NÓS, O VERDADEIRO POVO !

Flavio Henrique Albert Brayner, G.N.de Conceição, Rosineide M Santos

Resumo


Nos anos oitenta, segundo informa o Professor Luis de la Mora (Cf; Recife: que história é essa? Fundação de Cultura Cidade  do Recife. SEC. 1987), o Recife foi a capital brasileira com maior número de organizações de apoio aos "movimentos populares". Entre esses, o das chamadas "escolas comunitárias" foi daqueles que mobilizou, numa escala considerável, intelectuais, professores universitários e militantes que apostavam no vigor político, organizacional e propriamente pedagógico daquelas experiências iniciadas sob a tutela da Igreja e que vai conhecer uma rápida expansão nos bairros periféricos da cidade. A convicção de que era do interior da sociedade civil que deveria partir a iniciativa política  estimulou ainda mais a emergência de organizações populares e, entre essas, o movimento das escolas comunitárias logrou alcançar um prestígio particular, pelo menos aqui em Recife.


Texto completo:

PDF


 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ