Atributos Físicos e Estoque de Carbono em Sistemas Agroflorestais nos Cerrados do Oeste da Bahia.

Joaquim Pedro Soares Neto

Resumo


Os sistemas agroflorestais (SAF’s) têm permitido a recuperação de áreas degradadas, a produção de cultivos de alimentos, madeiras e fibras, além de gerar serviços ambientais, como aumento da matéria orgânica do solo e conservação da biodiversidade. Esse trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos dos SAF’s nos atributos físicos do solo e no estoque de carbono em um Neossolo Quartzarênico órtico dos cerrados do oeste da Bahia. Os aspectos avaliados foram: Cerrado nativo, sistema com cacau/banana/arvores nativas com 18 anos de uso (SAF.1), eucalipto/pastagem com 8 anos de uso (SAF.2) e eucalipto de rebrota/pastagem (SAF.3). As amostras foram coletadas em camadas de 0,0-0,10; 0,10-0,20; 0,20-0,30; 0,30-0,40 e 0,40-0,50 m em quatro repetições em cada talhão e a análise de variância processada de acordo como delineamento inteiramente casualizado, além disso, realizou-se uma análise de componentes principais com o objetivo de verificar quais parâmetros poderiam diferenciar ou indicar similaridade entre os sistemas.  Os sistemas apresentaram alterações na densidade do solo, diâmetro médio ponderado, diâmetro médio geométrico, agregados maiores que 2 mm, agregados menores que 2 mm e estoque de carbono orgânico. Na camada superficial todos os sistemas apresentaram DS superior ao da CN. DMP, DMG, agregados maiores que 2 mm e estoque de carbono foram alterados pelos SAF´s, principalmente nas camadas até 0,30 m. A analise de componentes principais mostrou que que tanto os atributos físicos como o carbono apresentaram altas correlações com a componente principal 1 e apenas o carbono com alta correlação com a componente principal 2.


Palavras-chave


Qualidade do solo, sequestro de CO2, matéria orgânica

Referências


Almeida A. S.,et al., 2014. Biomass and carbon stocks of Sofala bay mangrove forests. Forests 5, 1967-1981.

Barbosa, J.S., et al., 2017. Atributos Físico-hídricos de um Cambissolo Húmico Sob Sistema Agroflorestal no Planalto Catarinense. Floresta e Ambiente 24, e20160251.

Batista, M. C., 2017. Estoque de carbono e frações da matéria orgânica em áreas sob sistemas agroflorestais e agricultura no agreste paraibano.

Bolfe, E. L., Batistella, M., Ferreira, M. C., 2011. Correlação entre o carbono de Sistemas Agroflorestais e índices de vegetação. In: Embrapa Monitoramento por Satélite-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 15., 2011, Curitiba. Anais... São José dos Campos: INPE, 2011.

Campanha, M. M., et al., 2007. Análise comparativa das características da serapilheira e do solo em cafezais (Coffea arábica L.) cultivados em Sistemas Agroflorestais e em monocultura, na Zona da Mata MG. Revista Árvores 31.

Cardoso, J. A., et al., 2009. Atualização da Classificação dos Solos e Elaboração de Mapas Temáticos da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Grande, Bahia.. In: XXXII Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, 2009, Fortaleza - CE. O Solo e a Produção de Bioenergia: Perspectivas e Desafios.

Carneiro, M. A. C., et al., 2009. Atributos físicos, químicos e biológicos de solo de cerrado sob diferentes sistemas de uso e manejo. Revista Brasileira de Ciência do solo 33, 147-157.

Carvalho, J.L.N., et al, 2009. Carbon sequestration in agricultural soils in the Cerrado region of the Brazil Amazon. Soiland Tillage Research 103, 342-34.

Coutinho, F.S., et al., 2010. Estabilidade de agregados e distribuição do carbono em Latossolo sob sistema plantio direto em Uberaba,Minas Gerais. Comunicata Scientiae 1, 100-105.

Cruz, C. D. e Regazzi, A. j., 1994. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa, MG, Universidade Federal de Viçosa, 394p.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2011. Centro Nacional de Pesquisas de Solos. Manual de métodos de análises de solos. 2.ed. revista. Rio de Janeiro.

Ferreira, D.F. SISVAR versão 5.6. Disponível em:http://www.dex.ufla.br/~danielff/programas/sisvar.html.

Fernandes, F. A. e Fernandes, A. H. B. M., Cálculo dos estoques de carbono do solo sob diferentes condições de manejo. Corumbá: Embrapa Pantanal, 2009. 4 p. (Comunicado Técnico, 69).

Hammer, Ø., Harper, D.A.T., Ryan, P.D. 2001. PAST: Paleontological statistics software package for education and data analysis. Palaeontologia Electronica 4, n. 1, p. 9. Disponível em:

Lima, S. S. et al., 2011. "Atributos químicos e estoques de carbono e nitrogênio em argissolo vermelho-amarelo sob sistemas agroflorestais e agricultura de corte e queima no norte do Piauí."Revista Árvore 35.

Mascarenhas, A. R. P., et al., 2017. Atributos físicos e estoques de carbono do solo sob diferentes usos da terra em Rondônia, Amazônia Sul-Ocidental. Pesquisa florestal brasileira 37, 19-27.

Osterrooht, M. 2002. Manejo de SAF’s. Agroecologia Hoje, [S.l.] 15, 12-13.

Parron, L. M. et al., 2015. Estoques de carbono no solo como indicador de serviços ambientais. In: Parron, L. M. et al. Serviços ambientais em sistemas agrícola e florestais do Bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, p. 71-83.

Pulrolnik, K. Transformações do carbono no solo. Documentos, Embrapa Cerrados, 36p. Planaltina – DF, 2009.

Rencher, A.C. Methods of Multivariate Analysis. A JOHN WILEY & SONS, INC. PUBLICATION. 2ed. p.727. 2002.

Rocha, G.P. et al., 2014. Caracterização e estoques de carbono de sistemas agroflorestais no Cerrado de Minas Gerais. Ciência Rural 44.

Salton, J.C. et al., 2012. Determinação da agregação do solo-Metodologia em uso na Embrapa Agropecuária Oeste. Comunicado técnico 184, Dourados-MG.

Silva, A. H. et al., 2015. Atributos físicos do solo e escoamento superficial como indicadores de serviços ambientais. In: Parron, L. M. et al. Serviços ambientais em sistemas agrícola e florestais do Bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 71-83.

Silva, D. Cr. et al. 2011."Atributos do solo em sistemas agroflorestais, cultivo convencional e floresta nativa."Revista de estudos ambientais 13, 77-86.

Silva, S.M. Quantificação de carbono de um sistema agroflorestal em área de Cerrado no Brasil Central. Dissertação de Graduação. Faculdade UnB de Planaltina – UnB, Planaltina-DF, 2013. 46p.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License