O ENTRELACE ENTRE O BEM-ESTAR E A PERMANÊNCIA ESCOLAR: Um Estudo Sociométrico Envolvendo Estudantes da EJA do IFF

Saionara Rosa da CRUZ, Elane Kreile MANHÃES, Gerson Tavares DO CARMO

Resumo


Segundo Tinto (2017), o envolvimento do estudante com a instituição se configura numa das condições para sua permanência no ambiente escolar. Sendo assim, esta proposta objetiva utilizar a sociometria, uma ferramenta de observação do microcosmo das relações entre pares estabelecidas em dado contexto, e teorias ligadas ao bem-estar para tornar visíveis as ambientações de discentes jovens e adultos que reforcem ou enfraqueçam seu envolvimento e permanência na escola. Nesse contexto, foram aplicados dois instrumentos de pesquisa com vistas a entrelaçar os dados e perseguir os objetivos desta proposta. A partir de tal reconhecimento, foi possível cruzar dados entre a posição sociométrica e a relação de bem-estar com a instituição, trazendo, assim, para o cerne da discussão, não só as relações nocivas que devem ser minimizadas, mas também as relações saudáveis cujas características podem e devem ser propagadas por agentes institucionais.


Palavras-chave


Permanência; Bem-estar;EJA; Sociometria

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, D. J. O teste sociométrico: Sociogramas. Porto Alegre, Brasil: Globo, 1974.

ALVES, M. L. T.; DUARTE, E. O processo inclusivo nas aulas de educação física: um estudo sobre o teste sociométrico. Revista da Educação Física/UEM, v. 21, n. 3, p. 479-491, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v21i3.7764. Acesso em: 08 set. 2019.

BRADBURN, N. M. A estrutura do bem-estar psicológico, Chicago: Aldine, 1969.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm. Acesso em: 11 jun. 2019.

CSIKSZENTMIHALYI, M. A Descoberta do fluxo. Rio de Janeiro: Ciência Atual,1999.

COIE, J. D.; DODGE, K. A. Multiple sources of data on social behavior and social status in the school: a cross-age comparison. Child development, v. 59, n. 3, p. 815-829, 1988.

COIE, J. D.; DODGE, K. A.; COPPOTELLI, H. Dimensions and types of social status: a cross-age perspective. Developmental psychology, v. 18, n. 4, p. 557-570, 1982.

CRUZ, S. R. Satisfação dos alunos dos cursos técnicos integrados ao ensino médio nas relações interpessoais: contribuições da psicologia positiva. Dissertação (Dissertação em Educação) – UFRRJ. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2015.

DIENER, E.; SUH, E.; Oishi, S. Achados recentes sobre bem-estar subjetivo. Indian journal of clinical psychology, v. 24, n. 1, p.25-41,1997.

MORENO, J. L. Fundamentos de la sociometria. Buenos Aires, Argentina: Editorial Paidós, 1962. Tradução de J. Garcia Bouza e Saúl Karsz.

PASSARELI, P. M.; SILVA, J. A. Psicologia positiva e o estudo do bem-estar subjetivo. Estudos de Psicologia. Campinas, 24 (4), 513-517, 2007.

RYFF, C. D.; KEYES, C. L. M. A estrutura do bem-estar psicológico revisitada. Jornal da personalidade e psicologia social, v. 69, n. 4, p. 719-727, 1995. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1037/0022-3514.69.4.719. Acesso em: 17 jul. 2019.

SANTOS, M.; SOUZA, M. A. A. de; SILVEIRA, M. L. Território: globalização e fragmentação. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1998.

TINTO, V. Classrooms as communities: exploring the educational character of student persistence. The journal of Higher Education, Ohio, v. 68, n. 6, p. 599-623, nov. 1997

______, V. Reflections on Student Persistence. Student success, [s.l.], v. 8, n. 2, p. 1-8, 22 jul. 2017. Queensland University of Technology. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5204/ssj.v8i2.376. Acesso em: 16 jul. 2019.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS: