UMA OU OUTRA INCLUSÃO: DIFERENTES POLÍTICAS DE JUVENTUDES PARA DIFERENTES PERFIS DE JOVENS “EXCLUÍDOS”

Mariana Lins Oliveira, Ruy de Deus e e Mello Neto

Resumo


Este artigo tem como objetivo principal problematizar os processos de inclusão-exclusão das políticas de juventude das últimas décadas no Brasil. Partimos da ideia de que as políticas de inclusão, através de processos classificatórios, têm se configurado como dispositivos de controle e de governamento de condutas. Nesse sentido, visamos discutir as políticas e os diferentes perfis de juventude adotados pelo governo federal, decidimos agrupar algumas políticas em duas categorias, discutindo o modo como elas representam a dicotomia “protagonista” versus “jovem em situação de risco”, sendo elas: (1) ações com ênfase no ensino superior; e (2) ações voltadas para a juventude e o trabalho. O fizemos por entender que tais classificações, ainda que arbitrárias da nossa parte, podem servir ao intento de exemplificar as diferentes leituras possíveis ao conceito de “juventude excluída”. 

 

 


Palavras-chave


Inclusão; exclusão; Políticas; Juventude

Texto completo:

PDF


 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ