Diagnóstico de um Complexo Convectivo de Mesoescala Observado no Semiárido do Nordeste Brasileiro (Mesoscale Convective Complex diagnosis observed in Semi-arid of Northeast Brazil)

Matheus José Arruda Lyra, Osmar Evandro Toledo Bonfim, Natalia Fedorova, Vladimir Levit

Resumo


Este estudo apresenta uma completa análise do ciclo de vida, da trajetória e das condições sinóticas e termodinâmicas associadas à atuação de um Complexo Convectivo de Mesoescala (CCM) observado no dia 02 de março de 2015 sobre o semiárido brasileiro no Nordeste do Brasil (NEB). O CCM foi identificado através da análise das imagens do satélite GOES-13 nos canais infravermelho e vapor d’água, com intervalos de 1 hora entre os dias 01 e 02 de Março de 2015. Dados de reanálise II do National Centers for Environmental (NCEP) foram usados em conjunto com o software GrADS para a confecção dos campos meteorológicos. Os dados de trovoada foram obtidos através do satélite Tropical Rainfall Measuring Mission (TRMM). O estudo termodinâmico foi baseado na análise dos perfis verticais de temperatura e umidade previstos com até 48h de antecedência. O CCM em estudo apresentou um ciclo de vida de 7 horas, englobando uma área de cerca de 110.000 km² ocasionando aumento na precipitação e eventos de trovoadas para a região. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) se mostrou o principal sistema associado à formação do CCM, além da contribuição dos ventos alísios de sudeste para o transporte de umidade vindo do Oceano Atlântico. As condições termodinâmicas da atmosfera para o dia do evento, como temperatura e umidade do ar, mostraram-se favoráveis ao desenvolvimento do CCM observado. A previsão foi realizada através das trajetórias das parcelas de ar utilizando o modelo HYSPLIT nos 10 níveis padrões. Os perfis previstos com 24 horas de antecedência foram considerados satisfatórios.

 

 

 

A B S T R A C T

 

This study presents a complete analysis of the life cycle, trajectory, synoptycal and thermodynamic conditions associated with a Mesoscale Convective Complex (MCC). It was observed on 02 of March 2015 on semi-arid region in the Brazilian Northeast (BNE). GOES-13 satellite infrared (IR) and Water Vapor (WV) images were used in the MCC identification, with intervals of 1 hour from 01 to 02 of March 2015. Reanalysis data II of the National Center for Environmental (NCEP) were used together with the GrADS software for the construction of meteorological fields. Thunderstorm data were provided by the Tropical Rainfall Measuring Mission satellite (TRMM). Thermodynamic study was based on the analysis of the temperature and humidity vertical profiles provided for up to 48 hours antecedence. The MCC under study presented a life cycle of 7 hours, encompassing an area of about 110,000 km², causing an increase in precipitation and thunderstorm events for the region. The Intertropical Convergence Zone (ITCZ) was the main system associated with the formation of the MCC, in addition to the contribution of the southeast trade winds to the transport of moisture from the Atlantic Ocean. Thermodynamic conditions of the atmosphere for the event day, such as air temperature and humidity, were favorable to the development of the observed MCC. The prediction was performed through the air trajectories parcels using the HYSPLIT model in the 10 standard levels. Vertical profiles with 24 hours antecedence were considered satisfactory.

Keywords: Precipitation, Synoptic Scales, Thermodynamic Conditions of the Atmosphere.


Palavras-chave


Precipitação, Escalas Sinóticas, Condições Termodinâmicas da Atmosfera.

Texto completo:

PDF

Referências


Brito, B. M.; Levit, V.; Fedorova, N.; Molion, L. C. B.; Tenório, R. S.; Rodrigues, R. N.; Da Silva, B. F.P., 2011. Análise do Comportamento das trovoadas no Estado de Alagoas, Previsão à Curto Prazo. Revista Brasileira de Meteorologia, v.26, p. 243-256.

Cordeiro, E. S.; Silva, N. M.; Levit, V.; Fedorova, N., 2013. Análise Termodinâmica e frequência de trovoadas entre os anos de 2008 a 2012 em Maceió, Alagoas; Revista Brasileira de Geografia Física, v. 6, n. 5, p. 1208-1226.

Dal Piva, E.; Gan, M. A.; Anabor, V.; Puhales, F. S., 2016. Numerical Simulations with a Mesoscale Convective Complex in South America. American Journal of Environmental Engineering, v. 6, p.84-93.

Fedorova, N.; Levit, V.; Rodrigues, L. R. L.; Costa, S. B., 2008. Mesoscale Convective Complex Genesis and forecast in Alagoas State of Brazil. Journal of the Georgian Geophysical Society, v.12, p. 36-44.

Lyra, M. J. A., 2018. Influência dos processos físicos e sinóticos nas trajetórias dos complexos convectivos de mesoescala no nordeste brasileiro entre 2008 e 2015. Dissertação (Mestrado). Maceió, ICAT, 72p.

Lyra, M. J. A., 2016. Processos de formação e deslocamento dos Complexos Convectivos de Mesoescala no Nordeste Brasileiro. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação). Maceió, ICAT, 85 f.

Maddox, R. A., 1980. Mesoscale Convective Complexes. Bulletin of the American Meteorological Society. v. 61, n. 11, p. 1374-1387.

Marengo, J. A.; Alves, L. M.; Beserra, E. A.; Lacerda, F. F., 2011. Variabilidade e mudanças Climáticas no Semiárido brasileiro. Recursos hídricos em regiões áridas e semiáridas, p. 384-422.

Nascimento, E. L., 2005. Previsão de tempestades severas utilizando parâmetros de modelos de mesoescala: uma estratégia operacional adotável no Brasil. Revista Brasileira de meteorologia, São Jose dos Campos, v.20, n.1, p.121-140.

Rinaldy, N.; Saragih, I.J.A.; Putra, A.W.; Nugraheni, I. R.; Yonas, B.W., 2017. Identification of Mesoscale Convective Complex (MCC) phenomenon with image of Himawari 8 Satellite and WRF ARW Model on Bangka Island (case Study: 7-8 Febrary 2016). IOP Conference series: Earth and Environmental Science, v.98.

Sentelhas, P. C.; Cruciani, D. E.; Pereira, A. S.; Villa Nova, N. A., 1998. Distribuição Horária de Chuvas Intensas de Curta Duração: Um subsídio ao Dimensionamento de Projetos de Drenagem Superficial. Revista Brasileira de Meteorologia, v.13, n.1, p.45-52.

Silva Dias, M. A. F. Sistemas de mesoescala e previsão de tempo a curto prazo., 1987. Revista Brasileira de Meteorologia. v. 2. p. 133-150.

Silva, B. F. P.; Fedorova, N.; Levit, V.; Brito, B. M.; Peresetsky, A., 2011.

Sistemas sinóticos associados às precipitações intensas no Estado de Alagoas. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 26, n. 3, p. 295-310.

Silva, B. F. P.; Fedorova, N.; Levit, V.; Brito, B. M.; Santos, A. G.; Raimundo, C. C., 2008. Mecanismos associados às precipitações intensas observadas entre os dias 13 e 14 de janeiro de 2005 no sertão do estado de Alagoas. In: XV Congresso Brasileiro de Meteorologia, São Paulo, SP.

Souza, E. B.; Alves, J. M. B., 1998. Estudo diagnóstico de um Complexo Convectivo de Mesoescala observado no norte do Nordeste Brasileiro. In: Anais do X Congresso brasileiro de meteorologia e VIII Congresso da Federação Latino-Americana e Ibérica de Sociedades de Meteorologia. Brasília, DF.

Yulihastin, E.; Satyawardhana, H.; Nugroho, J.T.; Ishida, S., 2017. The Contribution of the Mesoscale Convective Complexes (MCCs) to total rainfall over Indonesian Maritime Continent. IOP Conference series: Earth and Environmental Science, v.54.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.6.p1998-2009

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License