ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: Jogos Didáticos e Atividades Contextualizadas com os Saberes Campesinos

Marcia Batista da Silva, Maria Joselma do Nascimento Franco, Amós Santos Silva

Resumo


O presente artigo tomou como objeto “os processos de alfabetização e letramento no contexto campesino” e buscou averiguar as contribuições da ludicidade mediada pelos jogos didáticos no progresso da alfabetização e letramento de crianças do 3º ano do ensino fundamental de uma escola do campo, em 2017. Desenvolvida em uma escola atendida pelo Programa de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) do curso de Pedagogia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE-CAA), a pesquisa teve como objetivos: i) analisar as contribuições da ludicidade pautada nos jogos didáticos, enquanto mobilizadores da participação dos estudantes nas aulas; e ii) identificar se houve avanço quanto ao desenvolvimento da alfabetização e letramento dos estudantes na medida em que a metodologia adotada envolvia a ludicidade pautada nos jogos didáticos em sala. Foram utilizados como arcabouço teórico para elaboração deste trabalho: Leal, Mendonça, Morais e Lima (2008); Soares (2003); Ferreiro (2004); Ferreiro e Teberosky (1979); Morais (2012); Soares (2010); Coutinho (2005); Caldart (2012); Arroyo (2004); Kishimoto (2002); Murcia (2005); Miranda (2001). A pesquisa é de abordagem qualitativa, tendo como lócus uma escola pública municipal localizada em Caruaru-PE, no território campesino do Alto do Moura. Metodologicamente, trabalhamos com a observação participante e a intervenção pedagógica, cujos dados foram registrados em dois diários de campo. Os participantes da pesquisa foram tratados como E1, E2 e E3.  Os resultados mostram que, na avaliação diagnóstica inicial, os três estudantes (E1, E2 e E3) se apresentavam na fase silábico-alfabético do desenvolvimento do sistema de escrita alfabética (SEA), porém, no decorrer das atividades que envolviam a ludicidade articulada aos jogos didáticos, evidenciou-se que os estudantes avançaram para o nível alfabético do sistema de escrita, confirmado na avaliação diagnóstica final. Concluiu-se que o caminho metodológico construído, envolvendo a ludicidade mediada pelos jogos didáticos, materializou-se enquanto possibilidade de atuação dos iniciantes à docência do PIBID, marcado pelos avanços que os estudantes apresentaram no percurso construído, desencadeando satisfação na participação das aulas, tendo como consequência os avanços nos processos de construção da alfabetização e letramento pelos estudantes.


Palavras-chave


Alfabetização e Letramento; Educação do Campo; Jogos didáticos; PIBID

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, Marlene. Alfabetizar e Letrar: um diálogo entre a teoria e a prática. RJ: Vozes, 2008.

CALDART, R. Educação do campo. In CALDART, R. et al. (Org.) Dicionário da educação do campo. São Paulo: 2012.

COUTINHO, Marília de Lucena. Psicogênese da língua escrita: O que é? Como intervir em cada uma das hipóteses? Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

FERREIRO, Emília. Alfabetização em processo. 15. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

GOMES, R. R.; FRIEDRICH, M. A Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem de conteúdos. Rio de Janeiro, 2001.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. Pioneira, São Paulo, 1994.

___________. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, 1999.

LEAL, T. F.; MENDONÇA, M.; MORAIS, A. G.; LIMA, M. Q. O lúdico na sala de aula: projetos e jogos. Brasília: 2008.

LOPES, M. da G. Jogos na Educação: criar, fazer e jogar. São Paulo: Cortez, 2001.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: 1986.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. Ciência Hoje, 2001.

MORAIS, A. G. Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

MURCIA, Juan Antônio Moreno (Org.). Aprendizagem através do jogo. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SOARES, Magna. Alfabetização e letramento. São Paulo: Contexto, 2003.

_________. Simplificar sem falsificar. In: Revista Educação – Guia da Alfabetização: Os caminhos para ensinar a língua escrita. N. 1. p. 6-11, SP: Editora Segmento, 2010.




 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ