Climate and the Myracrodruon urundeuva Allemão seed production

Gilmara Moreira de Oliveira, Francislene Angelotti, Emanuel José Nascimento Marques, Fabrício Francisco Santos da Silva, Claudineia Regina Pelacani, Barbara França Dantas

Resumo


The seed physiological quality is related with climate variation during development. Thus, the aim of this study was to determinate the relation among climatic factors and germination of M. urundeuva seeds in different growing seasons and to predict the germination according to the climatic scenarios. Seeds from 14 crop seasons (2005 to 2018) and climatic data from the ‘Bebedouro’ weather station (Embrapa Semiarid) were used to determine the influence of climatic conditions on the vegetative, female and male flowers and the fruiting of M. urundeuva. The simple linear correlation and the multiple linear regression model were applied to determine the influence of climatic elements on the production of M. urundeuva seeds. The multivariate calibration model was developed using the previous selection of variables by the algorithm of successive projections. From the mathematical model, the germination of M. urundeuva seeds was predicted according to climate change, as provided by the IPCC. Seed germination showed a significant difference between harvests. Through the correlation it was observed that the temperature correlated negatively with all phenological phases of M. urundeuva. The quality of M. urundeuva seeds is related to the maximum, average and minimum temperature, average and minimum humidity, and precipitation. These climate variables during the different phenological phases of M. urundeuva affect the physiological quality of the seeds, and, in climate change scenarios, there will be a reduction in the seed production of this species.

 

O clima e a produção de sementes de Myracrodruon urundeuva Allemão

 

RESUMO

            A qualidade fisiológica das sementes está relacionada às variações climáticas durante o seu desenvolvimento. Assim, o objetivo deste trabalho foi determinar a relação entre os elementos climáticos e a germinação de diferentes safras de sementes de M. urundeuva, bem como prever a germinação frente aos cenários climáticos. Foram utilizadas sementes de 14 safras (2005 a 2018) e os dados climáticos da estação meteorológica de Bebedouro, pertencente a Embrapa Semiárido, para determinar a influência das condições climáticas nas fases vegetativa, flores femininas e masculinas e da frutificação de M. urundeuva. A correlação linear simples e o modelo de regressão linear múltipla foram aplicados para determinar a influência dos elementos climáticos na produção de sementes de M. urundeuva. O modelo de calibração multivariado foi desenvolvido empregando a seleção prévia de variáveis pelo algoritmo das projeções sucessivas. A partir do modelo matemático realizou-se a previsão da germinação de sementes de M. urundeuva frente às mudanças climáticas, previstas pelo IPCC. A germinação das sementes apresentou diferença significativa entre as safras. Por meio da correlação observou-se que a temperatura correlacionou negativamente com todas as fases fenológicas da M. urundeuva. A qualidade das sementes de M. urundeuva está relacionada com a temperatura máxima, média e mínima, umidade média e mínima, e com a precipitação. Essas variáveis de clima durante as diferentes fases fenológicas de M. urundeuva afetam a qualidade fisiológica das sementes, sendo que, em cenários de mudanças climáticas, ocorrerá uma redução na produção de sementes desta espécie.

Palavras-chave: aroeira-do-sertão, mudanças climáticas, germinação.


Palavras-chave


Aroeira-do-sertão; Climate change; Germination.

Texto completo:

PDF

Referências


Abrahamson, W.G., Layne J.N., 2003. Long‐term patterns of acorn production for five oak species in xeric Florida uplands. Ecology 84, 2476-2492.

Alberton, B., Torres, R.S., Silva, T.S.F., Rocha, H.R.D., Moura, M.S.B., Morellato, L.P.C., 2019. Leafing patterns and drivers across seasonally dry tropical communities. Remote Sensing, 11 2267.

Andrade, M.V.M., Andrade A.P., Silva, D.S., Alcântara Bruno, R.L., Guedes, D.S., 2009. Levantamento florístico e estrutura fitossociológica do estrato herbáceo e subarbustivo em áreas de caatinga no Cariri paraibano. Revista Caatinga 22, 229-237.

Araújo, M.C.U., Saldanha, T.C.B., Galvão, R.K.H., Yoneyama, T., Chame, H.C., Visani, V., 2001. The successive projections algorithm for variable selection in spectroscopy multicomponent analysis. Chemometrics and Intelligent Laboratory Systems 57, 65-73.

Barbosa, J.C., Maldonado Junior, W., 2012. AgroEstat – Sistema de análises estatísticas de ensaios agronômicos [AgroEstat - analysis system for statistics of agronomic trials]. Versão 1.0. Jaboticabal, Brazil: UNESP.

Brasil, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2009. Regras para análise de sementes, p. 395. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA, SDA, 395.

Brasil, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2013. Instruções para análise de sementes florestais, p. 97. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ACS.

Carvalho, J.N.S., Bezerra, J.A., Reis, D.S., Guimarães, C.C., Santos, I.E.A., 2017. Simulação do efeito da variação da temperatura ambiente na germinação de variedades de milho. Journal of Environmental Analysis and Progress 2, 266-273.

Cruz, J.C., 2011. Milho: o produtor pergunta, a Embrapa responde, p. 338. Coleção 500 perguntas, 500 respostas. EMBRAPA/Brasília.

Fernandes, M.F., Queiroz, L.P., 2018. Vegetação e flora da Caatinga. Ciência e Cultura 70, 51-56.

Figueiredo Filho, D.B., Silva Júnior, J.A.D., 2009. Desvendando os Mistérios do Coeficiente de Correlação de Pearson (r). Revista Política Hoje 18, 115-146.

Forrest, J., Miller-Rushing, A.J., 2010. Toward a synthetic understanding of the role of phenology in ecology and evolution. Philosophical Transactions of the Royal Society of London B: Biological Sciences 365, 3101-3112.

Gomes, E.C., Barbosa, J., Vilar, F.C., Perez, J., Vilar, R., Dias, T., 2008. Plantas da caatinga de uso terapêutico: levantamento etnobotânico. Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia 5, 74-85.

Griz, L.M.S., Machado, I.C.S., 2001. Fruiting phenology and seed dispersal syndromes in caatinga, a tropical dry forest in the northeast of Brazil. Journal of Tropical Ecology, 17, 303­321.

IPCC., 2014. Climate Change 2014: Synthesis Report. Contribution of Working Groups I, II and III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change (eds Core Writing Team, R. K. Pachauri, L. A. Meyer), p.151 IPCC, Geneva.

Japiassú, A., Lopes, K.P., Dantas, J.G., Nóbrega, J.S., 2016. Fenologia de quatro espécies arbóreas da Caatinga no Semiárido paraibano. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável 11, 34-43.

Kill, L.H.P., Martins, C.D.V., Silva, P.P., 2010. Biologia reprodutiva de duas espécies de Anacardiaceae da caatinga ameaçadas de extinção, pp. 337-364 in: Albuquerque, U.P., Moura, A.N., Araújo, E.L. Biodiversidade, potencial econômico e processos ecofisiológicos em ecossistemas nordestinos. Bauru, São Paulo, Brazil.

Lima, N.R.W.L., Sodré, G.A., Lima, H.R.R., Paiva, S.R., Lobão, A.Q., Coutinho, A.J., 2017. Plasticidade fenotípica. Revista de Ciência Elementar 5, 1-7.

Lopes, S.D.F., Oliveira, A.P.D., Neves, S.B., Schiavini I., 2010. Dispersão de sementes de uruvalheira (Platypodium elegans VOG.) (Fabaceae) em um cerradão, Uberlândia-MG. Revista Árvore 34, 807-813.

Lorenzi, H., 2010. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, p. 384 in: 5ª ed. Nova Odessa, Instituto Plantarum.

Marcos Filho, J., 2015. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas, p. 660 in: 2.ed. Piracicaba: FEALQ.

Marengo, J.A., Cunha, A.P., Alves, L.M.A., 2016. A seca de 2012-15 no semiárido do Nordeste do Brasil no contexto histórico. Climanálise 3, 1-6.

Matias, J.R., Ribeiro, R.C., Oliveira, G.M., Affonso, I.B., Silva, T.B., Costa, D.C.C., Bispo, J.S, Mendes, R.B., Dantas, B.F., 2014. Temperatura limitante à germinação de sementes de catingueira-verdadeira. Informativo Abrates 24, 87.

Matias, R.A.M., Ferreira, B.S., Soares, T.S., 2017. Quantificação de biomassa e estimativa de estoque de carbono de indivíduos de aroeira em um fragmento de floresta estacional decidual. Revista da Universidade Vale do Rio Verde 15, 651-657.

Mesquita, A.C., Dantas, B.F., Cairo, P.A.R., 2018. Ecophysiology of caatinga native species under semi-arid conditions. Bioscience Journal 34, 81-89.

Minuzzi, A., Braccini, A.D.L., Rangel, M.A.S., Scapim, C.A., Barbosa, M.C., Albrecht, L.P., 2010. Qualidade de sementes de quatro cultivares de soja, colhidas em dois locais no Estado do Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Sementes 32, 176-185.

Monteiro, J.M., Lins Neto, E.M.F., Amorim, E.L.C., Strattmann, R.R., Araújo, E.L., Albuquerque, U.P., 2005. Teor de taninos em três espécies medicinais arbóreas simpátricas da caatinga. Revista Árvore 29, 999-1005.

Montgomery, D.C., Runger, G.C., 2008. Estatística aplicada e probabilidade para engenheiros. In: 2. ed. Rio de Janeiro: LTC.

Müller, A., Schmitt, J.L., 2018. Phenology of Guarea macrophylla Vahl (Meliaceae) in subtropical riparian forest in southern Brazil. Brazilian Journal of Biology 78, 187-194.

Oliveira, G.M., Silva, F.F.S., Araujo, M.N., Costa, D.C.C., Gomes, S.E.V., Matias, J.R., Angelotti, A., Cruz, C.R.P., Seal, C.E., Dantas, B.F., 2019. Environmental stress, future climate, and germination of Myracrodruon urundeuva seeds. Journal of Seed Science 41, 32-43.

Oliveira-Filho, A.T., Cardoso, D., Schrire, B.D., Lewis, G.P., Pennington, R.T., Brummer, T.J., Rotella, J., Lavin, M., 2013. Stability structures tropical woody plant diversity more than seasonality: insights into the ecology of high legume-succulent-plant biodiversity. South African Journal of Botany 89, 42-57.

PBMC, 2013. Contribuição do Grupo de Trabalho 1 ao Primeiro Relatório de Avaliação Nacional do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas. Sumário Executivo GT1. PBMC, Rio de Janeiro, Brasil. 24 p.

Raza, A., Razzaq, A., Mehmood, S.S., Zou, X., Zhang, X., Lv Yand Xu, J., 2019. Impact of Climate Change on Crops Adaptation and Strategies to Tackle Its Outcome: A Review. Plants, 8, 34.

Schauber, E.M., Kelly, D., Turchin, P., Simon, C., Lee, W.G., Allen, R.B., Payton, I.J., Wilson, P.R., Cowan, P.E., Brockie, R.E., 2002. Masting by eighteen New Zealand plant species: the role of temperature as a synchronizing cue. Ecology 83, 1214-1225.

Silva, T.G., Moura. M.S., Sá, I.I., Zolnier, S., Turco, S.H., Justino, F., Carmo, J.F.A., Souza, L.S., 2009. Impactos das mudanças climáticas na produção leiteira do Estado de Pernambuco: análise para os cenários B2 e A2 do IPCC. Revista Brasileira de Meteorologia 24, 489-501.

Silva, T.G.F., Zolnier, S., Moura, M.S.B., Sediyama, G.C., 2007. Estimativa e espacialização da umidade relativa do ar para os estados de Alagoas, Bahia e Sergipe. Revista Brasileira de Agrometeorologia 15, 1-11.

Singh, R.P., Prasad, P.V.V., Reddy, K.R., 2013. Impacts of changing climate and climate variability on seed production and seed industry. Advances in Agronomy 118, 49-110.

Souza, D.C., Oyama, M.D., 2011. Climatic consequences of gradual desertification in the semi-arid area of Northeast Brazil. Theoretical and Applied Climatology 103, 345-357.

Zinsmeister, J., Leprince, O., Buitink, J., 2020. Molecular and environmental factors regulating seed longevity. Biochemical Journal 477, 305-323.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.07.p3689-3697

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License