Qualidade física, química e biológica sazonal das águas superficiais da bacia hidrográfica do córrego Moeda em Três Lagoas/MS

Denivaldo Ferreira de Souza, Luzilene de Oliveira Souza da Silva, André Luiz Pinto

Resumo


A Poluição da água é qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas que possa causar prejuízo à saúde, bem-estar das populações e, ainda, comprometer a sua utilização para fins agrícolas, industriais, comerciais, recreativos e, especialmente, a existência da fauna aquática. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi mensurar os parâmetros físicos, químicos e biológicos, totalizando 20 variáveis em um período sazonal de 4 coletas (inverno 2011, primavera 2011, verão 2012 e outono 2012) da água superficial da bacia hidrográfica do córrego Moeda, em Três Lagoas/MS, e com isso, enquadrar sua qualidade embasado na resolução do CONAMA 357/2005. A área da bacia, aproximadamente 268,39 Km², encontra-se em forte mudança ocupacional, alterando seu principal uso de pastagem para monocultura de eucalipto, que em 2012, ocupava mais de 52% da área total da bacia. Partindo disso, os resultados ilustraram o enquadramento médio restritivo do uso da água foi na classe 3, que preconiza a limitação de suas águas para “abastecimento doméstico, após tratamento convencional; irrigação de culturas arbóreas e forrageiras; dessedentação animal”. Os parâmetros químicos ferro e alumínio e o parâmetro físico cor, foram os que provocaram maiores implicações na qualidade da água. Assim, recomenda-se que o monitoramento da qualidade seja usado para futuros planejamentos e ações para evitar aumento da contaminação das águas superficiais na bacia do córrego Moeda.

 

Seasonal physical, chemical and biological quality of surface waters of the Moeda stream watershed in Três Lagoas/MS

 

A B S T R A C T

Water pollution is any change in the physical, chemical and biological properties that may cause harm to the health and well-being of the populations and also jeopardize their use for agricultural, industrial, commercial and recreational purposes and, in particular, the existence of aquatic fauna. Thus, the objective of this work was to measure the physical, chemical and biological parameters, totaling 20 variables in a seasonal period of 4 collections (winter 2011, spring 2011, summer 2012 and autumn 2012) of the surface water of the watershed of the stream Moeda, in Três Lagoas/MS, and with that, to frame its quality based on the resolution of CONAMA 357/2005. The area of the watershed, approximately 268.39 km², is undergoing a strong occupational change, changing its main pasture use to eucalyptus monoculture, which in 2012 occupied more than 52% of the total area of the watershed. From this, the results illustrated the restrictive average framework of water use was in class 3, which advocates the limitation of its waters to "domestic supply, after conventional treatment; irrigation of tree and forage crops; animal welfare ". The chemical parameters iron and aluminum and the physical parameter color were the ones that caused the greatest implications in water quality. Thus, it is recommended that quality monitoring be used for future planning and actions to avoid increased surface water contamination in the watershed of the stream Moeda.

Keywords: Multiparameter, Bathing, Framework, CONAMA.


Palavras-chave


Multiparâmetros; Enquadramento; CONAMA.

Texto completo:

PDF

Referências


APHA, AWWA, WPCF. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 20°th. edition, Washington D.C., 1998.

ARAÚJO, S. C. de S.; SALLES, P. S. B. de A.; SAITO, C. H. Modelos qualitativos, baseados na dinâmica do oxigênio dissolvido, para avaliação da qualidade das águas em bacias hidrográficas. Desenvolvimento tecnológico e metodológico para medição entre usuários e comitês de bacia hidrográfica. Brasília: Departamento de Ecologia. Editora da UNB, 2004. p. 9-24.

BRASIL, Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA Resolução 357/2005, Enquadramento dos Corpos Hídricos Superficiais no Brasil.. Governo Federal, Brasília. Publicada no DOU n 53, de 18 de março de 2005, Seção 1, páginas 58-63.

CARVALHO, A. G. B. M. Proposições de geoindicadores para caracterização da degradação do meio físico na bacia hidrográfica do Córrego da Onça, Três Lagoas (MS). UNESP - Ilha Solteira, 2010. (Dissertação de Mestrado em Engenharia Civil)

CETESB. Companhia de Tecnologia de Saneamento Básico. Significado Ambiental e Sanitário das variáveis de Qualidade das Águas e dos Sedimentos e Metodologias Analíticas de Amostragem. São Paulo, 2009: 43p. (Série relatórios).

CHRISTOFOLETTI, A. Análise de bacia hidrográfica. In Geomorfologia Ed. Edgard Blucher, 2 ed, 1980 p. 102 – 121.

FARAGE, J. A. P. (2009). Universidade Federal de Viçosa. Influência do uso e da ocupação do solo na qualidade da água e capacidade autodepurativa do Rio Pomba. 2009. (Dissertação de Mestrado em Agronomia).

MAIA, A. P. A. Gestão de recursos hídricos em Pernambuco: o comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Pirapama. Recife, UFPE, 2002. (Dissertação de Mestrado em Gestão e Políticas Ambientais).

PINTO, A. L.; MAURO. C. A. A importância do Ribeirão Claro para o Abastecimento de água da cidade de Rio Claro-SP. In: Geografia Teorética. vol. 15 1985: p. 117-132.

PINTO, A. L.; LORENZ SILVA, J. L.; FERREIRA, A. G.; BASSO, P. M.; GRECHIA, L.; OLIVEIRA, G. H. Subsidio Geológico/Geomorfológico ao ordenamento do uso, ocupação e manejo do solo, visando à redução da perda de solo e a recuperação da qualidade das águas superficiais da Bacia do Córrego Bom Jardim, Brasilândia/MS. Relatório Final FUNDECT/MS. UFMS. Três Lagoas, 2010: 42p.

PRADO, R. B.; NOVO, E. M. L. M. Aplicação de geotecnologias na modelagem do potencial poluidor das sub-bacias de contribuição para o reservatório de Barra Bonita – SP relacionado à qualidade da água. In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia: INPE, 2005. p. 3253-3260.

ROCHA, O; PIRES, J. S. R.; SANTOS, J. E. dos. A bacia hidrográfica como unidade de estudo e planejamento. In: A bacia hidrográfica do rio Monjolinho: Uma abordagem Ecossistêmica e a visão interdisciplinar. São Paulo: RIMA, 2000. p.1-16.

SANTOS, R. F. Planejamento Ambiental: teoria e prática. Editora Oficina de Textos. São Paulo, 2004.183p.

TUNDISI, J. G. Água no século XXI - Enfrentando a escassez. São Carlos: RiMa, IIE, 2003.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.1.p196-210

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License