Avaliação da Acurácia Vertical dos Modelos Digitais de Elevação SRTM, ALOS World 3D e ASTER GDEM: Um Estudo de Caso no Vale dos Vinhedos, RS – Brasil

Jorge Antônio Viel, Kátia Kellem da Rosa, Cláudio Wilson Mendes Junior

Resumo


Este estudo tem como objetivo avaliar a acurácia vertical dos Modelos Digitais de Elevação (MDEs) SRTM v.3, ALOS World 3D e ASTER GDEM v.2 na região da denominação de origem Vale dos Vinhedos, RS. Para tanto, os dados desses MDEs, com resolução espacial de 30 m, foram comparados com os de um MDE fotogramétrico com resolução espacial de 5 m no terreno, por meio de análises de regressão e correlação linear, e de perfis topográficos derivados desses modelos. O Padrão de Exatidão Cartográfica dos Produtos Cartográficos Digitais (PEC-PCD) de cada MDE foi analisado, para identificar a escala máxima de seu uso em estudos morfométricos, nas escalas 1:25.000, 1:50.000 e 1:100.000, por meio de cálculos da Tolerância Vertical e do Erro Médio Quadrático (EMQ). Os MDEs SRTM v.3 e ASTER GDEM v.2 atenderam o PEC-PCD altimétrico classe A na escala 1:100.000. Diferentemente do MDE ALOS World 3D que enquadrou-se na classe B para a escala de 1:100.000. Todos os modelos, na escala 1:50.000, enquadraram-se na classe D, enquanto que na escala 1:25.000 não houve enquadramento. O MDE SRTM v.3 foi o que apresentou melhores resultados morfométricos e o maior coeficiente de correlação de Pearson (r=0,995). Todos os MDEs avaliados neste estudo apresentaram morfologia próxima a do MDE fotogramétrico. Portanto, recomenda-se o uso de todos os MDEs analisados em estudos morfométricos da área de estudo, sendo necessário observar o objetivo do trabalho, bem como a escala de análise e a apresentação desses dados.

 

Evaluation of the Vertical Acuracy of Digital Elevation Models SRTM, ALOS WORLD 3D and ASTER GDEM: a case study in Vale dos Vinhedos, RS - Brazil

 

A B S T R A C T

This work aims to evaluate the vertical accuracy of the digital elevation models (DEMs) SRTM v.3, Alos World 3D and ASTER GDEM v.2 in Vale dos Vinhedos designation of origin (DO) region, RS. Thus, the DEM data with 30 m of the spatial resolution were compared with photogrammetric DEM data with 5 m of the spatial resolution by linear regression and correlation analyzes, and also, topographic profiles carried out with these models. The Cartographic Accuracy Standard (PEC) of each DEM was analyzed to identify the maximum scale for morphometric application, in scales 1:25.000, 1:50.000 and 1:100.000, by calculations of Vertical Tolerance and the Mean Square Error (MSE). All DEMs. All the models studied were classified in class A for the 1:100,000 scale, and for the 1:50,000 scale the analyzed models were classified in class C, while in 1:25.000 scale doesn´t have application. The DEM SRTM v.3 presented smaller altimetry errors compared to ASTER GDEM and Alos World 3D, as for mophometric analysis and Pearson correlation coefficient (r=0,995). It is worth mentioning that all models analyzed are statistically and morphologically close. Therefore, they can be used to conduct several studies, however it is necessary to have in mind the goal of the work, and the scale of analysis and presentation.

Keywords: Vertical accuracy, SRTM v.3, Alos World 3D, ASTER GDEM


Palavras-chave


Acurácia Vertical, SRTM v.3, Alos World 3D, ASTER GDEM v.2.

Texto completo:

PDF

Referências


Araújo, P. V. do N., Amaro, V. E., Alcoforado, A.V. C., Santos A. L. S. dos., 2019. Acurácia Vertical e Calibração de Modelos Digitais de Elevação (MDEs) para a Bacia Hidrográfica Piranhas-Açú, Rio Grande do Norte, Brasil. Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ, 351 – 364. DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2018_1_351_364.

Brasil, 1984. Decreto Federal nº 89.817, de 20 de junho.

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. 2008. Mapa Geológico do Rio Grande do Sul: escala 1:750.000. Brasília.

Dias, F. de M., Miceli, B. S., Seabra, F. M., Santos, P. R. A. dos, Fernandes, M. do C, 2011. Avaliação Vertical de Modelos Digitais de Elevação (MDEs) em Diferentes Configurações Topográficas para Médias e Pequenas Escalas. Revista Brasileira de Cartografia, 63/1, 191- 201.

EB. Exército Brasileiro. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretoria de Serviço Geográfico, 2016. Especificação Técnica de Produtos de Conjuntos de Dados Geoespaciais, 2 ed. Brasília.

EB. Exército Brasileiro. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretoria de Serviço Geográfico. 2016. Norma da especificação técnica para aquisição de dados geoespaciais vetoriais de defesa da força terrestre, 2 ed. Brasília.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 1979. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Súmula da X Reunião Técnica de Levantamento de Solos. Rio de Janeiro.

Falcade, I., 2011. A Paisagem Como Representação Espacial: A Paisagem Vitícola Como Símbolo Das Indicações De Procedência De Vinhos Das Regiões Vale Dos Vinhedos, Pinto Bandeira e Monte Belo (Brasil). Porto Alegre. Tese (Doutorado). Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Feijoo, A. M. L. C. de, 2010. Correlação: A pesquisa e a estatística na psicologia e na educação. Rio de Janeiro, Centro Edelstein de Pesquisa Sociais, 70 –77.

Fran, L. L. S. D., Almeida, A. D. O. D., Penha, A. D. L. T. D., 2018. Avaliação da qualidade dos modelos digitais de elevação ASTER e SRTM para o estado da Bahia. Revista Brasileira de Cartografia, v. 69, nº 9, 1677 – 1686.

Lousada, G., Fernandes, M. do C., 2017. Avaliação da precisão vertical de modelos digitais de elevação e análise de tendência em diferentes domínios geomorfológicos. Revista Brasileira de Cartografia. v. 69, nº 7, 1263 – 1276.

Gaida, W., Breunig, F. M., Galvao, L. S., Teles, T. S., Balbinot, R., 2016. Variações da reflectância e dos índices de vegetação em função dos parâmetros da modelagem topográfica no Parque Estadual do Turvo, Rio Grande do Sul, Brasil. Boletín Del Instituto de Geografía, UNAM, 1–19. DOI: https://doi.org/10.14350/rig.52159.

Girão, R. S., Vicens, R. S., Fernandes, P. J. F., Barbalho, L. V., 2019. Avaliação da Acurácia Vertical de Modelos Digitais de Elevação (MDEs) para o Estado do Rio de Janeiro Através de Algoritmos de Automatização. Revista Caminhos de Geografia, 72 – 92.

Lang, H. R., Welch, R., 1999. Aster Digital Elevation Models - Algorithm Theoretical Basis Document. Disponível: https://eospso.nasa.gov/sites/default/files/atbd/atbd-ast-14.pdf. Acesso: 19 Set. 2016.

Hoff, R., Ducati, J. R., Farias, A. R., Dalcin, M., 2015. Geologia, geomorfologia, sensoriamento remoto e SIG como suporte à caracterização da indicação geográfica Campanha para vinhos de qualidade, RS, Brasil. Feira de Santana, Universidade Estadual de Feira de Santana, 175–178.

Maune, D. F., Kopp, S. M., Crawford, C. A., Zervas, C. E., 2007. Introduction: Digital Elevation Models, Digital Elevation Model Technologies and Applications: The DEM Users Manual. 2. ed. American Society for Photogrammetry and Remote Sensing. Maryland, 43.

Mello, Y. R. de, Silveira, C. T. da, 2018. Análise de Modelos Digitais de Elevação e geração de atributos topográficos para a região da Serra do Mar do estado de Santa Catarina. Revista Brasileira de Geografia Física. V. 11, nº 06, 2029 – 2045.

MMA. Ministério do Meio Ambiente, 2004. Mapas de Cobertura Vegetal. Brasília.

Morais, J. D., Faria, T. S., Elmiro, M. A. T., Nero, M. A., Silva, A. de A., Nobrega, R. A. de A, 2017. Altimetry assessment of ASTER GDEM v.2 and SRTM v.3 digital elevation models: a case study in urban area of Belo Horizonte, MG, Brazil. Boletim de Ciências Geodésicas, 23(4), 654-668. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S198221702017000400043.

Nemirovsky, A. K. da S., Lousada, G., Antunes, F. de S., Fernandes, M. do C, 2017. Avaliação da acurácia vertical e horizontal de modelos digitais de elevação (SRTM PLUS, ALOS WORLD 3D E ASTER GDEM 2) a partir de um MDE de referência. Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Santos, INPE, 3561 -3568.

Robaina, L. E. DE S., Trentin, R., Bazzan, T., ReckziegeL, E. W., Verdum, R, 2010. Compartimentação Geomorfológica Da Bacia Hidrográfica Do Ibicuí, Rio Grande Do Sul, Brasil: Proposta De Classificação. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 11, n. 2, 11–23.

Rodriguez, E., Morris, C. S., Belz, J. E., Chapin, E., Martin, J., Hensley, S., 2006. An assessment of the SRTM topographic products. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing, v. 72, n. 3, 249–260.

Santos, S. D. R., Huinca, S. C. M., Melo, L. F. D. S.; Silva, M. T. Q. S. Da, Delaza, L. S., 2010. Considerações sobre a utilização do PEC (Padrão de Exatidão Cartográfica) nos dias atuais. III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação, n. 2001, 1–5.

Silva, A. S. da, Santiago, O. R. P. L., Silva, C. R. da, 2018. Análise de Exatidão entre MDEs: AW3D, SRTM-30m e Projeto SPMGGO50. Geografia (Londrina) v. 27. nº 2, 87 – 98. DOI: 10.5433/2447-1747.2018v27n2p87

Souza, J. O. P. de, 2015. Análise da Precisão Altimétrica dos Modelos Digitais de Elevação para Área Semiárida do Nordeste Brasileiro. Revista do Departamento de Geografia -USP, v. 30, 56–64.

Steinke, V. A., Sano, E. E, 2011. Semi-Automatic Identification Gis-Based Morphometry of Geomorphic Features of Federal District of Brazil. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 1, 3–9.

Tachikawa, T., Kaku, M., Iwasaki, A., Gesch, D., Oimoen, M., Zhang, Z., Danielson, J., Krieger, T., Curtis, B., Haase, J., Abrams, M., Crippen, R., Carabajal, C, 2011. ASTER Global Digital Elevation Model Version 2 – Summary of Validation Results. Japan Space Systems, 27. Disponível:http://www.jspacesystems.or.jp/ersdac/GDEM/ver2Validation/Summary_GDEM2_validation_report_final.pdf. Acesso: 25 jul. 2017.

Tadono, T., Ishida, H., Oda, F., Naito, S., Minakawa, K., Iwamoto, H, 2014. Precise Global DEM Generation by ALOS PRISM. ISPRS Annals of Photogrammetry, Remote Sensing and Spatial Information Sciences, v. II-4, 71–76. Disponível: http://www.isprs-ann-photogramm-remote-sens-spatial-inf-sci.net/II-4/71/2014/. Acesso: 10 dez. 2017.

Tonietto, J., Zanus, M. C., Falcade, I., Guerra, C. C., 2012. Regulamento de Uso da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos Vinhos Finos Tranquilos e Espumantes. Bento Gonçalves, 35.

Valeriano, M. D. M., 2008. Topodata: Guia Para Utilização De Dados. São José dos Campos, INPE, 73.

Viel, J. A., Rosa, K. K. Da, Hoff, R., 2017. Estudo da erosão superficial do solo por meio de SIG na região da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (Brasil). Revista Brasileira de Geomorfologia, 521 – 533.

Viel, J. A., Rosa, K. K. Da, Hoff, R., 2017. Avaliação do Efeito do Dossel Vegetativo na Estimativa da Perda do Solo em Área de Vinhedos Usando SIG. Revista Brasileira de Cartografia, nº 69/6, 1019 – 1028.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.5.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License