Vulnerabilidade Ambiental do Município de Teixeira de Freitas-BA

Priscila Félix Almeida, João Batista Lopes da Silva, Frederico Monteiro Neves

Resumo


As dimensões do conceito de Vulnerabilidade Ambiental são tipologias de informação cruciais para o planejamento da gestão de um dado território. Este trabalho tem como objetivo indicar o estado de Vulnerabilidade Ambiental do município de Teixeira de Freitas-BA. O processamento digital foi realizado nos softwares ArcGIS 10.7 e QGIS 2.18. Os sistemas coordenadas adotado foi o SIRGAS 2000 UTM 24S. As variáveis selecionadas, geradoras das cartas base foram: Geologia, Solos, Declividade e Uso e Ocupação do Solo, para as classes dessas variáveis estabeleceram-se valores que variaram de 1 (menor vulnerabilidade) a 5 (maior vulnerabilidade). O Mapa de Vulnerabilidade Ambiental foi produto da sobreposição das cartas base, resultando numa escada de vulnerabilidade dividida em cinco intervalos: muito baixa a muito alta vulnerabilidade. As classes geológicas e pedológicas presentes no Município apresentaram valores de baixa a média vulnerabilidade. Os fatores mais determinantes para os trechos de alta vulnerabilidade do mapa final foram as regiões de declividades elevadas e as formas mais agressivas de uso e ocupação do solo. Após a geração do mapa de vulnerabilidade final, foi realizado o refinamento e agrupamento de áreas isoladas com diferentes critérios. Recomenda-se para a elaboração de políticas públicas ao nível municipal a adoção do tratamento com agrupamento de áreas de até 200 pixels, o que corresponde a remoção de feições isoladas com extensão de até 3,13 ha, visto que nos demais tratamentos ocorre séria e progressiva diminuição das áreas de alta vulnerabilidade, prioritárias para os investimentos públicos.

 

 

Environmental Vulnerability of the Municipality of Teixeira de Freitas-BA

 

A B S T R A C T

The dimensions of the concept of Environmental Vulnerability are crucial information typologies for planning the management of a given territory. This paper aims to indicate the state of environmental vulnerability of the municipality of Teixeira de Freitas-BA. Digital processing was performed using ArcGIS 10.7 and QGIS 2.18 software. The coordinate systems adopted was the SIRGAS 2000 UTM 24S. The selected variables, which generated the base cards were: Geology, Soils, Declivity and Land Use and Occupation, for the classes of these variables values were set that ranged from 1 (lowest vulnerability) to 5 (highest vulnerability). The Environmental Vulnerability Map was the product of overlaying the base cards, resulting in a vulnerability ladder divided into five ranges: very low to very high vulnerability. The geological and pedological classes present in the municipality presented low to medium vulnerability values. The most determining factors for the high vulnerability stretches of the final map were the high slope regions and the most aggressive forms of land use and occupation. After the final vulnerability map was generated, refinement and grouping of isolated areas with different criteria was performed. It is recommended for the environmental planning at the municipal level the adoption of the treatment with grouping of areas of up to 200 pixels, which corresponds to the removal of isolated features with extension of up to 3.13 ha, since in the other treatments it occurs serious and progressive reduction of areas of high vulnerability, a priority for public investments.

Keywords: Cartography, Geoprocessing, Environmental Planning.

 


Palavras-chave


Cartografia, Geoprocessamento, Planejamento Ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, T.M., 2009. Cultivo de eucalipto no extremo sul da Bahia: modificações no uso da terra e socioeconômicas. Dissertação (Mestrado). Ilhéus, UESC.

Almeida, T.M., Moreau, A.M.S.S., Moreau, M.S., Pires, M.M., Fontes, E.O., Góes, L.M., 2008. Reorganização socioeconômica no extremo sul da Bahia decorrente da introdução da cultura do eucalipto. Sociedade & Natureza [online] 20(2), 5-18. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1982-45132008000200001. Acesso em: 21 fev. 2019.

ALOS PALSAR. 2011. Imagens de Altimetria. Resolução Espacial 12,5 m (raster). Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2019.

Amorim, R.R., Oliveira, R.C., 2007. Degradação ambiental e novas territorialidades no extremo sul da Bahia. Caminhos de Geografia 8 (22), 18-37.

Andrade, D.C., Romeiro, A.R., 2009. Serviços ecossistêmicos e sua importância para o sistema econômico e o bem-estar humano. Texto para Discussão IE/UNICAMP 155, 1-44.

BAHIA, 1985. Lei Estadual n.º 4.452, de 09 de maio.

BRASIL, 1979. Lei nº 6.766 de 19 de dezembro.

Cabral, L.N., Cândido, G.A., 2019. Urbanização, vulnerabilidade, resiliência: relações conceituais e compreensões de causa e efeito. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana [online] 11, 1-13. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2175-3369.011.002.ao08. Acesso em: 19 fev. 2019.

Caetano, F., Rosaneli, A., 2019. A paisagem no Plano Diretor Municipal: uma reflexão sobre sua referência na legislação urbanística dos municípios paranaenses. EURE (Santiago) [online] 45(134), 193-212. Disponível em: https://dx.doi.org/10.4067/S0250-71612019000100193. Acesso em: 19 fev. 2019.

Calderano Filho, B., Polivanov, H., Carvalho Junior, W., Chagas, C.S., Calderano, S.B., 2018. Avaliação da vulnerabilidade ambiental de regiões tropicais montanhosas com suporte de SIG. Revista de Geografia 35(3), 269-288.

Cordeiro, K.O.S., 2007. Estudos sobre a educação infantil pública no município de Teixeira de Freitas – Bahia. Dissertação (Mestrado). Salvador, UNEB.

CPRM. 2003. Cartas Geológicas. Escala 1:1.000.000 (shapefile). Disponível em: http://geosgb.cprm.gov.br/geosgb/downloads.html. Acesso em: 20 mar. 2017.

Crepani, E., Medeiros, J.D., Hernandez Filho, P., Florenzano, T.G., Duarte, V., Barbosa, C.C.F., 2001. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico-econômico e ao ordenamento territorial. INPE, São José dos Campos.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2019. Solos Brasileiros. Disponível em: https://www.embrapa.br/tema-solos-brasileiros/solos-do-brasil. Acesso em: 21 ago. 2019.

Figueiredo, M.C.B., Teixeira, A.S., Araújo, L.F.P., Rosa, M.F., Paulino, W.D., Mota, S., Araújo, J.C., 2007. Avaliação da vulnerabilidade ambiental de reservatórios à eutrofização. Engenharia Sanitária e Ambiental [online] 12(4), 399-409. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-41522007000400006. Acesso em: 21 mai. 2019.

FÓRUM FLORESTAL DO EXTREMO SUL DA BAHIA, 2018. Mapa de Uso e Ocupação do Solo do Município de Teixeira de Freitas-BA. Escala: 1: 25.000, (shapefile). Fórum Florestal Regional. Diálogos Florestais do Extremo Sul da Bahia.

Fushimi, M., 2013. Vulnerabilidade ambiental e aplicação de técnicas de contenção aos processos erosivos lineares em áreas rurais do município de Presidente Prudente-SP. Revista Brasileira de Geomorfologia [online] 14(4), 343-356. Disponível em: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v14i4.435. Acesso em: 21 abr. 2019.

GEOGRAFOS, 2018. Teixeira de Freitas, Bahia. Coordenadas Geográficas. Disponível em: http://www.geografos.com.br/cidades-bahia/teixeira-de-freitas.php. Acesso em: 22 fev. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1996. Cidades. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/v3/cidades/municipio/2931350. Acesso em: 18 mar. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2001. Mapa de Solos do Brasil. Escala 1: 5.000.000 (shapefile). Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/informacoes-ambientais/pedologia/15829-solos.html?=&t=acesso-ao-produto. Acesso em: 25 jun. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2018. Malha Territorial. Disponível em: http://ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/estrutura-territorial/15774malhas.html?=&t=downloads. Acesso em: 25 jun. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2019. Cidades. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/v3/cidades/municipio/2931350. Acesso em: 20 dez. 2019.

Jordão, C.O., Moretto, E.M., 2015. The environmental vulnerability and the territorial planning of the sugarcane cultivation. Ambiente & Sociedade [online] 18(1), 75-92. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1809-4422ASOC675V1812015en. Acesso em: 15 abr. 2019.

MEA. Millennium Ecosystem Assessment, 2005. Ecosystems and Human Well-being: Synthesis. Island Press, Washington.

Medina, A.I.D., Cássio, J.P., Silva, R.D., Cunha, F.G.D., Jacques, P.D., Borges, A.F., 2015. Geologia ambiental: contribuição para o desenvolvimento sustentável. In: CETEM/MCT (Eds.), Tendências tecnológicas Brasil 2015: geociências e tecnologia mineral. CETEM/MCT, Rio de Janeiro, pp. 35-56.

Nascimento, D.M.C., Dominguez, J.M.L., 2009. Avaliação da vulnerabilidade ambiental como instrumento de gestão costeira nos municípios de Belmonte e Canavieira, Bahia. Revista Brasileira de Geociências 39(3), 395-408.

Nunes, H., Aquino, C., 2018. Vulnerabilidade ambiental dos setores censitários às margens do rio Poti no município de Teresina (Piauí). Revista Brasileira de Geografia Física [online] 11(6), 1941-1962. Disponível em: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.6.p1941-1962. Acesso em: 11 out. 2019.

Oliveira, A.S., Passos, B.M.C.B., Gama, G.F.B., Silva, J.B.L., 2017. Evolução Temporal entre 1990 e 2013 no uso e ocupação do solo em Teixeira de Freitas-BA. Anais... 7º Seminário de iniciação científica e inovação tecnológica do Território de Identidade do Extremo Sul da Bahia – SICTEXBA.

Pedreira, M.S., 2004. Complexo florestal, desenvolvimento e reconfiguração do espaço rural: o caso da Região do Extremo Sul baiano. Revista Bahia Análise & Dados 13(4), 1005-1018.

Prates, T., Amorim, R., 2017. Vulnerabilidade Socioambiental das Áreas Sujeitas às Inundações no Município de São João Da Barra, RJ, Brasil. Revista do Departamento de Geografia [online] (spe), 164-171. Disponível em: https://doi.org/10.11606/rdg.v0ispe.132477. Acesso em: 4 set. 2019.

Ribeiro, A., Mincato, R., Curi, N., Kawakubo, F., 2016. Vulnerabilidade Ambiental à Erosão Hídrica em uma Sub-Bacia Hidrográfica pelo Processo Analítico Hierárquico. Revista Brasileira de Geografia Física [online] 9(1), 16-31. Disponível em: https://doi.org/10.26848/rbgf.v9.1.p016-031. Acesso em: 4 set. 2019.

Rocha, D., 2015. Alguns fatos históricos da cidade de Teixeira de Freitas. Disponível em: http://www.teixeiradefreitas.ba.gov.br/n/?page_id=348. Acesso em: 15 jan. 2019.

Santos, R.F., 2007. Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos? Ministério do Meio Ambiente, Brasília.

SEPLAN. Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia, 2016. Territórios de Identidade. Disponível em: . Acesso em: 19 mar 2017.

Silva, R.M., 2018. A influência do pensamento econômico na ideia de sustentabilidade e suas implicações para a percepção e conservação do mundo natural. Desenvolvimento e Meio Ambiente [online] 46, 334-356. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v46i0.55806. Acesso em: 01 out. 2019.

Sokoloski, L.J.F., Ferreira, M.R.A., Viterbo, G.A., Belotti, F.M., Vieira, E.M., 2019. Estudo da vulnerabilidade natural da sub-bacia do Rio Piracicaba/MG utilizando Sistemas de Informações Geográficas (SIG). Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais [online] 10(2), 211-222. Disponível em: https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2019.002.0018. Acesso em: 15 nov. 2019.

Souto, R.D., 2016. O papel da geografia em face da crise ambiental. Estudos Avançados [online] 30(87), 197-212. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-40142016.30870012. Acesso em 15 out. 2019.

Souza, S.O., 2013. Vulnerabilidade Ambiental da Planície Costeira da de Caravelas: Uma Proposta Geossistêmica. Dissertação (Mestrado). Vitória, UFES.

Souza, S.O., 2017. Proposta de zoneamento geoambiental como subsídio ao planejamento do uso e da ocupação na Região Costa das Baleias (Bahia). Tese (Doutorado). Campinas, UNICAMP.

Spanghero, P.E.S.F., 2018. Proposta de zoneamento geoambiental do município de Alcobaça-BA. Dissertação (Mestrado). Campinas, UNICAMP.

TEIXEIRA DE FREITAS, 2003. Lei Municipal nº 310, de 25 de novembro.

TEIXEIRA DE FREITAS, 2003. Lei Municipal nº 311, de 29 de dezembro.

TEIXEIRA DE FREITAS, 2003. Lei Municipal nº 312, de 25 de novembro.

Teruya Junior, H., Lastoria, G., Correa, C.L., Dalmas, F.B., Paranhos Filho, A.C., 2018. Vulnerabilidade Natural e Ambiental da Bacia Hidrográfica Rio Formoso, Mato Grosso do Sul. Anuário do Instituto de Geociências [online] 41(2), 41-50. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11137/2018_2_41_50. Acesso em: 15 mai. 2019.

Valverde, M.C., 2017. The interdependence of climate and socioeconomic vulnerability in the ABC Paulista region. Ambiente & Sociedade [online] 20(3), 39-60. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc66r2v2032017. Acesso em: 15 jun. 2019.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.4.p1587-1609

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License