A intendência de Porto Alegre e o controle das águas na Primeira República

Fabiano Quadros Rückert

Resumo


A proposta do artigo consiste em abordar a história do abastecimento de água na cidade de Porto Alegre, no período da Primeira República. O foco do texto foi direcionado para as estratégias e ações que o poder público municipal desenvolveu durante a criação e expansão do serviço público de abastecimento de água na respectiva cidade. O conjunto destas estratégias e ações, pesquisado nas fontes documentais, permite compreender como a municipalidade procurou controlar o abastecimento de água articulando projetos e obras de engenharia com leis, regulamentos e procedimentos administrativos.


Palavras-chave


Porto Alegre; Controle; Abastecimento de água

Texto completo:

PDF

Referências


AXT, Gunter. A indústria de energia elétrica no Rio Grande do Sul. Dos primórdios a formação da empresa pública, 1887-1959. Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre: UFRGS, 1995.

AXT, Gunter. Gênese do Estado Moderno no Rio Grande do Sul. 1889-1929. Porto Alegre: Editora Paiol, 2011.

BAKOS, Margaret Marchiori. Municipalização e endividamento: características da administração pública municipal de Porto Alegre, de 1897 a 1937. In: WEIMER, Günter (Org.). Urbanismo no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1992, p. 75-93.

BAKOS, Margaret Marchiori. Porto Alegre e seus eternos intendentes. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996.

BORDI DE RAGUCCI, Olga N. El agua privada en Buenos Aires (1856-1892). Negocio y fracaso. Buenos Aires: Editorial Vinciguerra, 1997.

FORTES, Alexandre. Nós do Quarto Distrito. A classe trabalhadora porto-alegrense e a era Vargas. Caxias do Sul: Edusc – Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

MATÉS-BARCO, Juan Manuel. La conquista del agua. Historia económica del abastecimiento urbano. Jaén: Universidad de Jaén, 1999.

UEDA, Vanda. A construção, a destruição e a reconstrução do espaço urbano na cidade de Porto Alegre no começo do século XX. Espaço e Tempo, n. 19. São Paulo: GEOUSP, 2006, p. 141-150.

PRESTES, Antônio João Dias. O rio se renova, permitindo que os erros do passado sejam corrigidos. Estado e sociedade nas iniciativas para recuperação ambiental do Guaíba (1979-2004). Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre: UFRGS, 2012.

RÜCKERT, Fabiano Q. O problema das águas poluídas na cidade de Porto Alegre (1852-1928). Diálogos, v. 17, n.3, p. 1145-1172, set.-dez./2013.

REINHEIMER, Dalva. A navegação fluvial na República Velha gaúcha. São Leopoldo: OIKOS, 2010.

TARGA, Luiz Roberto P. A política fiscal modernizadora do Partido Republicano Rio-Grandense. In: GOLIN, Tau; BOEIRA; Nelson (Coord.). República Velha (1889-1930). Tomo I, Volume 3. Passo Fundo: Méritos, 2007, p. 247-273.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas