regime. The objective of this work was to identify the climatic risk for the definition of the best times of planting of the rice crop in the South of the State of Maranhao. The data used were from the collection of the Brazilian Institute of Geography and Statistics - BIGS; Historical series of precipitation and temperature in the State of Maranhao obtained from the National Water Agency - NWA and National Institute of Meteorology - NIMET. The agroclimatic risk zoning was carried out using the Sarrazon computer program. The climatic risk for each rice crop was defined as follows: ISNA> 0.65 - Low climatic risk, favorable for planting; 0.55 <ISNA <0.65 - intermediate region; ISNA <0.55 - High climatic risk, unfavorable region to planting. For the South Region of the State of Maranhão, rice can be sown from the second decade of November to the first december of December for soils with 20 mm and 30 mm CAD. For soils with CAD of 40 mm, this period goes from the second decade of November to the second decade of December.

 

Keywords: Risk Zoning; Water Balance; Agrometeorology; Oryza sativa.



Palavras-chave


Zoneamento de risco; Balanço Hídrico; Agrometeorologia; Oryza sativa.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade Júnior, A.S., Melo, F. de B., Bastos, E.A., 2001. Zoneamento de risco climático para o feijão caupi no Piauí. V Reunião Nacional de Pesquisa de Caupi 5, 3-7.

Assad, E.D., Evangelista, B. A. Sans, L.M.A., Farias, J.R., Silva, S.C. 1997. Zoneamento agroclimático para grãos na região do Meio-Norte Brasileiro. In: Simpósio Sobre Os Cerrados Do Meio-Norte 1, 20-38.

Baron, C., Perez, P., Maraux, F., 1996. Sarrazon - Bilan hidrique applique au zonage. Montpellier: Cirad, 26.

Carvalho, A.L., 2010. Estação de cultivo baseada na precipitação pluvial diária e na ocorrência de períodos secos para a região de Rio Largo, Alagoas. Dissertação (Mestrado em Meteorologia) Maceió, UFAL.

Doorenbos, J., Kassam, A.H., 1979. Yield response to water. Rome: Food and Agriculture Organization of the United Nations, 33, 193.

Dourado Neto, D., Jong Van Lier, Q., 1991. Programa para elaboração do Balanço hídrico para culturas anuais e perenes. Manual do Usuário. Piracicaba, ESALQ, 58.

FAO. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Fao rice Information. Roma, dez. 2002. v. 3. Disponível: http://www.fao.org/docrep/015/al989e/al989e99.pdf. Acesso: 15 jan. 2015.

Ferreira, C.M., Dell Vilar, P.M., 2004. Aspectos da produção e do mercado de arroz. Informe Agropecuário 25, 11-18.

Lorençoni, R., Dourado Neto, D., Heinemann, A.B., 2010. Calibração e avaliação do modelo ORYZA-APSIM para o arroz de terras altas no Brasil. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza 41, 605-613.

Menezes, R.H.N., 2009. Caracterização agroclimática e análise do rendimento agrícola do estado do Maranhão. Tese (Doutorado). Campina Grande, UFCG.

Silva, G. B., Azevedo, P. V. de., 2000. Potencial edafoclimático da "Chapada Diamantina" no Estado da Bahia para o cultivo de citrus. Revista Brasileira de Agrometeorologia, 8, 1, 133-139.

Silva, S. C., Assad, E. D., 2001. Zoneamento de riscos climáticos para o arroz de sequeiro nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Tocantins e Bahia. Revista Brasileira de Agrometeorologia 9, 536-543.

Souza, R.A.R., 2003. Comportamento de cultivares de arroz de terras altas em função do preparo do solo e irrigação por aspersão, em Latossolo vermelho de cerrado, Brasil. Dissertação (Mestrado em Agronomia). São Paulo, UNESP.

Steinmetz, S., Reyniers, F. N., Forest, F., 1985. Evaluation of the climatic risk on upland rice in Brazil. In: Colloque “resistence a la secheresse en millieu intertropicale: quelles recherches pour le moyen terme?” Paris. Cirad, 43-54.

Thornthwaite, C. W., 1948. An Approach toward a Rational Classification of Climate. Geographical Review 38, 55-94.

Thornthwaite, C.W., Mather, J.R., 1955. The water balance: publications in climatology. New Jersey: Drexel Institute of Technology, 104.

Wander, A.E., Chaves, M.O., 2001. Consumo aparente per capita de arroz no Brasil, 1991 a 2010. Congresso Brasileiro De Arroz Irrigado. Disponível: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/899182/1/se749.pdf. Acesso: 05 de out. 2015.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.4.p1241-1250

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License