De cativeiro a cativeiro: práticas ilegais do tráfico interprovincial de escravos em Pernambuco 1850-1880.

Arthur Danillo Castelo Branco de Souza

Resumo


O tráfico interprovincial e intraprovincial de escravos ainda é um assunto a ser explorado pela historiografia brasileira. A partir do momento que o tráfico internacional de escravos aos portos brasileiros foi fechado, em 1850, o interno seria a única alternativa para repor a mão de obra escrava nas lavouras e nos centros urbanos. O tráfico de escravos com sua lógica própria, constituiu-se em escola de horrores na história dos continentes americano e africano, principalmente. Neste artigo, tentaremos analisar um pouco da face interna do tráfico de escravos, especialmente a partir da proibição do comércio internacional. Para tanto, procuramos demonstrar como os comerciantes de gente trabalhavam na província de Pernambuco. Observamos também que, assim como no internacional, o tráfico interno não estava livre das práticas ilegais que passaram a se multiplicar a partir de 1850.


Palavras-chave


Tráfico de escravos; Pernambuco; Escravidão; Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Aline. Navios Negreiros e Negociantes de Escravos atuantes em Pernambuco, 1831-55. CNPq, Trabalho premiado no Prêmio Destaque do Ano da Iniciação Científica, 2012, p. 13. Disponível em http://estatico.cnpq.br/portal/premios/2012/ic/pdf/ganhadores/aline_albuquerque_2012.pdf. Acessado em 06/06/2018.

ALBUQUERQUE, Aline. De “Angelo dos retalhos” a Visconde de Loures: a trajetória de um traficante de escravos (1818-1858). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, Dissertação de Mestrado, 2016.

BETHELL, Leslie. A abolição do tráfico de escravos no Brasil - A Grã-Bretanha, o Brasil e a questão do tráfico de escravos, 1807-1869. Rio de Janeiro: Ed. Expressão e Cultura; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1976.

CÂMARA, Bruno Augusto Dornelas. CARVALHO. Marcus Joaquim Maciel de. A Insurreição Praieira. Almanack braziliense n°08. Revistas USP. 2008.

CARVALHO, Marcus J. M. de. Liberdade: Rotinas e Rupturas do Escravismo. Recife, 1822-1850. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010.

CARVALHO, Marcus J. M. de. GOMES, Flávio dos Santos. REIS, João José. O Alufá Rufino: Tráfico, escravidão e liberdade no Atlântico Negro (c. 1822 – c.1853). São Paulo: Companhia das Letras: São Paulo, 2010.

CHALHOUB, Sidney. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil: 1850-1888. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975

CONRAD, Robert. Tumbeiros - O Tráfico de Escravos para o Brasil. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1985.

EISENBERG. Peter. Modernização sem mudança: A indústria açucareira em Pernambuco 1840-1910. Rio de Janeiro/Campinas: Paz e Terra/Unicamp, 1977.

GOMES, Amanda. O Barão traficante e as redes sociais do tráfico: Francisco Antonio de Oliveira, 1820 – 1855. Anais do 7º Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, Curitiba (UFPR), de 13 a 16 de maio de 2015, p. 3. Disponível em: http://www.escravidaoel

iberdade.com.br/congresso/index.php/E-L/7/paper/viewFile/149/67. Acessado em: 09 de Maio de 2016.

GRAHAN, Richard. Nos tumbeiros mais uma vez: o comércio interprovincial de escravos. Afro-Ásia, n. 27, 2002.

MAMIGONIAN, Beatriz G. Africanos livres: a abolição do tráfico de escravos no Brasil. São Paulo: Companhia das letras, 2017.

REIS, João José. SILVA, Eduardo. Negociação e Conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

SAAVEDRA, Renata. Recenseamento e conflito no brasil imperial: o caso da Guerra dos Marimbondos. Clio, Universidade Federal de Pernambuco, nº 33.1, 2015.

SILVA, Wellington Barbosa da. “UMA AUTORIDADE NA PORTA DAS CASAS”: OS INSPETORES DE QUARTEIRÃO E O POLICIAMENTO NO RECIFE DO SÉCULO XIX (1830-1850). Saeculum: Revista de História. Nº17. João Pessoa, jul/dez 2007.

SOUZA, Arthur D. C. Branco de. O comércio de gente nas ruas do Recife: tráfico de escravos, traficantes, sociedade pernambucana. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, Iniciação Científica, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcus Joaquim Maciel de Carvalho, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2019.37.2.19

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas