MATRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA ÁREA DO ENSINO DE CIÊNCIAS NA REGIÃO NORDESTE: COMO SE ENCONTRAM O USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO?

Ana Clara Cavalcanti de Miranda, Maria do Carmo Maracajá Alves, Marcelo Brito Carneiro Leão, Alessandra Carla Ceolin

Resumo


Este estudo pesquisa a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) como facilitadoras à aprendizagem dos discentes, nas licenciaturas da área de ensino das ciências. No atendimento ao objetivo, mapeou-se as disciplinas obrigatórias que utilizam a tecnologia educacional, nos cursos da área de Ensino das Ciências, em universidades federais do Nordeste. Existem 17 universidades federais na região Nordeste, sendo que apenas 11 possuem os 04 cursos da área do ensino de ciências (física, química, biologia e matemática) simultaneamente. A amostra desta pesquisa resulta em 44 cursos de graduação. A pesquisa foi exploratória do tipo documental. Na análise das matrizes curriculares, observaram-se as disciplinas obrigatórias que utilizavam o uso da tecnologia voltada ao ensino e as notas do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) de cada curso. Das 11 universidades analisadas, os principais resultados apontam que 6 dessas possuem disciplinas voltadas ao ensino com o apoio de tecnologia no curso de física, 3 em química, 4 em biologia e 7 em matemática. Ao juntar os 4 cursos, obtém-se no resultado que a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) é a universidade que mais possui disciplinas que utilizam a tecnologia na prática do ensino. Utilizar as TICs como metodologia de ensino nas universidades preparam os futuros discentes nas diversas formas de atuações educacionais

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, N. P. G.; BERNARDINO JÚNIOR, F. M.; DARÓZ, E. P. O professor e as novas tecnologias na perspectiva da análise do discurso: (des) encontros em sala de aula. Linguagem em (Dis)curso – LemD, Tubarão, SC, v. 14, n. 1, p. 15-27, jan./abr. 2014.

BARRETO, E. S. S. Políticas de formação docente para a educação básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação, v. 20, n. 62, p. 679–701, 2015. BIZELLI, J. L. Inovação: limites e possibilidades para aprender na era do conhecimento. São Paulo: Ed. da UNESP v.1.: Cultura Acadêmica, 2013.

CARVALHO NETO, S.; ZWICKER, R.; CAMPANHOL, E. M. Ensino on-line na graduação de Administração: um estudo de prós, contras e da possibilidade de implantação de um ambiente virtual de aprendizagem em uma IES do estado de São Paulo. Anais do Encontro Nacional da Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Salvador, BA, Brasil, 30, 2006. DIAS, C. L.; HORIGUELA, M. L. M.; MARCHELLI, P. S., Políticas para avaliação da qualidade do Ensino Superior no Brasil: um balanço crítico, Educação e Pesquisa, v. 32, n. 3, p. 435–464, 2006, p. 461.

E-MEC, Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC Disponível em: https://emec.mec.gov.br/.: Acesso em 18 de maio de 2019. FAVRETTO, J; MORETTO, C. F., Os cursos superiores de tecnologia no contexto de expansão da educação superior no Brasil: a retomada da ênfase na educação profissional, Educação & Sociedade, v. 34, n. 123, p. 407–424, 2013, p. 417.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 6. ed. Tradução Rosisca Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

LAPERRIÈRRE, A. La theorisation ancrée (grounded theory): démarche analytique et comparaison avec d’autres approaches apparentées. In: POUPART, J. et al. La recherche qualitative: enjeux épistémologiques et méthodologiques.Canadá: Gaëtan Morin Éditeur, 1997, p. 309-340.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da Informática, 34. ed. 1998.

LIBÂNEO, J. C. Educação Escolar; políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2005.

Volume 3

Número 1 ISSN 2595 - 7597

https://periodicos.ufpe.br/revistas/vivencias

2

Revista Vivências em Ensino de Ciências

ª Edição Especial

LYOTARD, J.-F. A condição pós-moderna. Trad. br. Ricardo Corrêa Barbosa. 8ª Edição. Rio de Janeiro: José Olímpio, 2004.

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa. Atlas. São Paulo, 2017.

MORAN, J. M., MASETTO, M.; BEHRENS, M. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 7.. ed. São Paulo, SP.: Papirus, 2003.

MOURA, A. Metodologias de aprendizagem que desafiam os alunos, mediadas por tecnologias digitais. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 256, 2017.

PRENSKY, M. Nativos digitais, imigrantes digitais. NCB University Press, Vol. 9 N. 5, 2001. SCHUHMACHER, V. R. N.; ALVES FILHO, J. P.; SCHUHMACHER, E. As barreiras da prática docente no uso das tecnologias de informação e comunicação, Ciência & Educação (Bauru), v. 23, n. 3, p. 563–576, 2017, p. 570.

SILVA, F. D. O. O professor frente as novas tecnologias e as implicações no trabalho docente. III CONEDU. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2019.

UFAL, Site institucional da Universidade Federal de Alagoas. Disponível em: . 18 de maio de 2019. Acesso em:18 de maio de 2019.

UFBA, Site institucional da Universidade Federal da Bahia. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFC, Site institucional da Universidade Federal do Ceará. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFMA, Site institucional da Universidade Federal do Maranhão. Disponível em: . Acesso em:18 de maio de 2019.

UFPB, Site institucional da Universidade Federal da Bahia. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFPE, Site institucional da Universidade Federal de Pernambuco. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFPI, Site institucional da Universidade Federal do Piauí. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFRB, Site institucional da Universidade Federal do Recôncavo Bahiano. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFRN, Site institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em: Acesso em: 18 de maio de 2019.

Volume 3

Número 1 ISSN 2595 - 7597

https://periodicos.ufpe.br/revistas/vivencias

2

Revista Vivências em Ensino de Ciências

ª Edição Especial

UFRPE, Site institucional da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

UFRPE, Projeto Político-Pedagógico Curso De Licenciatura Em Química, 2009. Disponível em: Acesso em: 25 de setembro de 2018.

UFS, Universidade Federal de Sergipe. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019.

ZANLORENZI, M. J.; SANDINI, S. P. Política docente: formação de professores e as diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica. In: Congresso Nacional De Educação, EDUCERE, 12, 2017, Curitiba. Anais...Curitiba, PUCPR, 2017. p. 4209 – 4220.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife - PE, 50670-901.