Disponibilidade Hídrica de uma Bacia Hidrográfica no Sul da Bahia

Gabriela Mateus de Fontes Silva, Fabrício Berton Zanchi, João Batista Lopes da Silva, Marcos Eduardo Cordeiro Bernardes

Resumo


Objetivou-se neste trabalho caracterizar o comportamento hidrológico da bacia do rio Buranhém, através da análise de séries temporais de precipitação e vazão, verificando os principais aspectos que refletem na disponibilidade hídrica da bacia. Os dados utilizados foram obtidos em bases nacionais, Hidroweb/ANA, BDMEP/INMET e TOPODATA/INPE, processados através dos softwares Hidro, SisCAH e QGIS, respectivamente, analisou-se também a série de registros do Índice Niño de Oscilação (ONI) da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). A bacia hidrográfica foi delimitada de modo a reconhecer o processo chuva-vazão. A avaliação partiu do pré-processamento e análise estatística das séries precipitação e vazão e da análise de correlação ao nível de 5% (p < 0,05) entre os dados gerados. Para o período analisado, de 1971 a 2018 observou-se uma condição de não estacionariedade que agrava a baixa regularidade das vazões e evidencia a necessidade de atenção para se assegurar a disponibilidade em seu uso. Isto podendo estar associado a morfometria da bacia, ao processo histórico de uso e ocupação do solo e às características hidrogeológicas das áreas que contribuem no escoamento superficial e subterrâneo da bacia. Além disso, notamos que em anos de El Nino houve, em média, um aumento de 50% da vazão; já nos eventos de La Niña, uma diminuição, em média, de 47%.


Palavras-chave


rio Buranhém; Costa do Descobrimento; outorga; séries históricas; ENOS

Referências


AKSOY, H.; KURT, I.; ERIS, E. 2009. Filtered smoothed minima baseflow separation method. Journal of Hydrology. v.372. p.94–101

ANA. 2016. Sistemas Aquíferos. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

______. HIDRO. Sistema de Informações Hidrológicas. Versão 1.3. Disponível em: < http://www.snirh.gov.br/portal/snirh/snirh-1/sistemas/gestao-e-analise-de-dados-hidrologicos>. Acesso em: 21 out. 2019.

______. Atlas Brasil. Abastecimento Urbano de Água. Disponível em: . Acesso em: 15/05/2018.

______. Mapa da RH Atlântico Leste. 2014.

______. Hidroweb. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2017.

______. Painel Gerencial de Outorgas. Disponível em: . Acesso em: 31/10/2018.

BAHIA. Secretaria de Recursos Hídricos, Saneamento e Habitação. Plano Diretor de Recursos Hídricos: Bacias Hidrográficas do Extremo Sul. Salvador, Bahia: HYDROS. 1997.

BRASIL, Lei nº 9.433 de 08 de janeiro de 1997. Diário Oficial [da] república Federativa do Brasil, Brasília, DF, 9 de jan. 1997.

BERTONI, J. C.; TUCCI, C. E. M. Precipitação. In.: Hidrologia: ciência e aplicação. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS: ABRH. 2007.

CAPOZZOLI, C. R. et al. Padrões de Variabilidade de Vazão de Rios nas Principais Bacias Brasileiras e Associação com Índices Climáticos. Rev. bras. meteorol., São Paulo , v. 32, n. 2, p. 243-254. 2017 .

CHAVES, R. R. Variabilidade da Precipitação na Região Sul do Nordeste e Sua Associação com Padrões Atmosféricos. Dissertação de Mestrado. São José dos Campos: INPE. 1999.

CHENG, G. D.; LI, X. 2015. Integrated research methods in watershed science. Science China: Earth Sciences. v 58. p. 1–10. https://doi.org/10.1007/s11430-015-5074-x

CHRISTOFOLETTI, A. 1980. Geomorfologia, 2ª edição, Editora Edgard Blucher, São Paulo 188 p.

COLLISCHONN, W.; DORNELLES, F. 2015. Hidrologia para engenharia e ciências ambientais. 2a ed. Porto Alegre: Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH). 336 p.

COLLISCHONN, W.; FAN, F. Defining Parameters for Eckhardt's Digital Base Dlow Filter. Hydrological Processes, v. 27 n.18, 2012. p. 2614-1622.

DETZEL, D. H.M.; FERNANDES, C.V.S.; MINE, M.R.M. 2016. Não Estacionariedade na Construção de Curvas de Permanência com Vistas à Outorga de Recursos Hídricos. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. v. 21 n.1. Porto Alegre jan./mar. 2016. p. 80 - 87.

IBGE. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br> Acesso em 08/2018.

_____. 1994. Censo Demográfico 1950. Rio de Janeiro: Anuário Estatístico do Brasil, vol 54.

_____. 2013. Mapa Hidrogeológico da Região Nordeste. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

INDE. 2018. Base Hidrográfica Ottocodificada 1:250.000. Agência Nacional de Águas. Disponível em: < http://www.metadados.inde.gov.br/geonetwork/srv/por/metadata.show?id=381957&currTab=simple>. Acesso em: 21 out. 2019.

INEMA. 2014. Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Mapa das RPGA’s - Banco de Dados do INEMA. Disponível em: < http://www.inema.ba.gov.br/wpcontent/files/MTematico_rpga.pdf>. Acesso em: Acesso em: 21 out. 2019.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia. Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa - BDMEP. < http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=bdmep/bdmep> Acesso em: Acesso em: 21 out. 2019.

INPE. Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil. TOPODATA. . Acesso: Acesso em: 21 out. 2019.

GAJBHIYE, S.; MISHRA, S.K.; PANDEY, A. Prioritizing erosion-prone area through morphometric analysis: an RS and GIS perspective. Appl Water Sci, v. 4 n. 1, p. 51–61. 2014.

GENZ, F.; TANAJURA, C. A. S. 2013. Trends and variability of climate and river flow in the region of Costa das Baleias, Brazil. Water Science & Technology. v.67 n.1, p. 47-54. https://doi.org/10.2166/wst.2012.528.

GRASS-PROJECT. Geographic ressource analysis support system. Disponível em:< http://grass.osgeo.org>. Acesso em: 25 out. 19.

HUANG, B.; THORNE, P.W.; BANZON, V.F.; BOYER, T.; CHEPURIN, G.; LAWRIMORE, J.H.; MENNE, M.J.; SMITH, T.M.; VOS, R.S.; ZHANG, H. Extended Reconstructed Sea Surface Temperature, Version 5 (ERSSTv5): Upgrades, Validations, and Intercomparisons. J. Climate, n. 30, p. 8179–8205. 2017.

MORÁN-TEJEDA, E.; CEBALLOS-BARBANCHO, A.; LLORENTE-PINTO, J.M. Hydrological response of Mediterranean headwaters to climate oscillations and land-cover changes: The mountains of Duero River basin (Central Spain). Global and Planetary Change. v.72. p.39–49. 2010.

NAGHETTINI, M.; PINTO, E. J.; ANDRADE. Hidrologia Estatística. Belo Horizonte: CPRM – Serviço Geológico do Brasil, 2007. 552 p.

NATHAN, R.J., MCMAHON, T.A.. Evaluation of automated techniques for base flow and recession analyses. Water Resources. v.26 n. 7, p. 1465–1473. 1990.

NOAA. Historical El Nino / La Nina episodes (1950-present). Disponível em: . Acesso em: 25 out 2019.

QGIS. Disponível em: . Acesso em: 25 out 2019.

SAS INSTITUTE INC. SAS University Edition: installation guide for windows. Cary: SAS Institute, 2014. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

SEPLAN, Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia. Territórios de Identidade. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

SETUR, Secretaria de Turismo do Estado da Bahia . Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

SILVA, G.M.F. Influência do uso e ocupação do solo na disponibilidade hídrica do rio Buranhém, 2019. 86p. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias Ambientais). Universidade Federal do Sul da Bahia. Porto Seguro, 2019.

SILVEIRA, A.L.L. Desempenho de formulas de tempo de concentração em bacias urbanas e rurais. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 10, pp.5-23. 2005.

SOUSA, H. T.; PRUSKI, F.F.; BOF, L. H. N.; CECON, P. R.; SOUSA, J. R. C. SisCAH 1.0. Viçosa: Grupo de Pesquisa em Recursos Hídricos: GPRH. 2009.

TUCCI, C.E.M.; MENDES, C.A. Avaliação ambiental integrada de bacia hidrográfica. Ministério do Meio Ambiente. Brasília: MMA. 302 p. 2006.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia Aplicada. Editora Mc Graw Hill, São Paulo, 245p. 1975.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.2.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License