A travessia de escravos dos sertões de Angola para os sertões de Pernambuco (1750-1810)

Alexandre Bittencourt Leite Marques

Resumo


A presença de escravos originários da África era uma constante na trajetória do escravismo nos sertões de Pernambuco, sobretudo a partir da segunda metade do século XVIII. Consolidadas as fazendas de gado, erigidos povoados e vilas e cultivadas as plantações de algodão, potencializou-se muito mais a presença de escravos provenientes de algumas partes da África, principalmente de Angola. Apesar disso, há uma carência de estudos sobre a introdução forçada desses escravos africanos e de seus descendentes nos ditos sertões de Pernambuco. Nesse sentido, o presente trabalho tem por objetivo analisar a saída de escravos dos sertões de Angola até suas inserções nos sertões de Pernambuco, procurando contribuir no preenchimento de algumas lacunas a respeito do estudo da escravidão no interior pernambucano.


Palavras-chave


Escravos; Sertões de Pernambuco; Sertões de Angola

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Débora de Souza Leão; VERSIANI, Flávio Rabelo; VERGOLINO, José Raimundo Oliveira. Financiamento e organização do tráfico de escravos para Pernambuco no século XIX. Revista Economia, Brasília, v. 14, n. 1A, p. 211-225, jan./abr. 2013.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. África, números do tráfico atlântico. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; GOMES, Flávio (Org.). Dicionário da escravidão e liberdade: 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

ALMEIDA, Suely Cordeiro de; SOUZA, Jéssica Rocha de. O comércio de almas: as rotas entre Pernambuco e a costa da África, 1774-1787. Revista Ultramares Dossiê, n. 3, jan./jul., 2013.

ALMEIDA, Suely Cordeiro de. Rotas atlânticas: o comércio de escravos entre Pernambuco e Costa da Mina, c. 1724-c.1752. História, São Paulo, v. 37, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/his/v37/1980-4369-his-37-e2018022.pdf. Acesso em: 17 nov. 2018.

AZEVEDO, Beatriz Líbano Bastos. O negócio dos contratos: contratadores de escravos na primeira metade do século XVIII. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História Econômica, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico... Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728. 8 v.

CEZAR, Iasmim de Oliveira. A caminho dos sertões: o tráfico interno movimentando o interior baiano, 1778-1798. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História)  Departamento de Ciências Humanas, Universidade do Estado da Bahia, Campus-Jacobina, Jacobina, 2016.

CORRÊA, Elias Alexandre da Silva. História de Angola. Lisboa: Editorial Ática, 1937. Colecção dos Clássicos da Expansão Portuguesa. Série E, Império Africano).

DIAS, Erika. A capitania de Pernambuco e a instalação da Companhia Geral de Comércio. In: ACTAS do Congresso Internacional Espaço Atlântico de Antigo Regime: poderes e sociedades. Lisboa: Centro de História da Além-Mar Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa & Departamento de Ciências Humanas Instituto de Investigação Científica Tropical, 2005.

FERREIRA, Roquinaldo. África durante o comércio negreiro. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; GOMES, Flávio (Org.). Dicionário da escravidão e liberdade: 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

HAVIK, Philip J. Matronas e mandonas: parentesco e poder feminino nos rios de Guiné, século XVIII. In: PANTOJA, Selma (Org.). Entre Áfricas e Brasis. Brasília: Paralelo 15; São Paulo: Marco Zero, 2001

HERNANDEZ, Leila Leite. História da África no Brasil. Revista Cerrados (UnB. Impresso), v. 19, p. 231-242, 2010.

OLIVEIRA, Antonio José. Os Kariri: resistências à ocupação dos sertões dos Cariris Novos no século XVIII. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em História, a Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

PIMENTEL, Maria do Rosário. Viagem ao fundo das consciências: a escravatura na Época Moderna. Lisboa: Edições Colibri, 1995.

PIMENTEL, Maria do Rosário. Portugal e o tráfico de escravos: do ‘filhamento’ ao comércio organizado. In: ASSIS, Angelo Adriano Faria de; LEVI, Joseph Abraham; MANSO, Maria de Deus Beites. A expansão: quando o mundo foi português: da conquista de Ceuta, 1415, à atribuição da soberania de Timor-Leste, 2002. Braga: NICPRI, 2014.

RIBEIRO, Alexandre Vieira. Apontamentos sobre o tráfico de escravos entre Angola e Brasil. In: PAIVA, Eduardo França; SANTOS, Vanicléia Silva (Org.). África e Brasil no mundo moderno. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em História, UFMG, 2013.

SANTOS, Maria Emília Madeira. Viagens e apontamentos de um portuense em África: diário de Antônio Ferreira da Silva Porto. Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 1986.

SANTOS, Maria Emília Madeira. Viagens de exploração terrestre dos portugueses em África. Lisboa: Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga, Instituto de Investigação Científica Tropical, 1978.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo. História de Portugal: o despotismo iluminado, 1750-1807. 6. ed. Lisboa: Editorial Verbo, 2004.

SILVA, Antonio de Moraes. Diccionario da lingua portugueza: recompilado dos vocabularios impressos ate agora, e nesta segunda edição novamente emendado e muito acrescentado. Lisboa: Typographia Lacerdina, 1813, p. 693.

SOUZA, George F. Cabral de. Tratos e mofatras: o grupo mercantil do Recife colonial, c. 1654-c.1759. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2019.37.2.18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas