Memórias de uma desilusão: Manuel Querino e as reformas urbanas de Salvador (1912-1916)

Bruno Pinheiro

Resumo


É realizada neste artigo uma leitura historiográfica dos Lugares de Memória, na acepção de Pierre Nora, no contexto do pós-abolição em Salvador. Para essa proposta, são aproximadas as reformas urbanas realizadas na cidade entre 1912 e 1916 e as descrições presentes no livro de natureza memorialística Bahia de Outrora, publicado pelo intelectual negro Manuel Querino em 1916. Nessa avaliação, é acessada a noção de Arena Cultural, proposta por Richard Morse no contexto da história urbana, que propõe entender a implantação de projetos modernos a partir de seus produtos de cultura, noção que, frente às diferenças de raça e classe presentes na análise, é reelaborada a partir da ideia de subalternidade presente em Spivak. Por fim, apresenta-se um balanço de como a literatura de Querino, a partir dessas categorias operacionais, contribui no estudo do problema dos Lugares de Memória no pós-abolição.


Palavras-chave


Manuel Querino; Lugares de Memória; Salvador; Pós-abolição; Salvador

Texto completo:

PDF

Referências


GORELIK, Adrián; PEIXOTO, Fernanda Arêas. Ciudades Sudamericanas como Arenas Culturales. Buenos Aires: Siglo Veinteuno Editores, 2016.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Manuel Querino e a formação do “Pensamento Negro” no Brasil, 1890-1920. 28º Encontro Nacional da ANPOCS, Caxambu, 2004.

ICKES, Scott. African-Brazilian Culture and regional identity in Bahia, Brazil. Gainesville: University of Florida Press, 2013.

KRAAY, Hendrik. “Frio como a pedra que se há de compor”: caboclos e monumentos na comemoração da Independência da Bahia, 1870-1900. Tempo - Revista do Departamento de História da UFF, Niterói, V.14, pp.51-81, 2013.

LEAL, Maria das Graças. Manuel Querino, entre letras e lutas – Bahia, 1851-1923. São Paulo: Annablume, 2009.

MATTOS, Hebe; ABREU, Martha; GURAN, Milton. Por uma história pública dos africanos escravizados. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 27, n. 14, 2014.

MATTOS, Wilson Roberto de. Negros contra a ordem: Astúcias, Resistências e Liberdades possíveis (Salvador, 1850-1888). Salvador: Edufba, 2008.

MORSE, Richard. As Cidades “Periféricas"como Arenas Culturais: Rússia, Áustria, América Latina. Estudos Históricos, São Paulo, V.8, no.16, pp.205-225, 1995.

NORA, Pierre. Entre Memória e História: a problemática dos Lugares. Projeto História PUC-SP, São Paulo, V.10, 1993.

PINHEIRO, Bruno. Uma Bahia em Construção: Odorico Tavares e Pierre Verger na revista O Cruzeiro (1946-1951). Dissertação (Mestrado em Estética e História da Arte) - MAC-USP, São Paulo. 2017.

PINHEIRO, Eloísa Petti. Europa, França e Bahia – Difusão e adaptação de modelos urbanos (Paris, Rio e Salvador). Salvador: Edufba, 2002.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o Subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

SCHWARCZ, Lilia K. M. O Espetáculo das Raças. Cientistas, Instituições e Pensamento Racial No Brasil: 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2017.35.2.do.04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas