Programa Cisterna nas Escolas: estudo de caso na Microrregião Serrana dos Quilombos no estado de Alagoas, Brasil

Elvis Pantaleão Ferreira, José Thales Pantaleão Ferreira, Fabiana de Souza Pantaleão

Resumo


O Projeto Cisternas nas Escolas objetiva o fornecimento de água para as escolas rurais do Semiárido, utilizando ações estruturais mediante concepção de cisternas como tecnologia social para armazenamento de água pluvial, e ações não estruturais por meio de práticas educativas contextualizadas. Este trabalho objetiva apresentar um pioneiro diagnóstico da infraestrutura dos serviços de abastecimento de água as escolas rurais em que foram implantadas cisternas do Programa Cisternas nas Escolas na Microrregião Serrana dos Quilombos, no estado de Alagoas, especificamente no município de Santana do Mundaú, utilizando-se como metodologia a pesquisa exploratória e qualitativa, com emprego de entrevista semiestruturada e não estruturada, além do uso de questionário, fichas-relatório e registros fotográficos. Das cisternas implantadas nas escolas, apenas uma está sendo parcialmente utilizada. Estão todas elas totalmente desprovidas de acompanhamento técnico, sendo possível perceber a falta de interesse do executivo municipal na promoção da manutenção desses equipamentos. São fundamentais ações que elevem o empoderamento social a essas construções.

 

 

Cistern in Schools Program: case study in the mountainous microregion of quilombos in the state of Alagoas, Brazil

 

The reality of many rural schools in the public system presents a still worrying scenario regarding access to water. The Cisterns in Schools Project aims to provide water for rural schools in the Semi-Arid and priority areas located in indigenous villages and quilombola communities, using structural actions through the design of cisterns as social technology for rainwater storage, and non-structural actions through contextualized educational practices. The work aims to present a pioneering diagnosis of the infrastructure of water supply services to rural schools in which cisterns of the Cisterns in Schools Program were implemented in the mountainous dos Quilombos Microregion in the state of Alagoas, specifically in the municipality of Santana do Mandau. The methodology was based on exploratory and qualitative research using semi-structured and unstructured interviews, using a questionnaire, report cards and photographic records. Of the cisterns installed in schools, only one is being partially used. They are all totally devoid of technical monitoring, being possible to perceive the lack of interest of the municipal executive in promoting the maintenance of this equipment.


Keywords: Water supply, Education, Health.

Palavras-chave


Abastecimento humano de água, Educação, Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Agência Brasil (2019). Sistema Nacional de Segurança Alimentar enfrenta desafios. Disponível em >.Acesso em 17 Fev. 2020.

AMORIM, M. C.; PORTO, E. R. (2001). Avaliação da qualidade bacteriológica das águas de cisternas: estudo de caso no Município de Petrolina. Simpósio Brasileiro de Captação de Agua de Chuva No Semi-Arido. 3., 2001, Petrolina-PE. Anais... Petrolina: ABCMAC, 2001.

ANA – Agência Nacional de Águas (2020). Monitor de Secas. Disponível em <>. Acesso em 10 Fev. 2020.

ARAUJO, I. P. Tecnologias Sociais e Práticas Educativas Contextualizadas para a Convivência com o Semiárido. (2016). João Pessoa. Tese de Doutorado, UFPB/PB. 2016.

ASA – Articulação Semiárido Brasileiro. (2020). Disponível em <>. Acesso em 13 Fev. 2020.

BRASIL. Decreto Federal nº 4.887, de 20 de Novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos.

BRASIL. Lei nº 9.055, de 1 de junho de 1995. Disciplina a extração, industrialização, utilização, comercialização e transporte do asbesto/amianto e dos produtos que o contenham, bem como das fibras naturais e artificiais, de qualquer origem, utilizadas para o mesmo fim e dá outras providências.

BRASIL. Portaria n° 5 de 28 de setembro de 2017, Do Controle e da Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano e seu Padrão de Potabilidade.

BRITO, L. T. de L.; AZEVEDO, S. G. de; ARAÚJO, J. O. (2012). Escolas rurais produzem hortaliças e frutas utilizando água de chuva armazenada em cisterna: estudo de caso. Simpósio brasileiro de captação e manejo de água de chuva, 8., 2012, Campina Grande: ABCMAC: INSA: UEPB: UFCG: IRPAA; Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012.

BRITO, L. T. de L; PORTO, E. R; SILVA, A. de S; SILVA, M. S. L. da HERMES, L. C. MARTINS, S. S. (2005). Avaliação das características físico-químicas e bacteriológicas das águas de cisternas da comunidade de Atalho, Petrolina-PE. Simpósio Brasileiro de Captação de Agua de Chuva No Semi-Arido, 5., 2005, Teresina, PI. Anais... Teresina: ABCMAC; Governo do Estado do Piauí; Embrapa Semi-Árido; IRPAA; ASA, 2005.

BRITO, L. T. L.; GNADLINGER, J. (2006). Relatório sobre a oficina: avanços nos estudos sobre cisternas: qualidade de água e cisterna de alambrado. Petrolina: ABCMAC, 2006.

FERREIRA, E. P.; FERREIRA, J. T. P.; PANTALEÃO, F. S.; FERREIRA, Y. P.; ALBUQUERQUE, K. N. A.; FERREIRA, T. C. (2014). Abastecimento de água para consumo humano em comunidades quilombolas no município de Santana do Mundaú – AL. Revista Brasileira de Geografia Física, vol.07, n.06 (2014) 1119-1125.

FERREIRA, E. P; PANATELEÃO, F. S. (2016). Saneamento básico em comunidades quilombolas no estado de Alagoas. Revista GEOTemas, Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil, v.6, n.2, p.71-82, Jul./Dez. 2016.

GNADLINGER, J. Captação, manejo e uso de água de chuva. Instituto Nacional do Semiárido. Campina Grande/PB, 2015.

HELLER, L.; PÁDUA. V. L. (Org.) – (2010) Abastecimento de água para consumo humano – Belo Horizonte: editora UFMG, p.859.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades. (2020). Disponível em <>. Acesso em 11 Fev. 2020.

ITB – Instituto Trata Brasil. (2016). A importância da Higiene Sanitária nas Escolas. Disponível em Acesso em 17 Fev. 2020.

LIBÂNIO, M. (2010). Fundamentos de qualidade e tratamento de água. 3. Edição - Campinas: Átomo, p.444, (2010).

LORDELO, L. M. K.; BORJA, P. C.; PORSANI, M. J; MORAES, L. R. S.; ORRICO, S. R. M. (2017). Avaliação do uso e funcionamento das cisternas do P1MC – um estudo no Semiárido Baiano. Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais (GESTA). p. 107-121, 2017.

ONU – Organização das Nações Unidas. (2015). Novos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Disponível em >. Acesso em 17 Fev. 2020.

OPAS/OMS – Organização Pan-Americana da Saúde. (2018). 2,1 bilhões de pessoas não têm água potável em casa e mais do dobro não dispõem de saneamento seguro. Disponível em <<. https://www.paho.org/bra/>>. Acesso em 17 Fev. 2020.

Organización Panamericana de la Salud – OPAS. (2012) Agua y saneamiento: em La búsqueda de nuevos paradigmas para las Américas. Washington. D.C.: OPAS, p.284.

ORRICO, S. R. M. (2003). Sistema associativo de saneamento e seus efeitos sobre a população em comunidades do semiárido baiano. Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Saúde Ambiental para obtenção do grau de Doutor. USP - São Paulo, 2003.

PEREIRA, E. M. (2004). Estudo do comportamento à expansão de materiais sedimentares da Formação Guabirotuba em ensaios com sucção controlada. São Carlos. Tese de Doutorado em Engenharia Geotécnica – USP – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2004.

RAZZOLINI, M. T. P. e GÜNTHER, W. M. R. (2008) Impactos na Saúde das Deficiências de Acesso a Água. Revista Saúde e Sociedade. São Paulo, v.17, n.1, p.21-32.

RUSKIN, R. H.; PATRICK, S. C. (1998). Maintenance of cistern water quality in the Virgin Islands. St. Thomas, U. S. Virgin Islands: Caribbean Research Institute, University of the Virgin Islands, 1988. (Technical Report n. 30).

SCHISTEK, H. (2009). Eliminação de vazamentos em cisternas de captação de água da chuva. 7º Simpósio de Captação e Manejo de Água de Chuva. Caruaru – PE, Outubro de 2009.

SILVA J. A. L.; MEDEIROS M. C. S.; DANTAS H. F. S. A.; FREITAS, J.P.; AZEVEDO, P.V. (2013). Captação de água de chuva em cisternas de placa: instrumento de gestão sustentável e socioambiental. Polêmica, v. 12, n. 3, p. 499-510, 2013.

SILVA, N. M. D. (2015). Qualidade microbiológica das águas de chuva em cisternas da área rural do município de Inhambupe, no semiárido baiano e seus fatores intervenientes. Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais. v. 3, n. 2 (2015).

SIMMONS, G.; HOPE, V.; LEWIS, G.; WHITMORE, J.; GAO, W. (2001). Contamination of potable roof collected rainwater in Auckland. New Zealand. Water Resource, v. 35, p. 1518-1524, 2001.

UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância. (2017). Boas práticas água e saneamento nas escolas do Semiárido – caderno n° 6. Janeiro de 2017.

UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância. (2018). Água Potável, Saneamento e Higiene nas Escolas: Relatório de Linha de Base Global de 2018. Disponível em << https://www.unicef.org/brazil/ >>. Acesso em 17 Fev. 2020.

WATERAID. (2019). Transforming health systems: the vital role of water, dosing and hygiene. Disponível em https://www.wateraid.org/us//>>.Acesso em 17 Fev. 2020.

XAVIER, R. P. (2010). Influencia de barreiras sanitárias na qualidade da água de chuva armazenada em cisternas do semiárido paraibano. 2010. 114f. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil e Ambiental) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2010.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.3.p1050-1061

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License