MEDIAÇÕES CULTURAIS NO ALÉM-MAR: o padre Mamiani e os usos da língua kiriri nas brenhas dos sertões

Ane Luíse Silva Mecenas Santos

Resumo


Desde os primeiros anos do processo de conversão os padres da Companhia de Jesus sistematizaram textos que possibilitariam a comunicação com os gentios. À medida que a catequese foi realizada com povos que não falavam a língua geral, novos instrumentos foram produzidos. Por isso, no final do século XVII,fez-se necessário organizar para publicação deuma gramática e de um catecismo Kiriri. Esses dois documentos apresentam os indícios e os rastros do processo de mediação cultural ocorrido no sertão da América portuguesa. Em meio à normatização da língua oral, pelo filtro da gramaticalização latina, é possível perceber também o mundo indígena, em especial os que causavam estranheza nos padres durante seu período de observação. Dessa forma, o presente artigo busca analisar esses documentos,identificando os métodos de normatização da língua Kiriri.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         em 20. Set. 2018 Contador de visitas