MOVIMENTOS REATIVOS E LIDERANÇAS CATÓLICAS NO SÉCULO XIX NO BRASIL.

Célia Nonata da Silva

Resumo


p.p1 {margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 11.0px Helvetica}

Este artigo analisa os movimentos messiânicos no periodo Oitocentista sob um aspecto

conceitual dos movimentos sociais. A partir das referencias teóricas de Tilly analisamos as ações

coletivas no campo como formas reativas, a partir das lideranças religiosas e seu discurso enaltecedor

da tradição. Este é o repertório da ação coletiva identificado nos comportamentos e discursos, a

permanencia de um imaginario contra-reformista e barroco como elemento cimentador dos

movimentos rurais neste período. Assim, o questionamento para tal baseia-se na reflexão e

importância que assumem as lideranças católicas nos meios rurais e seus discursos aglutinadores

calcados na tradição e em elementos contrareformistas, que mantiveram e consolidaram um habitus da

experiência, mas principalmente caracterizaram o repertorio dos conflitos rurais, identificados a partir

da lei de Terras de 1850 ate a primeira metade do seculo XX.

Palavras-chave: Igreja, Terra, Conflitos, messianismo, rural.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html