Relational processes in an interdisciplinary team of psychosocial attention

Andréia Coelho Bettin, Maira Buss Thofehrn, Adrize Rutz Porto, Pedro Márlon Martter Moura, Cryshna Leticia Kirchesch, Neyla Cristina Carvalló Viana

Resumo


RESUMO

Objetivo: conhecer os processos relacionais em uma equipe interdisciplinar de um Centro de Atenção Psicossocial. Método: trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório realizado com nove trabalhadores de um Centro de Atenção Psicossocial, por meio de cinco sessões de grupo focal, tratando-se os dados pela técnica de Análise de Conteúdo, na modalidade Análise Temática. Resultados: emergiram-se as categorias “Características do processo inter-relacional da equipe” e “Processo comunicacional da equipe”. Conclusão: reconheceu-se, pelos participantes do estudo, que o relacionamento na equipe se deve aos bons vínculos, à troca de afetos, à corresponsabilização pelo trabalho e à confiança mediada pela comunicação interpessoal, artefatos básicos para o trabalho em conjunto e benéficos para a prestação de cuidado aos usuários. Descritores: Saúde Mental; Relações Interprofissionais; Equipe de Assistência ao Paciente; Ambiente de Trabalho; Centros de Atenção Psicossocial; Enfermagem. 

ABSTRACT

Objective: to recognize the relational processes in an interdisciplinary team of a Psychosocial Care Center. Method: this is a qualitative, descriptive and exploratory study conducted with nine staffs of a psychosocial care center, by means of five sessions of focal group, since it is the data by Content Analysis technique, in the modality of Thematic Analysis. Results: the emerged categories “Characteristics of inter-relational process of team” and “Communicational process of the team”. Conclusion: it was acknowledged, by the participants in this study, that the relationship in the team is due to the good bonds, the exchange of affections, to co-responsabilization for the work and the trust mediated by interpersonal communication, basic artifacts to work together and beneficial for the provision of care to users. Descriptors: Mental Health; Interprofessional Relations; Patient Care Team; Working Environment; Psychosocial Health Services; Nursing

RESUMEN

Objetivo: conocer los procesos relacionales en un equipo interdisciplinario de un centro de atención psicosocial. Método: este es un estudio de tipo cualitativo, descriptivo y exploratorio realizado con nueve empleados de un centro de atención psicosocial, por medio de cinco sesiones de grupo focal, ya que es la técnica de análisis de contenido de datos, en la modalidad de análisis temático. Resultados: las categorías que surgieron fueron: “Características de inter-proceso relacional de equipo” y “Proceso comunicacional del equipo”. Conclusión: no fue reconocido por los participantes en el estudio, que la relación en el equipo se debe a los buenos bonos, el intercambio de los afectos, a co-responsabilización del trabajo y de la confianza, la comunicación interpersonal mediada por artefactos básicos para trabajar juntos y beneficiosa para la prestación de atención a los usuarios. Descriptores: Salud Mental; Relaciones Interprofesionales; Grupo de Atención al Paciente; Ambiente de Trabajo; Servicios de Salud Psicosocial; Enfermería.


Palavras-chave


Saúde mental; Relações interprofissionais; Equipe de Assistência ao Paciente; Ambiente de trabalho; Centros de Atenção Psicossocial; Enfermagem

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


Brasil. Portaria n º 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Brasília: Ministério da Saúde; 2011 [citado 2017 ago. 5]. Disponível:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html

Hefti R, Esperandio MRG. O modelo interdisciplinar de cuidado espiritual: uma abordagem holística de cuidado ao paciente. Horiz. 2016;14(41):13-47.

Available from: http://periodicos.pucminas.br/index.php/horizonte/article/viewFile/P.2175841.2016v14n41p13/9373.

Martins GB, Hora SS. Desafios à Integralidade da Assistência em Cuidados Paliativos na Pediatria Oncológica do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Rev Bras Cancerol. 2017;63(1):29-37.

Available from:

http://www1.inca.gov.br/rbc/n_63/v01/pdf/06b-artigo-desafios-a-integralidade-da-assistencia-em-cuidados-paliativos-na-pediatria-oncologica-do-instituto-nacional-de-cancer-jose-alencar-gomes-da-silva.pdf

Scherer MDA, Pires DEP, Jean R. A construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Ciênc saúde coletiva [online]. 2013;18(11):3203-3212.

Doi: 10.1590/S1413-81232013001100011.

Leal BM, Antoni C. Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS): estruturação, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Aletheia. 2013;40(14):87-101.

Available from:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942013000100008

Souza ACS, Ribeiro MC. A interdisciplinaridade em um CAPS: a visão dos trabalhadores. Cad Ter Ocup UFSCar. 2013;21(1):91-98.

Available from:

http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/734

Silva NS, Esperidião E, Bezerra ALQ, Cavalcante ACG, Souza ACS, Silva KKC. Percepção de enfermeiros sobre aspectos facilitadores e dificultadores de sua prática nos serviços de saúde mental. Rev Bras Enferm. 2013;66(5):745-752.

Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n5/16.pdf

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13 ed. São Paulo: Hucitec; 2013. 408 p.

Available from:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232007000400030

Brasil. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [citado 2017 Ago. 5]. Disponível:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Bonfim IG, Bastos ENE, Góis CWL, Tófoli LF. Apoio matricial em saúde mental na atenção primária à saúde: uma análise da produção científica e documental. Interface Comun Saúde Educ. 2013;17(45):287-300. Available from:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832013000200004&script=sci_abstract

Nascimento PTA, Pekelman R. Acesso e acolhimento: “ruídos” e escutas nos encontros entre trabalhadores e usuários de uma unidade de saúde. Rev APS. 2012;15(4):380-394. Available from:

https://aps.ufjf.emnuvens.com.br/aps/article/view/1485/672

Thofehrn MB, Carvalho LA, Bettin AC, Fernandes HN. Equipe de enfermagem com vínculos profissionais saudáveis. In: Thofehrn MB (org). Enfermagem: manual de gerenciamento. Porto Alegre: Moriá Editora. 2016. p.143-163.

Burgatti JC, Bracialli LAD, Oliveira MAC. Problemas éticos vivenciados no estágio curricular supervisionado em Enfermagem de um currículo integrado. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(4):937-42. Available from:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342013000400937&script=sci_abstract&tlng=pt

Bellenzani R, Paro DM, Oliveira MC. Trabalho em saúde mental e estresse na equipe: questões para a política nacional de humanização/SUS. Rev Psico Saúde [online]. 2016;8(1):32-43. Available from:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-093X2016000100005

Pegoraro RF, Bastos LSN. Experiências de acolhimento segundo profissionais de um centro de atenção psicossocial. Rev Enferm Aten Saude. 2017;6(1): 3-17. Available from:

https://doi.org/10.18554/reas.v6i1.1525

Epstein NE. Multidisciplinary in-hospital teams improve patient outcomes: a review. Surg Neurol Int. 2014;5(7):S295-303. Doi:10.4103 / 2152-7806.139612

Claro RFS, Cunha PFSS. Estratégias de gestão construtivas de conflitos: uma perspectiva dos profissionais de saúde. Psic Saúde e Doenças. 2017;18(1):55-68.

DOI: http://dx.doi.org/10.15309/17psd180105

Roncaglia I. A practitioner´s perspective of multidisciplinary teams: Analysis of potential barriers and key factors for success. Psychol Thought. 2016;9(1):15-23.

Doi: https://doi.org/10.5964/psyct.v9i1.145

Nogueira JWS, Rodrigues MCS. Comunicação efetiva no trabalho em equipe em saúde: desafio para a segurança do paciente. Cogitare Enferm. 2015;20(3):636-640.

Doi: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v20i3.40016

Navarro ASS, Guimarães RLS, Garanhani ML. Trabalho em equipe: o significado atribuído por profissionais da estratégia de saúde da família. Rev Min Enferm. 2013;17(1):61-68.

Doi: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20130006

Amestoy SC, Backes VMS, Thofehrn MB, Martini JG, Meirelles BHS, Trindade LL. Gerenciamento de conflitos: desafios vivenciados pelos enfermeiros-líderes no ambiente hospitalar. Rev Gaúcha Enferm. 2014;35(2):79-85. Available from:

http://www.seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/40155/2992

Nancarrow SA, Booth A, Ariss S, Smith T, Enderby P, Roots A. Ten principles of good interdisciplinary team work. Human Resources for Health. 2013;11(19):11-19.

Doi: https://doi.org/10.1186/1478-4491-11-19




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i2a235197p322-329-2019



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

 doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios